Voltámos ao Restaurante Estação Menina Bonita para descobrir que agora temos robôs a servir brunches

- Publicidade -

O melhor de tudo? A comida continua ótima.

Quem nos acompanha certamente terá reparado quando, em novembro do ano passado, demos a conhecer o restaurante mais tecnológico de Lisboa. Sim, falamos do Restaurante Estação Menina Bonita, que nos leva numa viagem de sabores, mas onde também pudemos descobrir que o seu conceito deve muito à história de amor entre os proprietários.

Bom, a experiência foi tão boa que, meses depois, voltámos ao espaço para conhecer a sua mais recente novidade: um menu de brunch. Mas já lá vamos.

Novamente com o proprietário Manoel Junior a receber os convidados, fizemos uma nova tour pelo espaço, mas é na entrada que reparamos na maior novidade de todas: a escultura em ferro Anairan, criada por Braga Tepi, um dos maiores artesãos brasileiros, e que finalmente dá as boas vindas a todos os clientes no Restaurante Estação Menina Bonita.

Trata-se de uma anja com mais de três metros de altura, com asas abertas, uma águia no braço esquerdo e uma espada na mão direita, estando ajoelhada e, de certa forma, a impactar logo a entrada. Acredita-se que Anairan abençoa e protege o espaço, transformando-o num lugar mágico. Hão de chegar ainda outras duas esculturas de Braga Tepi, mas já serão feitas em solo português.

Outra novidade anunciada, mas ainda não implementada – é pelo menos esse o desejo de Manoel Junior – é o facto de, em breve, o menu tornar-se dinâmico. Com isto, pretende-se que, através do smartphone, e lendo um QR Code, o cliente seja levado para a página do menu do Estação Menina Bonita, onde, ao invés de fotos, os pratos serão mostrados em vídeo. Serão vídeos curtos, mas o objetivo é mostrar a rápida preparação dos mesmos, até ao seu aspeto final, para dar aquele salivar. Estamos muito curiosos com este futuro menu multimédia.

Mas vamos então ao menu de brunch. A inauguração deu-se no passado dia 4 de março e o feedback foi excelente, o que permitiu ter a certeza que era para avançar com este “conceito”. Afinal de contas, e com um espaço enorme e tão catita, são várias as formas para potenciar a utilização do espaço, pelo que a disponibilização de um brunch faz todo o sentido. O melhor de tudo? É que, tal como ao almoço e jantar, a qualidade da comida continua a ser ótima.

Há duas opções de menu completo: o Inglês (23,50€), com ovos, bacon, tomate, torradas, feijão doce e panquecas; e o Brasileiro (23,50€) com pão de queijo, cartola, cuscuz com carne seca ou ovos mexidos e panquecas. Ambos os menus incluem um sumo natural à escolha e o menu inglês pode ser também acompanhado de um cappuccino. Mas isto não é tudo.

Verificando o menu do brunch no site oficial, rapidamente constatamos que há dezenas de opções para quem preferir compor o seu brunch à unidade. Sim, fica muito mais caro, mas podem provar muitas mais coisas. Afinal de contas, só assim se deixam transportar pelos aromas e paladares típicos de vários países e regiões do mundo, de Itália ao Brasil, dos Estados Unidos aos Açores e Madeira.

Por exemplo, na nossa mais recente ida ao espaço, para conhecermos o brunch, tivemos oportunidade de degustar várias coisas. Começámos pelos Crudités, constituídos por mix de humus (grão de bico, beterraba e pimentos), tomate cherry, aipo, cenoura e pão pita, para nos abrir o apetite, e dois sumos bem frescos: um de beterraba com laranja, gengibre, maçã e canela; e um outro sumo de laranja com cenoura.

A partir daqui, foram chegando à mesa mais e mais opções que nos deixaram completamente satisfeitos: Tosta Ilha Terceira (ovos fritos, espargos salteados, presunto parma, rúcula, queijo da ilha e tomate seco), Bowl Camerúm (camarão torpedo, salada de quinoa branca e vermelha, espinafre e alho francês grelhado), Cesar Salad (peito de frango grelhado, tomate cherry, alface iceberg, bacon e croutons), a tábua do Menu Inglês (ovos, bacon, tomate, torradas e feijão doce, com o ótimo cappuccino a acompanhar) e, ainda, a fabulosa Sandes Montreal (bagel com salmão fumado, rúcula, queijo creme e pera). Esta última opção foi claramente a nossa preferida – toque da pera a fazer toda a diferença -, mas tivemos de nos controlar para termos espaço para as opções doces.

Sim, porque como dissemos anteriomente, o menu Inglês dá direito a panquecas. E neste caso, tivemos direito a uma trilogia: Panquecas New York (com gelado de limão Häagen-Dazs, mousse de limão e nozes), Panquecas Paris (com morango, creme velvet e mascarpone) e Panquecas Maldivas (com doce de leite, granola e mirtilo). As nossas preferidas? Basta inverterem a ordem com que as começámos a descrever.

No fim de tudo, e vá-se lá saber como, ainda conseguimos despachar um majestoso milkshake, com o qual se podem babar na galeria aqui em cima.

Estas foram apenas algumas das opções devoradas no brunch apresentado pelo Restaurante Estação Menina Bonita, o que significa que o menu ainda é bastante vasto, havendo ainda muitas opções para conhecer. E mal podemos esperar para voltar.

E por falar em voltar ao Estação Menina Bonita, é algo que estará para breve, até porque tem mais novidades prometidas para as próximas semanas. Afinal de contas, só assim se evolui e se dá a conhecer um espaço que todos têm de experimentar pelo menos uma vez na vida.

O brunch na Estação Menina Bonita é servido durante os fins de semana e feriados, das 9h às 15h. Fora disso, o restaurante está aberto todos os dias para almoços e jantares. Para reservas, podem fazer através do site oficial ou ligando para o 915067961.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

Mais recentes