Entrevista – O regresso de Dolph Lundgren e de Ivan Drago em “Creed II”

- Publicidade -

A sequela do aclamado filme Creed, realizado por Ryan Coogler em 2015, está quase a chegar aos cinemas. Em Creed II, Michael B. Jordan volta a interpretar o papel de Adonis Creed, que se encontra agora sob a tutela do lendário Rocky Balboa, interpretado por Sylvester Stallone.

Nesta sequela, Stallone faz-se acompanhar de um amigo que, no grande ecrã, vestiu a pele de um dos maiores rivais de Rocky. Dolph Lundgren está de regresso enquanto Ivan Drago, agora também no papel de tutor e de pai de um novo rival para Adonis.

Com a chegada de Creed II aos cinemas e em parceria com MGM, o Echo Boomer teve acesso a uma entrevista com o ator sueco que imortalizou frases como “I must break you” ou “If he dies, he dies”, onde ficámos a conhecer como foi o processo de regressar ao papel de Drago, a sua preparação, as dificuldades e expetativas para este novo capítulo.

Porque é que Ivan Drago se manteve uma figura tão icónica desde que apareceu pela primeira vez em Rocky IV?

Lundgren: Drago foi um atleta de uma geração nova que treinava com tecnologias e equipamentos que, na altura, as audiências nunca tinham visto, e eu trabalhei no sentido de me transformar numa espécie de atleta “perfeito”. Ele era um super vilão, quase como o monstro de Frankenstein. Noutras formas, ele também era um guerreiro relutante porque era pressionado pelos Soviéticos.

46110469272 c06ffa3d08 b
Sylvester Stallone e Dolph Lundgren em Rocky IV

As pessoas que o cruzam na rua ainda vão ter consigo e recitam deixas do Drago, como “I must break you” ou “If he dies, he dies”?

Lundgren: Sim, especialmente agora com o lançamento de Creed II. Neste momento estou a realizar um pequeno filme em Roma onde tive que ir ao médico que me chamou “Ivan”! Como é que podia responder a isso?

Quem é que o abordou para regressar a este papel em Creed II?

Lundgren: O Sylvester Stallone e eu mantivemos sempre contacto ao longo dos anos e ocasionalmente encontramo-nos em Los Angeles. Ele tem três filhas, eu tenho duas, por isso falamos sobre isso e outras coisas.

(A certa altura) Recebi uma mensagem dele a perguntar o que achava sobre fazer novamente de Drago. Ele explicou-me que a ideia era a de explorar “os pecados dos nossos pais.” Isso pareceu-me interessante, mas fiquei com algumas dúvidas porque não queria fazer outra versão do Drago como a de Rocky IV.

Mas as minhas reservas desapareceram assim que li o guião, que mostrava um Drago bem diferente, com profundidade e que não era um símbolo político. O tema dos pecados dos nossos pais, o foco da relação de Drago com o seu filho Viktor e mesmo com o Rocky e Adonis também são bastante interessantes. E eu pensei: “wow, tenho que fazer isto.”

Foi criada alguma história de fundo para o Drago sobre o que aconteceu entre os dois filmes?

Lundgren: Normalmente tento criar uma história de fundo complexa, mesmo quando o guião já é bom. Fiquei fascinado com a queda de Drago, como ele foi vivendo, o que aconteceu ao seu casamento… Como é que lhe correu a vida ao longo destes anos? Como é que ele se sente em relação ao sucesso emergente de Adonis Creed, agora que o seu filho também se está a tornar num lutador?

Ivan tenta criar um plano de redenção ao reviver o seu passado junto de Viktor. Ivan tem um certo ódio que não é dirigido só à Rússia ou à América, mas a todo o mundo, e isso reflete-se no filho.

O que é que tornou Florian Munteanu a escolha certa para fazer de Viktor em Creed II, uma vez que é a sua estreia enquanto ator?

Lundgren: Foi o Stallone quem escolheu o Florian, ele sabe escolher bastante bem os atores. Não é a primeira vez que ele descobre alguém. (Risos)

A minha primeira impressão do Florian é que ele, de facto, parecia um boxer bastante intimidante, que podia muito bem ser o filho de Ivan Drago. Ele é bastante forte, atlético e tem um físico muito muscular. Ele parecia-se comigo quando tinha 27 anos, talvez até mais musculado do que eu. Há 30 anos pratiquei karaté, por isso tinha músculos longos.

Também fiquei impressionado com a inteligência e capacidades de Florian, ele é muito mais consciente da sua carreira agora do que eu na idade dele. Ele é muito atencioso e comprometeu-se bastante para este filme.

45437170734 cb0f653091 b
Florian-Munteanu em Creed II

Ivan já não luta dentro do ring, mas ainda é uma figura “maior que a vida.” Fez algum tipo de treino especial para Creed II?

Lundgren: Eu tentava andar sempre em boa forma, mas, quando fui contratado para este filme, comecei a fazer pesos para ficar mais musculado. Vi o Florian e queria parecer forte ao lado dele – ser aquele tipo de pai com quem ninguém se quer meter. Por isso treinei cerca de três a quatro meses, cinco dias por semana, duas vezes ao dia, a fazer cardio de manha e a levantar pesos à tarde.

Assim que se se aproximaram as filmagens e fechámos a personagem com Steve Caple Jr (realizador), tentamos fazer um Ivan mais velho, pálido, um pouco menos saudável. Para isso, o Steve deu-me fatos e roupa dois tamanhos acima do meu para parecer que ele perdeu peso. Demorei algum tempo até me habituar a isso, mas percebi rapidamente que a ideia não era o Ivan parecer um tipo duro. A sua jornada é mais pessoal.

Durante Rocky IV teve algumas falas em russo, mas muitas mais neste filme. Como é que foi aprender a lingua?

Lundgren: Foi muito difícil. Eu sei um pouco de russo, mas, neste filme, há cenas dramáticas entre Ivan e Viktor, onde só falamos russo. Foi especialmente difícil exprimir emoções como raiva ou dor quando tive que falar noutra língua. Felizmente tive quase três meses para me preparar e espero que isso faça a personagem mais autêntica.

Eu tive uma treinadora de russo que era rígida. Eu fazia aquilo que pensava que era um bom take para uma cena onde falava russo, mas logo a seguir pediam-me para repetir porque ela tinha sempre um problema qualquer com a linguagem. Eu não ficava nada contente com isso, até porque, às vezes, eram quatro da manhã e já tinha feito muitos takes. Mas fiquei satisfeito por termos muitos figurantes russos, alguns até me disseram que o meu russo era bastante bom.

Como é que foi trabalhar com o realizador Steven Caple Jr.?

Lundgren: Eu adoro o Steven. Ele é um tipo ótimo, adorável e muito inteligente. Ele trabalha muito com os atores e foi muito protetivo com o Florian por este ser o seu primeiro trabalho de ator.

Mesmo que estivesse a acontecer um milhão de coisas no set, o Steven arranjava sempre tempo com todos os atores para nos ajudar a dar o nosso melhor.

Sinto-me bastante sortudo com os meus projetos recentes, este e o Aquaman, que têm realizadores cheios de talento. Steven e James Wan respeitam muito os atores.


45437138374 b36155c488 b

Creed II estreia nos cinemas portugueses a 27 de dezembro.

© 2018 Metro-Goldwyn-Mayer Pictures Inc. and Warner Bros. Entertainment Inc. All Rights Reserved


- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Crítica – Prey

Prey cumpre com as expetativas elevadas, sendo o primeiro filme da saga Predator a conseguir chegar perto ou até a ultrapassar o original.

Câmara Municipal de Coimbra vai comprar as duas salas de cinema do Edifício Avenida

Esta decisão surge na sequência do processo de leilão que decorria online na sequência da insolvência dos cinemas Millennium, que ameaçava a continuidade do projeto “Casa do Cinema de Coimbra”.

O novo filme de Super Mario Bros. tem nova data para 2023

Super Mario Bros. tem nova data de estreia para daqui a um ano.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Burlões viram-se para a Vinted para roubar dinheiro

O Portal da Queixa identificou um aumento no número de que envolvem burlas online.

Governo criar criar mais 10 mil lugares de creche em todo o país nos próximos anos

O Estado deixa de apoiar exclusivamente as famílias de mais baixos rendimentos (1.º e 2.º escalões) e passa a abranger todas as crianças independentemente do rendimento das famílias.