fbpx

Ensino superior. Estabelecimentos devem preparar-se para aulas ao sábado

As regras para o próximo ano letivo já foram divulgadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Ensino

Têm filhos no ensino superior e só os costumam ver aos fins de semana? Bom, o melhor é prepararem-se para estar menos tempo com eles, pelo menos presencialmente. É que uma das recomendações às instituições científicas e de ensino superior para a preparação do ano letivo 2020/2021 é o alargamento dos horários de funcionamento também aos sábados.

A preparação do ano letivo 2020-2021 deve assentar em três princípios de base:

  • Atividades presenciais – Deve assumir-se como objetivo que o ensino e a avaliação presencial se mantenham como regra no funcionamento das instituições científicas e de ensino superior no próximo ano letivo. As componentes experimentais das unidades curriculares devem ser concretizadas presencialmente, assim como a sua avaliação. Os horários de funcionamento das instituições devem ser alargados, incluindo o sábado na semana letiva;
  • Adoção de procedimentos realistas – Os planos de contingência das instituições devem adotar medidas de reforço do distanciamento físico e da higienização e desinfeção das instalações, e também, se necessária, a adaptação do tempo e dos espaços letivos e de trabalho no estrito cumprimento da lei;
  • Estimular a inovação e modernização pedagógica – Reforça-se a oportunidade deste período para estimular a experimentação e disseminação de práticas inovadoras de ensino e aprendizagem adaptadas a um sistema de ensino presencial apoiado por tecnologias digitais, assim como formas mistas/combinadas de ensino em todos os níveis de ensino superior.

O mesmo documento enviado às redações refere ainda que as instituições devem proceder ao planeamento da atividade letiva e não letiva, assim como das avaliações, em regime presencial, assegurando, sempre, a obrigatoriedade do uso de máscaras; manter sob especial vigilância os espaços livres, com relevo particular para corredores, cantinas, bares e zonas de convívio das residências de estudantes; adequar a duração de cada aula e das atividades de avaliação dos estudantes, garantindo a renovação adequada do ar e arejamento das salas; garantir, sempre que possível, o planeamento dos espaços; promover campanhas de testes virais e, ainda, incentivar a utilização da app StayAway Covid.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,783FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
630SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Alunos do 11º e 12º ano podem voltar às aulas a 18 de maio. Creches e comércio geral reabrem a 1 de junho

A informação é avançada pelo jornal Público, se bem que estas podem não ser as datas finais.

Ensino superior. Aulas podem recomeçar a 4 de maio

As universidades e institutos politécnicos têm duas semanas para se preparar para essa possibilidade.

Depois dos treinos virtuais e aulas de grupo, Go Fit disponibiliza um guia para continuarmos saudáveis

O guia tem recomendações para ficarmos ativos, para comermos bem, para praticarmos exercícios, entre outros tópicos.

TeleEscola. Aulas do Ensino Básico vão ser transmitidas na RTP Memória a partir de 20 de abril

Foi hoje, em plena conferência de imprensa, que o primeiro-ministro António Costa anunciou uma série de medidas...
- Publicidade -

Mais Recentes

Fonoteca Municipal do Porto tem o maior arquivo sonoro da cidade

Nasceu o maior arquivo sonoro da cidade, com mais de 35 mil discos de vinil.