Crítica – “El fotógrafo de Mauthausen” baseia-se nos eventos decorridos durante o Holocausto. Mas será o filme sobre isso?

El fotógrafo de Mauthausen é um filme espanhol assente nos acontecimentos ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial. Pelo menos, é o que parece à superfície, mas, à medida que a história se desenrola, uma questão surge: Este filme é sobre a Segunda Guerra Mundial ou sobre as narrativas que podem ser inventadas através da fotografia?

- Publicidade -

A resposta a esta pergunta é incerta. Por um lado, o filme retrata a crueldade, o sofrimento e a capacidade de superação humana, e, nesse sentido, pode-se dizer que se debruça sobre as dinâmicas desenvolvidas entre as vítimas e os seus violentadores. Por outro lado, o filme parece querer lembrar as pessoas de que as fotografias nem sempre capturam a verdade, mas quase sempre expõe as intenções e a perspetiva pessoal do fotógrafo que as produz.

E, ainda que estas duas vertentes do filme pudessem ter sido imiscuídas de forma completamente homogénea ao longo da história, fica-se com a sensação de que ambas se comparam para ver qual é a que sobressai mais. Ao invés de se verificar uma harmonia entre temas de forma a justificar o título do filme, deparamo-nos com um confronto entre “El fotógrafo” e o campo de concentração “Mauthausen” para determinar qual dos dois é a referência dominante.

El fotógrafo de Mauthausen

Ainda neste seguimento, constata-se uma outra dualidade: a alternância entre os fotógrafos. Todavia, ao contrário da ambivalência entre temas, esta é uma duplicidade construtiva, pois estabelece uma contraposição equilibrada entre o heroísmo e a determinação do prisoneiro Francesc Boix (Mario Casas) e o voyeurismo e a covardia de Paul Ricken (Richard Van Weyden), um comandante nazi fascinado com a decrépita condição humana a que os prisioneiros estavam sujeitos.

Ou seja, este filme apresenta, pelo menos, dois contrastes com efeitos opostos. Um deles fortalece a narrativa e prende o espetador, já o outro confunde, e, em última análise, aliena. Contudo, dado o peso histórico associado ao filme e o respeito com que El fotógrafo de Mauthausen tratou o tema sem recorrer a cenas escusadamente explícitas para provocar o choque e o escândalo gratuito, é um filme que vale a pena ser visto.

El fotógrafo de Mauthausen está disponível na Netflix.

Nota: Criticas 3 Estrelas

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Red Notice, da Netflix, pode ter duas sequelas

Mas as conversações só agora terão começado.

Scott Pilgrim volta a ganhar vida numa adaptação anime para a Netflix

Depois de um jogo e um filme de culto, Scott Pilgrim testa as águas no mundo dos animes.

Primeiro clipe do filme de Uncharted recria uma das cenas mais icónicas dos jogos

Para que não haja dúvidas que é mesmo uma adaptação.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

A Microsoft adquiriu a Activision-Blizzard e o catálogo da Xbox vai ficar maior

Em breve, Call of Duty, Overwatch, Diablo e World of Warcraft serão jogos produzidos sob a alçada da Xbox Game Studios.

LEGO coloca o mundo inteiro na palma das nossas mãos

Com a recriação de um Globo Terrestre, claro.

Bring Me The Horizon adiam tour europeia e só tocam em Portugal daqui a um ano

Passa de fevereiro de 2022 para fevereiro de 2023.