Facebook vai restringir o alcance de grupos que violam as regras

Será desta que vamos deixar de ver os famosos diretos de venda de roupa e outros produtos?

grupos Facebook
- Publicidade -

Há quem diga que o Facebook está “morto”. Pessoalmente, não poderia discordar mais. Embora não seja, de todo, a rede indicada para fazer diretos, para mostrar onde fomos e o que comemos (para isso existe o Instagram), nem sequer para ter discussões “saudáveis” ou para criar boas comunidades (para isso existe o Twitter, embora longe de perfeito), milhões de utilizadores e empresas em todo o mundo continuam a usar aquela que é, ainda, a rede social mais utilizada do planeta devido ao facto de não só terem os seus amigos por lá (sim, nem toda a gente gosta de usar WhatsApp), mas por ser uma fonte de informação.

Hoje em dia, o Facebook serve principalmente para isto – informar -, embora existam sempre imensas fake news a circular, principalmente vindas de fontes não credíveis ou por parte de amigos ou familiares que não sabem distinguir o que é verídico ou não.

E com tantos utilizadores, muitas empresas acabam por ter largas bases de fãs no Facebook nas respetivas páginas, fazendo com que possam chegar a tanta gente como nunca chegariam noutra rede social, embora o alcance seja cada vez menor (mas pode-se sempre fazer posts patrocinados).

Para ajudar neste aspeto, existem os famosos Grupos de Facebook, criados por páginas ou utilizadores, que tanto podem ser bem como mal geridos. Um Grupo bem gerido limita as publicações que estejam relacionadas com o assunto do Grupo em si; já outros não são geridos e isso faz com que exista uma inacreditável quantidade de spam. E quando me refiro a spam, falo especificamente da quantidade de gente que usa os Grupos do Facebook para fazer diretos onde vendem roupa e outro tipo de produtos.

Posso dizer que sou moderador/administrador numa série de grupos e é quase inacreditável a quantidade diária de pedidos de aprovação por parte de membros que tentam colocar conteúdos dentro dos respetivos grupos, mas cujo assunto não está, em nada, relacionado com os mesmos. Não tenho nada contra esse tipo de diretos, mas façam-nos em grupos relacionados ou direcionados para vendas. Parece-me lógico.

tudo isto para dizer que o Facebook está atento a isto e vai começar a restringir o alcance de grupos que violam as regras. Em casos mais graves, os grupos poderão mesmo ser apagados.

O Facebook defende que os Grupos e respetivos membros que violam as regras devem ter um alcance reduzido, com restrições cada vez mais severas, até que sejam definitivamente removidos. Assim sendo, a rede social vai começar a avisar quem quiser entrar nestes Grupos que está a entrar num Grupo que tem um certo número de violações aos Padrões de Comunidade da rede social. Estes Grupos vão ter ainda menos notificações para convidar novos membros e, para quem já é membro, vai ver a atividade deste grupo com cada vez menos importância no News Feed.

O Facebook também vai começar a exigir que os Administradores e Moderadores aprovem todas as as publicações quando o Grupo tiver um número significativo de membros que violam os Padrões de Comunidade. Se um Administrador ou Moderador aprovar repetidamente um conteúdo que viole as regras, o Grupo é removido.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Facebook passa a permitir publicações anónimas nos grupos

A funcionalidade de publicação anónima permite às pessoas publicarem nos grupos, mas sem que tenham de partilhar publicamente os seus nomes.

Acontece este mês o primeiro evento online pago no Facebook em Portugal

Os Eventos Online Pagos do Facebook são uma nova forma de as páginas ganharem dinheiro com eventos online naquela rede social.

Facebook expande eventos online pagos e subscrições de fãs a Portugal

Desta forma, os criadores de conteúdos têm novas formas de ganhar dinheiro no Facebook.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Palácio Nacional de Mafra vai ser reabilitado

As obras deverão estar concluídas no final de 2025.

Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto vão contar com mais 145 autocarros elétricos ou movidos a hidrogénio

Uma medida que se insere no âmbito da Componente 15 – Mobilidade Sustentável, do Programa de Recuperação e Resiliência de Portugal.

Inaugurado primeiro Espaço Cidadão numa unidade de saúde

Algo que vem facilitar ainda mais a vida aos cidadãos.