Crítica – “The Highwaymen” A captura a Bonnie e Clyde retratada num filme pouco tenso

The Highwaymen (Emboscada Final em português) é um filme sobre os dois agentes reformados que foram chamados de volta ao trabalho para capturar Bonnie e Clyde, o conhecido casal de criminosos.

Kevin Costner interpreta Frank Hamer e Woody Harrelson incorpora Maney Gault, a dupla de agentes que carrega a narrativa às costas e ainda bem que é assim, porque ambos foram bastante competentes nos seus papéis.

Em relação à história, esta começou um pouco lenta devido às cenas maçadoras que antecedem filmes do género como a típica reunião entre chefias. Sim, aquela reunião onde há sempre um tipo com a brilhante ideia de contratar os agentes que as pessoas naquela reunião lixaram de alguma forma. Felizmente, uma vez ultrapassada esta fase, a narrativa prossegue para o que realmente interessa: a perseguição e a captura de criminosos.

E, embora o filme seja envolvente, a verdade é que não há muito a acontecer. À exceção de alguns arrependimentos por parte de Maney e Frank, as personagens não têm dilemas fraturantes que criem tensão, um elemento que fazia falta ao enredo. Todavia também não é isso que a história promete. O que é prometido é o retrato dos eventos e das pessoas que estiveram por detrás da captura de Bonnie e Clyde, e tal é cumprido.

The Highwaymen é tão fiel a este princípio que só vemos o rosto dos criminosos no fim do filme.

Tendo em consideração os aspetos mencionados, não temos a certeza se The Highwaymen merece uma recomendação. Ainda que a sua visualização tenha sido uma experiência agradável, não se pode negar que o ponto forte do filme são os atores. Tudo o resto é mais ou menos. Portanto, tudo o que vos podemos oferecer é a nossa hesitação, e talvez isso vos ajude a tirar uma conclusão.

The Highwaymen estreia no próximo dia 29 de março na Netflix.

Nota: Criticas 3 Estrelas

2 Comentários

  1. Assistindo nesse exato momento. E confesso.. .É muito lento mesmo rsrs. Eu até fui verificar a duração novamente, pois pensei q fosse uma série tamanha é a demora do q vai acontecer. Esperava mais.

    • Os primeiros 20 minutos são realmente lentos mas depois do encontro entre as personagens principais, o filme melhora bastante. A personagem do Woody Harrelson até é um tipo engraçado e acrescenta mais ritmo ao filme.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,079FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Crítica – Hillbilly Elegy

Hillbilly Elegy sofre com a sua narrativa formulaica presa num loop cansativo de cenas superdramáticas que escalam demasiado rápido.

Bem Bom, filme sobre as Doce, adiado para 2021

Também Sombra, O som que desce da terra e Amadeo foram adiados para o próximo ano.

Crítica – Relic

Relic é um daqueles típicos filmes de horror que dividem críticos e audiências um pouco por todo o mundo.

Pokémon The Movie: Secrets of The Jungle ganha primeiro trailer dobrado em Inglês

Esperemos que o filme fique disponível por cá em meados do próximo ano.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Chamadas de valor acrescentado têm os dias contados

A proposta do PAN foi aprovada no Orçamento do Estado para 2021 e não teve votos contra.

Lewis Hamilton, Dua Lipa e outros transformam-se em jogadores virtuais no modo VOLTA de FIFA 21

O que quer dizer que irão defrontar e jogar com estas personalidades.

Crónica dos Bons Malandros. Série estreia na RTP a 2 de dezembro

Depois do livro e do filme, uma série de oito episódios. Marco Delgado, Maria João Bastos, Rui Unas, Joana Pais...