Falta de combustível? Câmara de Lisboa incentiva ao uso das bicicletas

por Echo Boomer

É certo e sabido que a falta de combustíveis está já a causar o caos no país. Depois dos representantes do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) se terem reunido com membros do Governo, as conversações não evoluíram muito, pelo que a greve continua. E isto está em risco de parar o país. Há bombas fechadas e os postos que ainda têm combustível estão completamente lotados.

Pedro Henriques, do SNMMP, referiu à agência Lusa que a adesão é greve é total e que somente “será feito o que está definido nos serviços mínimos, os 40% relativos aos postos de Lisboa e Porto”. Sim, somente Lisboa e Porto, porque o Governo não definiram os restantes municípios do país nos serviços mínimos.

Certo é que faltará muito pouco até o combustível esgotar em todo o país, e, nestas situações, serviços como a INEM pedem para que os cidadãos “possam dar prioridade aos veículos de emergência médica nos postos de abastecimento”.

Além destes veículos de emergência poderem ficar em risco, há vários táxis já parados (a FPT – Federação Portuguesa do Táxi quer que o Governo aprove o pedido de os táxis poderem aceder aos depósitos da Carris (Lisboa) e STCP (Porto)), e isso significa ausência de rendimento para o condutor, e até a TST – Transportes Sul do Tejo já anda a suprimir autocarros na Margem Sul.



Tendo isto em conta, não era de admirar que os cidadãos portugueses começassem a procurar todo o tipo de postos de abastecimento de combustível. Segundo revelou o Kuanto Kusta, houve um crescimento de 410% no que toca a pesquisas pelo combustível mais barato.

Em todo o caso, existem oito militares do Exército, cinco da Força Aérea e dois da Marinha prontos para conduzirem camiões de transportes de combustíveis se tal for mesmo necessário. Mas para isso, o Governo tem de aprovar uma portaria.

Feito esta resumo da situação atual, falemos de um post colocado pela Câmara de Lisboa no Twitter que, para muitos, foi de extremo mau gosto.

Segundo podem constatar, a pessoa responsável pelas redes sociais da Câmara de Lisboa incentivou ao uso das bicicletas elétricas Gira para que as pessoas se possam deslocar.

Como é óbvio, muita gente levou a mal a publicação, uma vez que estas bicicletas, à semelhança das trotinetes, servem para deslocações curtas e para pessoas cuja distância casa-trabalho é reduzida e podem usar estes veículos para circular nas ciclovias.

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: