Fórmula 1 – O Grande Prémio da Áustria foi uma ode às penalizações. Sim, o Verstappen ganhou

O Grande Prémio da Áustria está de volta após ter sido a primeira corrida do campeonato de 2020 de Fórmula 1. No 9º Grande Prémio de 2021, a vitória foi, sem surpresas, para Max Verstappen, que conquista assim o seu primeiro Grand Slam (Pole + na liderança do início ao fim + volta mais rápida). O piloto holandês dominou da primeira à última volta, numa corrida onde a grande surpresa foi o pódio sem Lewis Hamilton e, claro, o entusiasmo com que a FIA deu penalizações atrás de penalizações.

Podia começar o texto por dizer que, para este Grande Prémio da Áustria, George Russell foi à Q3 e saiu entre os 10 primeiros. Podia também dizer que Max Verstappen partiu em primeiro, seguido de Lando Norris, Sergio Pérez, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. Podia ainda dizer que os pneus escolhidos pela Pirelli foram os de composto mais macio, os C5, C4 e C3. Por fim, podia ainda comentar a primeira volta, o safety car e o facto de Esteban Ocon ter ficado de fora após contacto com Antonio Giovinazzi e Nikita Mazepin. Mas não, começo por fazer uma pergunta: FIA, o que é que se passa?

- Publicidade -

Vai ser um resumo um bocado diferente este. Vou-me focar nas penalizações durante a corrida, já que os stewards estiveram bastante ocupados. Não fiquem tristes, a semana passada tivemos uma corrida no mesmo circuito e o vencedor foi o mesmo.

Lembram-se do safety car da primeira volta? Pois, acabou na volta 4 e logo com confusão: aproximação à curva 4 com Norris na frente, mas seguido de perto por Pérez e o seu Red Bull. O mexicano aproxima-se, tenta passar por fora, os carros batalham na pista, roda com roda, mas sem nunca tocar… quase a sair da curva, ainda por fora e, numa trajetória mais larga, Pérez acaba por não ter espaço e vai à gravilha. O segundo piloto da Red Bull vai para P10 e quem interpreta as leis diz “vamos interpretar, já se vê”.

Enquanto analisam o que há para analisar deste pedaço de corrida entusiasmante, algo que não tivemos a semana passada, penalizam também. Giovinazzi ultrapassa um outro piloto durante aquelas três voltas de safety car e pumba, cinco segundos para o italiano da Alfa Romeo.

A FIA continua a pensar.

Norris continua em segundo lugar a defender-se muito bem dos ataques do Mercedes de Lewis Hamilton.

A FIA continua a pensar.

Pérez Leclerc passa Pérez e está agora em P10, Max leva 7.6s de avanço ao segundo classificado e Daniel Ricciardo sobe para P5 ao passar Sebastian Vettel.

A FIA continua a pensar.

Hamilton, na volta 21, passa por Norris ao mesmo tempo que afirma, por rádio, que Lando está a fazer uma grande corrida.

A FIA já pensou: penalização de cinco segundos para Norris por empurrar o carro de Pérez para fora da pista. O que para mim, e talvez para 99,9% dos espectadores da corrida, é competição pura, corrida no seu estado mais cru, é identificado pela FIA, o organismo que coordena grande parte da competição automóvel a nível mundial, como uma manobra ilegal e acabam por punir, de forma absolutamente ridícula, um piloto por fazer aquilo que é apenas o seu trabalho: dar o máximo enquanto conduz.

Grande Prémio da Áustria
Crédito: Formula1.com

Entretanto, também o rookie da AlphaTauri, Yuki Tsunoda, é penalizado. Pisou uma nesga da linha branca que separa a entrada das boxes do resto da pista. Cinco segundos. Parece que as penalizações estavam em saldos numa corrida em que pouca atenção era dada a Verstappen que continuava, e continuaria até ao fim, a liderar a corrida.

Começou a diversão das paragens para troca de pneus: Norris pára, cumpre os cinco segundos de penalização e volta à corrida em P4, apenas um par de segundos atrás de Bottas, que está assim em P3 atrás do seu colega de equipa, Hamilton, e do piloto holandês da Red Bull. Já era esperado que assim fosse: poucas voltas depois é a vez de Hamilton parar, logo seguido de Max, numa aposta clara da Red Bull em “copiar” o que a Mercedes fazia ao carro 44… tinham tempo suficiente para esperar e ver o que é que a competição direta ia fazer. Que corrida para a marca austríaca.

Quem também estava a fazer uma grande corrida, mesmo após uma partida desastrosa, era George Russell, que por esta altura passava Stroll e o seu Aston Martin. Um acontecimento em corrida que pode muito bem ser visto como prova para duas coisas: as capacidades de Russell e o facto da Williams ter conseguido melhorar, em muito, o seu carro.

A corrida estava a começar a animar para os carros que seguiam entre P6 e P9. Pierre Gasly, Ricciardo, Pérez e Leclerc lutavam com garra pela posição mais alta entre as quatro. Intervenção divina ou justiça poética, a verdade é que umas voltas de corrida à séria levaram a que, na mesma curva do incidente com Norris, Pérez acabasse por tocar em Leclerc e o piloto da Ferrari, que seguia por fora, fosse com o seu carro à gravilha. Desta vez, a FIA pensou mais rápido: cinco segundos de penalização para Pérez por “ter empurrado um carro para fora da pista”.

Esperava-se, por esta altura, que os pilotos percebessem que não estão ali para competir, mas sim para conduzir um carro, como se ao supermercado estivessem a ir durante um domingo descontraído. Mas não. Enquanto Norris continua a fazer uma grande corrida e já está apenas a quatro segundos de Hamilton, Leclerc tenta passar Pérez novamente e acaba na gravilha outra vez. Sabem que mais? As penalizações estavam mesmo em saldos e competir não era permitido este fim de semana: cinco segundos para Pérez.

Durante a festa de penalizações, ficamos ainda a saber que Hamilton tinha problemas no carro e que Bottas tinha autorização para tentar passar pelo seu colega de equipa. Mas cuidado, não vá a FIA penalizar um dos dois por “ultrapassagem nos limites da pista, sem toque, mas com clara vontade de “dar espetáculo”.

Grande Prémio da Áustria
Crédito: Formula1.com

Sem grande dificuldade ou espetáculo (Bottas evitou uma penalização de cinco segundos), o Mercedes 77 passa pelo 44 que, pouco tempo depois, acaba também passado por Lando Norris e o seu carro cor de laranja. O piloto da McLaren Mercedes consegue, assim, chegar ao pódio mesmo após ter sido o primeiro premiado com os cinco segundos da FIA. Enquanto isto, Russell continua em P10 e Stroll levou com cinco segundos por ir demasiado rápido na pit lane.

Depois de algumas, boas, voltas a defender muito bem a sua P10, Russell acaba por cair para P11 ao ser ultrapassado pelo Alpine de Fernando Alonso. O espanhol volta assim a conquistar mais um ponto, tão importante para a equipa francesa na luta pelo 5º lugar, e mostra que está em melhor forma que o seu colega de equipa… não por causa desta corrida, mas por já levar mais oito pontos que Ocon. Mas bem, o resumo das penalizações já vai longo, por isso vou fechar ao dizer que Tsunoda levou outros cinco segundos de penalização por ter voltado a pisar a linha que separa a entrada das boxes do resto da pista.

Sobre a corrida resta dizer que, 71 voltas e 6 penalizações depois, Lando Norris foi o piloto do dia, Max ganhou e ainda conquistou a volta mais rápida com 1:06:200. Carlos Sainz Jr. fez uma excelente corrida e conseguiu colocar-se à frente de Ricciardo, que acabou em P7. Ah e sim, na última volta houve ainda contacto entre Kimi Räikkönen e Vettel, o que empurrou os dois ex-Ferrari para P16 e P17 e, como bónus, deu um DNF ao piloto da Aston Martin.

Acho que a FIA não penalizou ninguém desta vez.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Max VerstappenRed Bull Racing Honda182
2Lewis HamiltonMercedes150
3Sergio PérezRed Bull Racing Honda104
4Lando NorrisMclaren Mercedes101
5Valtteri BottasMercedes92
6Charles LeclercFerrari62
7Carlos SainzFerrari60
8Daniel RicciardoMclaren Mercedes40
9Pierre GaslyAlphaTauri Honda39
10Sebastian VettelAston Martin Mercedes30

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Red Bull Racing Honda286
2Mercedes242
3Mclaren Mercedes141
4Ferrari122
5AlphaTauri Honda48
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análise – F1 2021 (PlayStation 5)

F1 2021, tal como MotoGP 21, marca o início de um futuro espetacular para os jogos de desporto motorizado. A partir de agora é sempre a subir!

Fórmula 1 – Grande Prémio da Estíria com vitória esmagadora de Max Verstappen

Quase um ano depois estamos de volta à Áustria, desta vez para o Grande Prémio da Estíria, para ver o Red Bull de Max Verstappen a ter uma vantagem soberba sobre o segundo classificado, Lewis Hamilton.

Fórmula 1 – Grande Prémio de França com furos na estratégia da Mercedes

A Fórmula 1 voltou ao circuito Paul Ricard com a edição de 2021 do Grande Prémio de França e, se durante os treinos e qualificação, ficou a ideia que os Pirelli podiam sair furados novamente, afinal foi a estratégia da Mercedes que saiu feita em pedaços. No fim, quem festejou foi a Red Bull: vitória de Max Verstappen e 3º lugar para Sergio Pérez.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Azerbaijão – Animação até ao fim graças à Pirelli

Mais um fim de semana de Fórmula 1, desta vez para o Grande Prémio do Azerbaijão, e mais um fim de semana de emoções fortes, mas desta vez graças à má qualidade dos pneus Pirelli.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Domino’s Pizza abre segunda loja em Braga

É a 40ª loja da marca em Portugal.

Última temporada de The Walking Dead vai ser dividida em três partes

A série principal terminará algures em 2022.