Crítica – “Passo a Passo” – Uma emocionante procura pela felicidade face à tragédia

[yasr_overall_rating size=”medium”]


- Publicidade -

Passo a passo – título original Patients – é um filme francês  baseado na autobiografia de Grand Corps Malade, escrita por Fabien Marsuad, em 2012, como agradecimento a todos os que o ajudaram, e que agora passa para as grandes telas pelo realizador e amigo de Fabien, Mehdi Idir.

Neste filme, Fabien Marsuad “transforma-se” na personagem Ben, um jovem desportista com vinte anos que sonha em jogar basquetebol, mas que, após partir a cervical num grave acidente numa piscina que se encontrava praticamente vazia, fica parcialmente paraplégico. Eventualmente acaba por ir para um centro de reabilitação, onde terá que reaprender a viver. O jovem conta com a ajuda preciosa e uma boa disposição contagiante por parte da equipa médica, fisioterapeutas e enfermeiras que o acompanham nesta nova e difícil fase da sua juventude.

Passo a Passo

E é aqui que Ben começa a perceber que não está sozinho. Existem outros no mesmo estado, outros ainda piores, e que, mesmo assim, não perdem o humor, a esperança e a força de vontade. São estes os seus novos amigos que, juntamente com ele, lutam todos os dias para melhorar, para aprender a viver com as suas limitações e a aceitar as suas novas condições de vida. Ganham a necessidade e humildade para admitir que precisam de apoio, sem medos, sem revolta, sem tristeza e sem sequer se vitimizarem. Para eles, o mais importante é estarem vivos.

É um filme que retrata o processo de reabilitação de jovens gravemente feridos, todos os esforços físicos e psicológicos envolvidos e o relacionamento entre pacientes e a equipa médica. É um comédia dramática que transforma tragédias em aventuras cheias de dignidade e amor-próprio. Tocante, apaixonante, saudável, divertido e que nos deixa, certamente, a pensar. É impossível não sentir um misto de emoções do princípio ao fim e não nos questionarmos sobre alguns aspetos da nossa vida que temos como garantidos e de como reagiríamos se estivéssemos no lugar daquelas pessoas.

É uma lição de vida, como os franceses já nos habituaram, com muito humor e amor à mistura e valores que fazem falta nos dias de hoje. É uma historia que nos absorve do início ao fim e nos dá uma sensação de humildade, respeito pela vida, respeito pelo próximo e, acima de tudo, que reduz todos os nossos pequenos e irrelevantes problemas do dia-a-dia. Faz-nos querer ser melhores pessoas e faz-nos sentir melhor do início ao fim do filme.

Com Pablo Pauly, no papel de Ben, numa interpretação notável, o filme conta ainda com a participação de Soufiane Guerrab, Moussa Mansaly e tantos outros excelentes atores franceses que fazem com que este filme se possa considerar um dos melhores filmes do ano sobre um problema bastante comum, mas pouco falado. Aqui, temos o prazer de saber mais sobre o tema com a leveza que os franceses já nos habituaram. Podemos até comparar este filme com outra grande película francesa, Amigos Improváveis.

Passo a Passo estreia nos cinemas nacionais a 1 de março.

Texto de: Mafalda Fidalgo

- Publicidade -

1 Comentário

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Dragon Ball Super: Super Hero é o nome do novo filme

Foi revelado o teaser que anuncia esse mesmo nome, bem como um primeiro olhar ao design de algumas personagens.

Mini-Críticas Cinema – Edição 2021

Normalmente preparo este tipo de artigo perto do final de cada ano com mini-críticas que fui guardando de alguns filmes para os quais não tive tempo de escrever uma opinião mais extensa.

1618 é o filme português mais premiado de sempre

1618 ainda não tem data de estreia em Portugal, dada a pandemia em curso.

Crítica – Black Widow

Black Widow homenageia lindamente a icónica Natasha Romanoff, que finalmente recebe o filme a solo que sempre mereceu, digno do seu legado inesquecível. Uma despedida emotiva a uma heroína que inspirou milhões de espectadores.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

LENNA. Nova marca aposta em sapatos vegan, sustentáveis e feitos em Portugal

Na verdade, trata-se de uma fusão entre alpercatas e ténis. E é bem provável que tenhamos aqui a sensação do verão.