Esta exposição é a primeira a utilizar a tecnologia Beacons em Portugal

- Publicidade -

Não sabem o que é a tecnologia Beacons? Bom, essencialmente serve para fornecer conteúdo exclusivo aos visitantes, fazendo que a experiência se torne mais relevante e interativa. Esta é a promessa da exposição Carybé – Aquarelas do Descobrimento, em cartaz no Palácio da Independência, no Rossio, em Lisboa, que apresenta 52 obras (versões aguareladas) em formato 50x40cm emolduradas com vidro e passe-partout sobre o registo mais antigo da existência do Brasil: a Carta de Pero Vaz de Caminha.

A tecnologia Beacons, utilizada em locais como o Louvre, EYE Museum, Guggenheim Museum, American Museum of Natural History, The MET, New Museum e o Metropolitan Museum of Art, dá aqui um ar de sua graça na aplicação Visit Carybé, disponível gratuitamente para Android e iOS. Basta fazer o download e, ao entrarem nas salas da exibição, irão receber diversas informações complementares às 52 telas da mostra. E não, não precisam de ler qualquer tipo de código com a câmara do smartphone.



Além das notificações com a descrição de cada aguarela, os visitantes terão conhecimento que existem duas cartas de boas-vindas (uma do senhor Embaixador Luiz Alberto Figueiredo e outra da curadora Solange Bernabó, filha de Carybé) e de que, no final, poderão partilhar todas as aguarelas, textos e possíveis selfies que tenham feito no Palácio nas redes sociais por WhatsApp ou email, até porque a aplicação cria um catálogo de imagens.

A exposição Carybé – Aquarelas do Descobrimento está em cartaz até dia 1 de junho, podendo ser visitada das 9h às 19h nos dias de semana e das 11h às 21h aos sábados. A entrada é gratuita.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes