Fórmula 1 – Grande Prémio Cidade do México reforça liderança de Max Verstappen e leva Pérez ao pódio

Com o público mexicano a encher as bancadas para o Grande Prémio Cidade do México, foi a Red Bull que saiu vencedora. Depois de uma qualificação, dominada pela Mercedes, com momentos menos bonitos da equipa austríaca, Max Verstappen conseguiu subir ao lugar mais alto do pódio, seguido de Lewis Hamilton e do piloto da casa, Sergio “Checo” Pérez.

- Publicidade -

Depois de três sessões de treino dominadas pela Red Bull, ninguém estava à espera que fosse a Mercedes a conseguir trancar a fila da frente, conseguida a Pole Position e a segunda posição na grelha de partida para a corrida de domingo. Valtteri Bottas surpreendia tudo e todos ao conseguir pole logo seguido de Lewis Hamilton, enquanto que os pilotos da Red Bull tinham que se contentar com um P3 e P4 para a partida. A tarefa da Red Bull não agoirava ser fácil, mas a equipa mostrava querer lutar contra tudo e contra todos… até contra Yuki Tsunoda. Pobre rookie. Foi vítima de comentários menos positivos por parte do wannabe campeão do mundo (leia-se alguém que quer ser algo que ainda não é) e da pessoa forte da Red Bull, ao acusarem o japonês de lhes ter estragado a última tentativa da Q3, quando, na verdade, essa tentativa já vinha a ser estragada por Max desde o primeiro setor.

No entanto, a qualificação não é a corrida, e a corrida não é a qualificação. Semáforos vermelhos apagam e os carros seguem. O arranque de Max Verstappen é fenomenal e, antes de chegar à zona de travagem para a curva 1, já está lado a lado com ambos os Mercedes. Com Hamilton do lado “sujo” da pista, Max acaba por atacar a primeira curva pelo lado de fora, travando mais tarde que ambos os Mercedes, conseguindo assim a liderança da corrida logo à saída da primeira curva. Mas calma, que a “vida” da Mercedes estava a breves segundos de ficar (ainda) mais complicada.

Grande Prémio Cidade do México
Crédito: Racefans.net / XPB Images

Na chegada à primeira curva, Bottas trava cedo, quando comparado com Max e Hamilton, e já vinha a ser apanhado pelo McLaren de Daniel Ricciardo, piloto que tem por hábito travar tarde. O McLaren tenta passar por dentro, mas acaba por tocar na traseira do Mercedes. O resultado foi: meio pião de Bottas, uma asa frontal a menos para Ricciardo, uma confusão na pista e Yuki Tsunoda e Mick Schumacher de fora após toque com Esteban Ocon. Ah sim, e Safety Car.

Pelo fim da volta 4 está o safety car de volta à pit e Max arranca de forma fenomenal, mais uma vez, conseguindo logo ficar cerca de um segundo à frente do seu maior rival, Lewis Hamilton. Volta 7 e a vantagem já está nos 2.1 segundos. O Red Bull está com um ritmo muito superior… quem viu e quem vê o Mercedes de Hamilton. Não fosse a sua qualidade enquanto piloto e podia ter ainda mais problemas. Sergio Pérez ia fazer tudo por tudo para conseguir pelo menos a P2 neste que é o Grande Prémio do seu país.

Quem também estava a fazer uma boa corrida, e assim continuou até ao fim, mesmo que com umas trocas de posição a mando da equipa, eram os dois Ferrari. Charles Leclerc estava em P5, Carlos Sainz Jr. em P6, e assim continuariam até ao fim. Na verdade, depois das primeiras curvas, a corrida foi tão morna que, ao olharmos para o top 6, na volta 7 ou na volta 71 nada muda. Verstappen, Hamilton, Pérez, Pierre Gasly, Leclerc e Sainz. Nada de McLaren, não é? Festa para os italianos da Ferrari, que assim conseguem respirar de alívio no que toca à posição no campeonato do mundo de construtores.

Como vos disse, os eventos não foram muitos, mas também vos disse que o carro de Lewis era 0 contra o carro de Max, certo? Posso resumir assim:

  • Volta 14: Max Verstappen (4.8 segundos) Lewis Hamilton
  • Volta 19: Max Verstappen (6.7 segundos) Lewis Hamilton
  • Volta 43: Max Verstappen (10.2 segundos) Lewis Hamilton
  • Volta 51: Max Verstappen (13.1 segundos) Lewis Hamilton
  • Volta 71: Max Verstappen (16.5 segundos) Lewis Hamilton

E se a diferença entre o P1 e o P2 ia aumentado, a diferença entre o P2 e o P3 ia diminuindo. Max fugia, Sergio aproximava-se e Lewis… Lewis fazia contas à vida. Sem dúvida que estamos perante três bons pilotos, mas não fosse a qualidade, e o quão estável é a condução do piloto britânico, a segunda posição no Grande Prémio Cidade do México tinha mesmo ficado em casa, com Sergio Pérez.

No fim, com o segundo carro da Mercedes fora dos pontos, Bottas ainda teve a oportunidade de parar duas vezes para meter pneus de mistura macia e assim tentar “roubar” a volta mais rápida (1:17.774) a Max Verstappen, de forma a conseguir manter a equipa britânica no topo da tabela no que toca ao campeonato do mundo de construtores. Se na primeira tentativa apanhou Max pelo caminho e não conseguiu, na segunda tentativa, durante a última volta, conseguiu mesmo fazer o tempo mais rápido, roubando assim um ponto ao piloto à Red Bull.

Grande Prémio Cidade do México
Crédito: Formula1.com

Destaque ainda para os pontos de Fernando Alonso, em P9, e para a P10 de Lando Norris. O piloto da McLaren começou a corrida em P18 e recuperou oito lugares de forma a conseguir o único ponto que a McLaren consegue neste Grande Prémio, mas um ponto que pode ser importante na luta pelo 3º lugar no campeonato de construtores. Destaque também Lance Stroll, que começou em P20 conseguiu subir seis posições e terminar em P14. E sim, Max Verstappen está 19 pontos à frente numa altura em que faltam quatro corridas para o fim da época de Fórmula 1 em 2021.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Max VerstappenRed Bull Racing Honda312.5
2Lewis HamiltonMercedes293.5
3Valtteri BottasMercedes185
4Sergio PerezRed Bull Racing Honda165
5Lando NorrisMcLaren Mercedes150
6Charles LeclercFerrari138
7Carlos Sainz Jr.Ferrari130.5
8Daniel RicciardoMcLaren Mercedes105
9Pierre GaslyAlphaTauri Honda86
10Fernando AlonsoAlpine Renault 60

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes478.5
2Red Bull Racing Honda477.5
3Ferrari268.5
4Mclaren Mercedes255
5Alpine Renault106
6AlphaTauri Honda106

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio do Qatar leva Alonso ao pódio. Sim, Hamilton ganhou e a emoção continua

Lewis Hamilton conseguiu a pole para o Grande Prémio do Qatar e Max Verstappen até conseguiu o segundo lugar na grelha de partida. No entanto, a FIA decidiu intervir...

Fórmula 1 – Grande Prémio de São Paulo: Três dias que mostraram porque é que Hamilton é sete vezes campeão do mundo

Desta vez era o público brasileiro que enchia as bancadas do Autódromo José Carlos Pace em Interlagos, São Paulo. E que espetáculo que presenciaram. Lewis Hamilton conseguiu mostrar, no Grande Prémio de São Paulo, o porquê de ser sete vezes campeão do mundo. Depois de uma desqualificação na qualificação para a Sprint e uma penalização de cinco lugares para a corrida, conseguiu acabar 10 segundos à frente do líder do campeonato, Max Verstappen.

Fórmula 1 – Grande Prémio dos Estados Unidos foi uma das melhores corridas do ano

Com Max Verstappen a partir da pole position, mas depressa a perder a liderança da corrida para Lewis Hamilton, logo se percebeu que o Grande Prémio dos Estados Unidos ia ter emoção. No fim, com a vitória do piloto da Red Bull e a volta mais rápida para o piloto da Mercedes, posso-vos dizer que foi uma das melhores corridas do ano... faltam cinco.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Moovit já mostra por onde estão espalhadas as trotinetes Link

E também permite comparar as viagens de trotinete LINK com outros meios de transporte local, de modo a que possam selecionar a opção que melhor se adequa às necessidades dos viajantes.

Cientistas da Universidade de Coimbra revelam como a doença de Parkinson pode ter origem no intestino

Conclusões de um estudo que decorreu durante os últimos cinco anos.

Festival Authentica reconfirma De La Soul e Nothing But Thieves para 2022

O Authentica receberá cerca de 30 artistas internacionais e nacionais.