EDP Comercial vai aplicar ajuste MIBEL a partir de janeiro de 2023

- Publicidade -

De acordo com a empresa, o valor global da fatura de eletricidade dos clientes residenciais da EDP Comercial irá variar, em média, cerca de 3%.

Foi por volta do verão que muitos portugueses tiveram uma desagradável surpresa quando repararam que a sua fatura da eletricidade tinha escalado de preço, em muitos casos indo para o dobro do que, até então, vinham a pagar. Deve-se tudo ao Mecanismo de Ajuste MIBEL.

Basicamente, as empresas de eletricidade acordaram com os clientes um determinado valor por kWh antes da guerra entre a Ucrânia e a Rússia. O problema é que, com a guerra, a dificuldade em obter gás – uma das formas de produção de eletricidade – a preços dito “normais” passou a ser muito maior, o que fez com que estas empresas passassem a comprar eletricidade muito mais cara do que estava previsto.

Para isso, foi criado o mecanismo de ajuste para travar um pouco os preços da eletricidade, mas quem vai pagar a diferença, no final de contas, são os consumidores. Convém referir que estes valores extra não ficam para as empresas de eletricidade, mas sim para as centrais a gás, para o fornecimento de energia. E sim, é perfeitamente legal: a medida está no Decreto-Lei 33/2022 e pode aplicar-se a contratos celebrados ou renovados depois de 26 de abril de 2022.

Ora, quando se começou a falar neste mecanismo de ajuste MIBEL, empresas como a Galp, Iberdrola, Muon e outras começaram logo a aplicar este valor suplementar, mas não foi o caso da EDP Comercial, Endesa e Goldenergy, que garantiram que não iriam aplicar o mecanismo de ajuste até 31 de dezembro deste ano. Porém, 2023 não promete ser muito amigo da nossa carteira

Esta semana, a EDP Comercial disse à agência Lusa que, “a partir de 1 de janeiro de 2023, o valor global da fatura de eletricidade dos clientes residenciais da EDP Comercial irá variar, em média, cerca de 3%”.

De acordo com a EDP, essa variação “inclui não só uma atualização do tarifário da EDP Comercial, refletindo a volatilidade do custo de aquisição de energia e a descida das Tarifas de Acesso às Redes ainda provisórias, como também a melhor estimativa do que será o custo do Mecanismo de Ajuste do Mercado Ibérico de Eletricidade”. Isto significa que o custo do mecanismo MIBEL “irá variar mensalmente e estará discriminado na fatura de cada cliente”.

Já a Endesa e Goldenergy ainda nada disseram sobre este ajuste, mas, tendo em conta o que se passa com as outras empresas, é bem provável que também passem a aplicar este ajuste no próximo ano.

A solução para fugir ao MIBEL? O mercado regulado

A SU Eletricidade, antiga EDP Universal, é a única comercializadora de eletricidade do mercado regulado em Portugal Continental. É, para já, a única forma de escapar a esta “taxa”, uma vez que o Governo deu garantias de que, de momento, esse ajuste não seria aplicado no mercado regulado.

- Publicidade -

3 Comentários

  1. 3%???? Mas querem enganar quem??? Os aumentos para uma familia média que gaste actualmente uma média de 100 euros por mês, vai passar para 160 euros ou mais… Ou seja, um aumento de pelo menos60% !!!! Parem de atirar areia para os olhos dos portugueses!!!

    • Boa tarde.
      Em que factos se baseia a sua afirmação de valores ?
      Eu procuro a melhor solução para a minha empresa e gostava de saber onde encontrar esses valores.
      Pode-me indicar o site ou o meio onde obteve essa informação ?

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes