Crítica – Ted Lasso (Temporada 1)

Como juntar futebol e comédia de forma refinada numa série de televisão? A nova série da AppleTV+, que se dá pelo nome de Ted Lasso, traz a resposta a essa questão de forma simples, mas inteligente.

Ted Lasso

Jason Sudeikis é Ted Lasso, um treinador de futebol americano com um método pouco ortodoxo e que, inesperadamente, é contratado para treinar uma equipa tradicional de futebol… em Inglaterra.

Sabendo que a sua experiência com o futebol é zero, encontra um conjunto de jogadores com um feitio complicado e uma localidade sem qualquer fé no seu trabalho. Fica a questão no ar: Será que Ted Lasso vai conseguir vingar?

Para os que já conhecem Ted Lasso (que surgiu de uma promo da NBC para a Premier League), a temática não é nova e o primeiro episódio contem até conteúdo que já existe no YouTube há uns anos. No entanto, a Apple viu em Ted Lasso uma oportunidade de ouro com potencial para ser explorada mais a fundo e, com base nesta primeira temporada, conclui-se que Ted Lasso é, de facto, uma aposta bem pensada.

Isto também se deve à premissa ser deveras interessante que é construída de forma inteligente, à química entre Jason Sudeikis e Brendan Hunt, mas, sobretudo, a Jason Sudeikis, que é francamente bom no papel de Ted Lasso. A humanidade e paternalidade do ator ajusta-se de forma muito natural ao papel que lhe é empregue.

Eu, como amante de futebol e apreciador de uma boa comédia, posso dizer que Ted Lasso é uma série pela qual vale a pena ter Apple TV+. Esta temporada de estreia completou-se e concluiu-se com distinção, fazendo justiça ao potencial desenvolvimento do enredo e das personagens. A sensação que fica é que Ted Lasso é uma série sobre futebol, mas que o transcende, pegando em tudo de bom que este tem e amplificando-o numa bonita narrativa.

Ted Lasso torna-se, assim, numa série sobre a amizade, companheirismo, bom senso, respeito pelo próximo, transmissão de positividade e fair-play. Chega a ser poético o paralelismo inverso entre o início e o fim da série, sendo que no início Lasso chega ao Reino Unido e é obrigado a aprender tudo sobre o futebol, enquanto é descredibilizado e gozado por todos. Chegamos ao fim da temporada e na realidade foi o “futebol” que aprendeu com ele e quem gozou com ele percebe que fez figura de urso. Fosse a realidade mais parecida com esta ficção e o futebol era um desporto bonito com mais respeito e tolerância entre clubes e adeptos.

As imensas lições que se tiram desta humilde série de comédia são todas elas passadas em tom de brincadeira, mas não podiam ser mais sérias e urgentes. Num mundo cada vez mais dividido em extremismos na falsa busca pela utopia, é refrescante encontrar material de qualidade onde há ordem na diversidade, respeito por opiniões diferentes discutidas com pre-disposição em aprender, evoluir e crescer.

Tudo isto acontece graças à panóplia de personagens distintas e únicas com que somos presenteados e à forma como mentalidades tão diferentes se conseguem entender e complementar. No meio destas personagens fantásticas, é sem dúvida Ted Lasso a estrela que brilha mais intensamente, à semelhança desta primeira temporada.

Considero que, apesar de Ted Lasso passar uma mensagem fantástica e ter as ideias no sítio certo, ainda não é esta temporada que vai levar a Apple conseguir chegar às nomeações para prémios enquanto produtora. No entanto, se melhorias forem feitas a nível técnico e se limarem arestas na escrita, tenho a certeza que poderá ser possível.

Ted Lasso já está disponível na Apple TV+.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,850FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

Série Ted Lasso estreia já no próximo mês na Apple TV+

Queriam uma nova série de comédia por parte da marca da maçã? Pois está quase a chegar.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Fórmula 1 – Grande Prémio de Portugal dá recorde a Lewis Hamilton

92. É este o número de vitórias de Lewis Hamilton enquanto piloto de Fórmula 1. Este fim-de-semana, no Grande Prémio de Portugal, em Portimão, o piloto britânico bateu o recorde de 91 Grandes Prémios ganhos, que pertencia ao alemão Michael Schumacher.

Análise – 9 Monkeys of Shaolin

Viajem até à China Medieval numa busca por vingança e muita ação.