Star Wars Visions – A Guerra das Estrelas viaja ao mundo dos Animes

O Universo de Star Wars aos olhos dos maiores artistas da animação japonesa era exatamente o que faltava à franquia.

- Publicidade -

Não é a primeira vez que Star Wars é adaptado em meios animados, mas é a primeira vez que vai “full anime”, com a nova antologia Star Wars: Visions. Sete estúdios, nove curtas e histórias completamente novas inspiradas nos mitos e lendas que foram dadas a conhecer ao longo de décadas fazem parte de uma coleção que, esperamos nós, seja o início de um novo rumo para a saga. Um pouco como tivemos no passado com Halo: Legends e The Animatrix.

Star Wars Visions surpreendeu-nos. Curtas e antologias são, por natureza, difíceis de executar de forma tão satisfatória, pois cada história é a sua própria bolha e universos tão diversos como Star Wars são propícios a opiniões diferentes dependendo daquilo que os fãs e os curiosos gostam. Felizmente, esta aposta da Lucasfilm, apesar de variada, aproveita o melhor que Star Wars tem para oferecer. Desde lutas de sabres de luz, a códigos de honra de Jedis, aos dramas e conflitos das personagens e até na expansão do universo por caminhos super interessantes.

De uma forma geral, ficámos rendidos. E como é difícil falar de Star Wars: Visions no seu todo, descrevemos de seguida uma breve opinião do que achamos de cada um dos nove episódios (sem spoilers), que esperamos que num futuro, quem sabe, se tornem em algo mais.

Episódio 1 – The Duel (Kamikaze Douga)

A animação a preto-e-branco. A banda sonora e respetiva produção. O combate. Tudo neste episódio piloto grita “STAR WARS”. Considerar-se um fã da saga e não desfrutar deste capítulo no seu máximo é capaz de ser uma contradição.

Episódio 2 – Tatooine Rhapsody (Studio Colorido)

Desconhecia que a série era composta por episódios independentes e isolados, sem um arco narrativo geral. Consequentemente, este capítulo focado numa banda de rock apanhou-me desprevenido. Divertido, excelente canção principal, mas longe do que antecipava.

Episódio 3 – The Twins (Studio Trigger)

De volta ao que os espetadores mais apreciam em Star Wars. A luta de lightsabers neste episódio é incrivelmente cativante devido à animação deslumbrante. Contém também uma fantástica homenagem a uma das sequências mais épicas de toda a franchise. Fãs de The Last Jedi ficarão agradados.

Episódio 4 – The Village Bride (Kinema Citrus)

Até agora, não esperava ver a série conseguir entregar uma história completa, com princípio, meio e fim, em menos de 20 minutos. No entanto, este capítulo cria todo um novo mundo, cultura, comunidade e ainda guarda um minuto brilhante com ação simples mas impactante. Melhor episódio até então.

Episódio 5 – The Ninth Jedi (Production I.G)

Um “estudo de personagem” dedicado aos… lightsabers. É o episódio mais longo da série – mais uns minutitos, vá – onde se explora a arma icónica que tanto, tanto significa para a cultura Jedi. Uma história mais complexa do que parece com excelentes batalhas de… lightsabers! Mais um capítulo de sucesso.

Episódio 6 – T0-B1 (Science SARU)

Animação bonita acompanha uma história emocionalmente convincente sobre um droid que sonha tornar-se num Jedi Knight. Uma lição honesta sobre o que significa ser “one with The Force”. Formulaico, mas não deixa de ser cativante.

Episódio 7 – The Elder (Studio Trigger)

Mais um episódio onde não consegui retirar os olhos do ecrã. Desde o setup que agarra instantaneamente a atenção dos espetadores à inevitavel e entusiasmante batalha de lightsabers – esta repleta de suspense – este capítulo é um dos meus favoritos absolutos. Animação de fazer cair o queixo.

Episódio 8 – Lop and Ochō (Geno Studio)

Provavelmente, o episódio com mais conteúdo e substância, acabando por deixar imenso por explorar. Os prós e contras da colonização de Empire são colocados em primeiro plano, através de uma abordagem mais política. Um duelo de lightsabers lindamente acompanhado por banda sonora épica encontra-se guardado para o final.

Episódio 9 – Akakiri (Science SARU)

O episódio mais negro para terminar uma série surpreendentemente interessante. Jedi, Sith, Light Side, Dark Side. Um balanço interminável entre mindfulness e emoções incontroláveis.

Resumidamente, Star Wars: Visions é uma série surpreendentemente interessante, que ultrapassou todas as nossas expetativas. E mal podemos esperar pela segunda temporada, pois o potencial é tremendo e é fantástico que estejam a dar oportunidades a vários estúdios de animação para contarem as suas histórias e mostrarem o seu estilo.

Podem ver todos os episódios no Disney+.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

O Xbox Game Pass recebe mais Star Wars na nuvem e exclusivos

O Xbox Game Pass Ultimate mostra as suas vantagens com mais nove jogos adicionados ao catálogo.

Star Wars: The Bad Batch vai continuar com uma segunda temporada

O próximo episódio não será o último.

Star Wars: Visions é a nova antologia anime da saga

Estreia já em setembro ao Disney Plus.

Star Wars: The Bad Batch já tem o seu primeiro set LEGO

A série estreou esta semana no Disney Plus.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Blade of Darkness – À lei da espada

Um regresso ao passado competente que merecia algumas melhorias na jogabilidade.

Shadows of Kurgansk – Fujam desta Zona de Exclusão

Mais um jogo de sobrevivência que faz o mínimo para se destacar.