Cocas, põe-te a pau! Chegou a “Avenida Q”!

Irreverência, emoção e muita comédia. São estes os ingredientes principais deste musical, importado da Broadway e vencedor de 3 Tonys.

- Publicidade -

Escrito por Robert Lopez e Jeff Marx, esta peça aborda a vida de várias personagens que moram na Avenida Q, onde humanos, monstros e marionetas enfrentam vários desafios.

O Echo Boomer foi assistir ao espectáculo na semana passada, em cena na mítica sala do Teatro Sá da Bandeira, no Porto.

Tudo começa quando Luís, um recém-licenciado, e desempregado, se muda para um prédio na avenida. Juntamente com os seus vizinhos e novos amigos, acaba por embarcar em várias histórias que exploram diferentes temas da sociedade – racismo, sexo, homossexualidade, entre outros -, sempre com uma linguagem “adulta”, mas facilmente identificável.

Com casa cheia, o elenco não teve mãos a medir, e deu o seu melhor. A interacção com o público foi notável – não entrando em pormenores para não dar ‘spoilers’ -, onde toda a gente se escangalhou a rir, quase ao ponto de não conseguirem parar.

Às músicas, peça chave de um “musical”, só se lhes podemos apontar um defeito: ficam gravadas na nossa cabeça e damos por nós a cantarolá-las durante o resto da semana.

A adaptação da peça, feita por Henrique Dias e Rui Melo, é possivelmente o trabalho mais notável (para além do desempenho dos atores) deste projeto. É fantástica a introdução de vários temas e referências nacionais, como podemos ver com a introdução da personagem do “pequeno Saúl” (na peça original a personagem é Gary Coleman, um actor norte americano com uma história semelhante).

Com uma duração de cerca de 100 minutos, estes passam a um ritmo alucinante, onde mergulhamos numa sucessiva sequência de diálogos, músicas e dança. Não há um tempo “morto” na Avenida Q.

Conhecida como “a Rua Sésamo em esteróides”, Avenida Q conta ainda com as excelentes performances de Ana Cloe, Diogo Valsassina, Gabriela Barros, Inês Aires Pereira, Manuel Moreira, Rodrigo Saraiva, Rui Maria Pêgo, Samuel Alves, Artur Guimarães, Luís Neiva e André Galvão.

Pode encontrá-los em cena no Teatro Sá da Bandeira, Porto, até 25 de fevereiro.

Texto: Ana Cláudia

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,366FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Gears Tactics

A série Gears troca o caos imersivo da guerra na terceira pessoa por batalhas táticas e cerebrais numa nova perspetiva. Mas mantém todos os outros ingredientes que a definem intactos.

Análise – Streets of Rage 4

Um regresso ao passado que irá deliciar os fãs do género e da série clássica da SEGA.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

SwatchPAY! entra em funcionamento em Portugal esta semana

Já é possível adquirir um dos cinco modelos da gama no site oficial.