fbpx

Crítica – Bumblebee

Não parece, mas foi há mais de 10 anos que surgiu no cinema a série Transformers. Até aqui, todos os filmes tinham sido realizados por Michael Bay e, apesar do sucesso nas bilheteiras, essas longas-metragens nunca reuniram consenso positivo junto da crítica especializada, muito menos dos próprios fãs.

Pedia-se, portanto, alguém que pudesse revitalizar a franquia. E isso aconteceu quando foi anunciado Bumblebee, uma prequela que viria a ser realizada por Travis Knight (Kubo e as Duas Cordas).

Com o filme a estrear esta semana nos cinemas, podemos dizer-vos que é facilmente o melhor projeto cinematográfico da saga até agora. É dinâmico, algo nostálgico, com sentimento e que não apresenta a mesma confusão visual dos outros filmes.

Tudo começa na década de 1980, onde o Autobot mais simpático e adorável que conhecemos aterra no planeta Terra ao fugir da guerra que decorria em Cybertron para garantir a sobrevivência da Resistência.

Pouco depois – não vamos contar muito para não estragar a experiência -, somos apresentados à jovem Charlie (Hailee Steinfeld) que, na véspera de completar 18 anos, se vê angustiada com o mundo, ao mesmo tempo que percebe que não lhe vão dar um carro como presente. Porém, tudo muda ao encontrar, perto da oficina onde vai, um carocha amarelo. No que parecia ser apenas mais um carro antigo, descobre que, ali, está um transformer que irá mudar a sua vida por completo.

Além de Charlie e de Bumblebee, temos ainda, entre outras personagens, o Agente Burns (John Cena), um militar que detesta alienígenas e que os quer caçar a todo o custo, e Shatter (Angela Basset) e Dropkick (Justin Theroux), os únicos Decepticons e, consequentemente, vilões que perseguem Bumblebee na Terra.

Se estavam à espera que este fosse mais um típico filme Transformers, desenganem-se. Bumblebee não tem explosões em demasia, não é demasiado longo, e, acima de tudo, foca-se na história e nas relações entre personagens.

A química entre Bumblebee e Charlie é fantástica porque ambos complementam-se na perfeição um ao outro. Ambos têm um passado marcado por traumas emocionais e a ligação/afeto entre eles é bem mais fácil de acontecer naturalmente.

Acima de tudo, Travis Knight mostrou, além de muita sensibilidade, que sabe, de facto, contar uma história. Como este filme é uma prequela, houve tempo para explorar mais as personagens. E, apesar do argumento não ser perfeito – há clichés, momentos previsíveis, outros mais infantis, etc -, o filme é bastante simples de seguir. A ação e o ritmo do filme não são difíceis de acompanhar, ao contrário dos anteriores filmes, onde existia demasiado ao mesmo tempo e explosões sem fim. Continua a existir, contudo, alguma violência, mas já não é tão gráfica e tão gratuita. Esta era uma mudança necessária.

A nível da prestação dos atores, o destaque vai, claramente, para Hailee Steinfeld, capaz de nos convencer ora nos momentos mais dramáticos, ora em cenas mais leves, com algum humor à mistura. Já John Cena não nos cativou uma vez que é a típica personagem que atira antes de ouvir, mas já vimos pior, muito pior. Contudo, os vilões Shatter e Dropkick são mais do mesmo. E isso não é problema dos atores que lhes dão a voz, atenção.

Importa também destacar a qualidade dos efeitos visuais dos robôs, excelentemente apresentados com cores fortes e vivas. E se antes havia muita poluição visual e era difícil perceber o que realmente estava acontecer, aqui não vai acontecer esse problema. A câmara é bem firme.

A fotografia é também bastante boa, variando de tom consoante o que se precisa de contar no grande ecrã. Já a banda sonora irá agradar principalmente a quem vibra com música dos anos 80, fazendo-nos lembrar logo da primeira vez que vimos algo do género com Os Guardiões da Galáxia, a apelar a um revivalismo. The Smiths? Rick Astley? A-ha? Está tudo aqui.

Se Bumblebee é suposto ser o reboot da franquia, então podemos dizer que acertaram. Simples, desprentensioso e direto ao acontecimento, este é um filme autêntico e que irá agradar àqueles que já esperavam por um filme em condições da saga Transformers.

Bumblebee estreia nos cinemas nacionais a 20 de dezembro.

Nota: 


- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
628SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Vem aí um filme sobre a vida de Madonna

E o guião está a ser desenvolvido pela própria.

Filme sobre Salgueiro Maia chega aos cinemas em abril de 2021

Depois da retoma das gravações, já sabemos o dia de estreia nas salas portuguesas.

Crítica – Mulan (2020)

Mulan é um filme que muito difere da versão animada e original de 1998. E é provável que muitos fãs não fiquem agradados com esta película live-action.

Crítica – Tenet

Christopher Nolan não é o "salvador do cinema" (ninguém será), mas entrega indisputavelmente o blockbuster que todos esperavam desde o início do ano
- Publicidade -

Mais Recentes

Science4You lançou para o mercado o primeiro brinquedo do mundo sobre a COVID-19

A nova aposta da marca pretende que os mais novos aprendam sobre o mundo da imunologia e de que forma se podem proteger de vírus, fungos e bactérias, através de várias experiências e ferramentas didáticas.

MO lança linha especial de longsleeves anti-COVID para crianças

A coleção é inteiramente desenhada e fabricada em Portugal.