Fórmula 1 – Grande Prémio de Espanha: Lewis Hamilton ganha na estratégia

- Publicidade -

Depois de, na qualificação de sábado, ter conquistado a sua 100ª pole position, Lewis Hamilton usou a melhor estratégia da Mercedes para vencer o Grande Prémio de Espanha e ficar, assim, apenas a duas vitórias de subir, também, pela 100ª vez ao lugar mais alto do pódio na Fórmula 1. No entanto, Max Verstappen deu luta… apenas não foi o suficiente.

Fórmula 1 – Grande Prémio de Espanha
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Espanha

Depois de, na semana passada, termos acompanhado o Grande Prémio de Portugal, esta semana foi a vez de acompanhar o Grande Prémio de Espanha através da Eleven Sports 3. Foi com a corrida a aproximar-se que uns pingos caíram, levando a que mentes como a minha começassem logo a pensar na animação que ia ser se a meio da corrida a chuva começasse a cair com força… mas não, a corrida continuou seca. No entanto, não foi por isso que não teve animação.

Chega de conversa, vamos à corrida. Lights Out e um excelente arranque de Max Verstappen e Charles Leclerc faz com que os dois pilotos subam uma posição, Max para P1 e Leclerc para P3. Também Sergio Pérez e Daniel Ricciardo conseguem subir posições, neste caso duas para cada, passando o mexicano da Red Bull Racing Honda para P6 e o australiano da McLaren Mercedes para P5.

Verstappen continua a voar e, passado uma volta, já consegue levar uma vantagem de 1.7s de Lewis Hamilton. Tudo parece estar a correr bem para o piloto da Red Bull. Também na batalha entre Leclerc e Valtteri Bottas, para a terceira posição, as coisas não estão a correr bem para a marca alemã, já que, por muito que tente, Bottas não consegue ultrapassar o Ferrari à sua frente, entrando constantemente em zona de DRS sem conseguir ter velocidade (leia-se capacidade) para subir a P3.

Um safety car depois, devido a problemas com o motor do AlphaTauri Honda de Yuki Tsunoda, e um pneu furado para um dos Alfa Romeo Racing Ferrari durante a pit stop, a luta pelo P3 continuava e Bottas continuava a não conseguir ultrapassar Leclerc. Por esta altura, inocente como sou, pensava que era a dificuldade em realizar ultrapassagens em Barcelona que estava a atrasar Bottas e a fazer com que este não se conseguisse aproximar dos carros da frente, mas não. Não era.

Fórmula 1 – Grande Prémio de Espanha
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Espanha

Estamos na altura das pit stops e a de Verstappen não é a melhor, algo estranho para a Red Bull, fazendo com que o piloto holandês fique com a P1 em risco numa altura em que estamos a cerca de meio da corrida. Chegou a altura de Lewis parar e, mesmo com a má paragem de Max, a verdade é que o piloto britânico acaba por sair na mesma posição onde estava antes do início das pit stops, em P2. Bottas estava agora em P3 a 7.6s de Max. Foi aqui que comecei a perceber que o problema era mesmo a falta de ritmo do piloto da Mercedes e não a dificuldade de ultrapassagens em Barcelona. O finlandês nunca conseguiu acompanhar Max ou Lewis na frente.

Por esta altura, a animação estaca nos lugares do meio da tabela, com Vettel a passar Antonio Giovinazzi ao mesmo tempo que Pierre Gasly tentava ultrapassar o Aston Martin Mercedes do piloto alemão. Mas agora sim, o momento alto do Grande Prémio de Espanha: Räikkönen parou pela primeira vez à volta 38. Agora a sério, umas voltas depois parava Hamilton pela segunda vez.

Com a segunda paragem nas boxes, Hamilton ficou a 23 segundos do carro da frente, conduzido por Max Verstappen, e com pneus muito mais novos que Max. Será que compensa? Peter Bonnington acha que sim. “Vamos Lewis, já o fizemos uma vez”, ouve-se no team radio do Mercedes nº 44. E a verdade é que o piloto de capacete roxo começou a voar baixinho e a ganhar segundo atrás de segundo, tendo sido travado apenas pela falta de vontade de Bottas, o seu companheiro de equipa, em deixá-lo passar. Lewis lá conseguiu, em corrida, passar o seu colega de equipa e continuou a ganhar tempo. Max começava a estar nervoso ao perceber que aquele Mercedes em específico estava bem mais rápido que o seu Red Bull.

Depois de ultrapassado, Bottas vai à pit meter pneus frescos e tentar “roubar” o ponto de volta mais rápida a Hamilton. Depois desta paragem, é a vez de Leclerc e Perez pararem, sem perder posições, para também eles tentarem ganhar aquele ponto que, no fim do ano, pode fazer a diferença entre… ahhh… 4º e 5º lugar nesta temporada de Fórmula 1.

Cerca de um segundo por volta certo? Era isso que Hamilton estava a ganhar nas primeiras voltas depois da sua segunda pit stop? Pois bem, lá passou a ganhar mais que 1s por volta, pois na volta 60, Hamilton passa para primeiro sem grande dificuldade, preparando-se para conquistar mais uma vitória.

Max Verstappen acaba por parar, também ele para tentar a volta mais rápida, e perder assim menos um ponto na batalha para o Campeonato do Mundo de Pilotos. O holandês acabou mesmo por conseguir esse ponto com o tempo de 1:18.149, fazendo com que Valtteri Bottas nem isso conseguisse, numa corrida em que o nº 77 da Mercedes mostrou estar sem andamento para os dois da frente.

Para além da batalha pela conquista dos últimos lugares com pontos, que merece referência pelo espetáculo que proporcionou nas últimas voltas, importa ainda referir que, se Max Verstappen não ganhou, foi por culpa de quem decide a estratégia em corrida. Acredito, perdoe-me quem pensa o contrário, que Max teria ganho caso tivesse parado na volta seguinte à segunda paragem de Lewis Hamilton. Não parou. Não ganhou. Mais uma vitória para Hamilton que está agora a 2 das 100.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Lewis HamiltonMercedes94
2Max VerstappenRed Bull Racing Honda80
3Valtteri BottasMercedes47
4Lando NorrisMclaren Mercedes41
5Charles LeclercFerrari40
6Sergio PérezRed Bull Racing Honda32
7Daniel RicciardoMclaren Mercedes24
8Carlos SainzFerrari20
9Esteban OconAlpine Renault10
10Pierre GaslyAlphaTauri Honda8

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes141
2Red Bull Racing Honda112
3Mclaren Mercedes65
4Ferrari60
5Alpine Renault15

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Grande Prémio de França – P1 para Max Verstappen e dois Mercedes no pódio

De volta ao circuito Paul Ricard para a edição de 2022 do Grande Prémio de França, os Ferrari pareciam fortes tendo em conta a forma apresentada durante os treinos e qualificação...

Fórmula 1 – Grande Prémio da Áustria foi agridoce para a Ferrari

A Ferrari acertou na estratégia e preparava-se para subir aos dois lugares mais altos do pódio do Grande Prémio da Áustria quando o motor do Ferrari de Carlos Sainz cedeu à batalha com Max Verstappen, o espanhol acabou com o carro em chamas e Max quase que conseguia segurar o primeiro lugar depois de alguns problemas assombrarem também o carro de Charles Leclerc.

Fórmula 1 – O Grande Prémio de Inglaterra foi dos melhores do ano

Fórmula 1 deveria ser sinónimo de emoção. Mas a verdade é que nem sempre é assim, alguns Grandes Prémios podem mesmo ter partes aborrecidas em que a ação em pista não acontece. O Grande Prémio de Inglaterra foi o oposto: emoção da primeira à última volta que resultou no melhor Grande Prémio deste ano, uma corrida que a única coisa que teve de negativo foi o acidente ao na primeira volta. Felizmente Zhou Guanyu está bem e fica apenas para a história como um susto.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Canadá de volta e com emoções fortes

Depois de alguns anos sem acontecer, a edição de 2022 do Grande Prémio do Canadá foi uma para relembrar.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Gelatieiri. A nova gelateria de Vila Real de Santo António tem gelados bem cremosos

E faz-nos lembrar vagamente a La Romana, que fomos experimentar recentemente em Lisboa.

Chuva de reclamações tapa o Sol da Caparica. Afinal, o que se passou?

Mas as palavras de desagrado do público parecem não ter surtido qualquer efeito junto dos promotores.