fbpx

Número diário de ciberataques quadriplicou devido à COVID-19

Nas últimas duas semanas, o número de ciberataques relacionados com o coronavírus aumentou significativamente de algumas centenas para mais de 5.000 ataques a 28 de março. Em média, mais de 2.600 ciberataques relacionados com o coronavírus estão a ocorrer diariamente.

No entanto, e embora o número de ciberataques relacionados com a pandemia tenha crescido exponencialmente, o volume total de atividades de ciberameaças nas redes das organizações em todo o mundo decresceu cerca de 17% entre janeiro e março de 2020.

ciberataque

84% dos ciberataques ativam-se através de websites de phishing, enquanto 2% destes envolvem a vítima a aceder a um website malicioso através do uso do seu dispositivo móvel.

Há websites com “corona”/”covid” no seu domínio, há ficheiros com nomes relacionados com “Corona” e há ainda ficheiros que são distribuídos com o assunto do email relacionado com coronavírus no-email.

Nas últimas duas semanas, mais de 30.103 foram registados novos domínios relacionados com o coronavírus, dos quais 131 são maliciosos e 2.777 são suspeitos e encontram-se sob investigação. Isto significa que, no total, mais de 51.000 domínios relacionados com a pandemia foram registados desde janeiro de 2020, que é considerado o início da pandemia.

Ataques de phishing por websites a passar-se pela Netflix duplicaram

A maioria destes sites foram registados nos últimos meses, incluindo domínios com o nome oficial do vírus dado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) – netflixcovid19s.com. Alguns destes sites oferecem opções de pagamento na tentativa de extrair de forma fraudulenta os detalhes de pagamento dos utilizadores.

Recentemente, registou-se também um aumento do número de registos de domínios “Zoom” e identificou ficheiros “Zoom” maliciosos direcionados para quem está a trabalhar em casa. Mais de 1.700 novos domínios “Zoom” foram registados desde o surgimento da pandemia, 25% dos quais foram registados na última semana.

Seis dicas para ficarem protegidos

  • Cuidado com domínios parecidos: Verificar erros gramaticais em emails ou websites e remetentes de email desconhecidos.
  • Ser cauteloso com remetentes desconhecidos: Olhar para os ficheiros recebidos via email provenientes de remetentes desconhecidos, especialmente se eles intentarem a alguma ação que normalmente não faria.
  • Usar fontes autênticas: Assegurar-se que estão a adquirir bens de fontes autênticas. Uma forma para o fazer é NÃO clicar em links promocionais de emails. Em vez disso, pesquisar o retalhista desejado e clicar nos resultados da pesquisa do Google.
  • Cuidado com as ofertas “especiais”: “Uma cura exclusiva para o Coronavírus por $150” não é realmente uma oportunidade de confiança. Neste momento não existe nenhuma cura para o coronavírus e, mesmo que houvesse, claramente não será oferecido via email.
  • Não reutilizar passwords: Ter a certeza de não reutlizar as mesmas passwords entre aplicações e contas.
  • Implementar uma ciber arquitetura end-to-end: As organizações podem prevenir ataques zero-day com uma ciber arquitetura end-to-end, de modo a bloquear sites de phishing e implementar alertas sobre reutilização de passwords em tempo real.
- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,783FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
629SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Science4You lançou para o mercado o primeiro brinquedo do mundo sobre a COVID-19

A nova aposta da marca pretende que os mais novos aprendam sobre o mundo da imunologia e de que forma se podem proteger de vírus, fungos e bactérias, através de várias experiências e ferramentas didáticas.

Empresa portuguesa vai lançar linha de roupa preparada para a COVID-19

A coleção cápsula GOKÄ irá englobar uma sweat com gola incorporada, que substitui a máscara e filtra a 99%, calças de fato de treino e máscaras.

Empresa portuguesa desenvolve desinfetantes exclusivos contra a Covid-19

A solução surge por parte da Inokem, startup portuguesa de biotecnologia especializada em soluções químicas e biológicas, que se adaptou às exigências do mercado.

Rússia aprovou a primeira vacina contra a COVID-19

Vacina foi testada durante dois meses em humanos.
- Publicidade -

Mais Recentes

Análise – Sony WH-1000XM4

Com os Sony WH-1000XM4 a tocar música e o Noise Cancelling ativo, o mundo circundante salta para o segundo plano e nem damos por ele.

Oktoberfest está de volta à Nortada

A grande festa da cerveja regressa pelo terceiro ano consecutivo.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Rússia leva Bottas ao lugar mais alto do pódio

Depois de uma semana de pausa a Fórmula 1 está de volta, desta vez na Sochi para o Grande Prémio da Russia, mas com uma primeira volta que nos fez viajar até ao segundo fim de semana de Itália em Mugello.