Caminhos da Pedra vai levar mais de 50 espetáculos gratuitos ao Médio Tejo

O terceiro e último momento do Caminhos do Médio Tejo 2018Caminhos da Pedra – realiza-se nos dias 12-14 e 18-21 de outubro, na região do Médio Tejo. Depois do Caminhos do Ferro e do Caminhos da Água, em abril e em julho, respetivamente, chega agora a altura de fechar o ciclo, neste terceiro momento, com mais de 50 espetáculos gratuitos durante dois fins-de-semana, em Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

- Publicidade -

Um conjunto de ofertas culturais, organizado pela CIMT – Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e pelos 13 municípios integrantes que inclui espetáculos de música, teatro, dança, teatro de rua, circo contemporâneo, histórias e percursos artísticos, seguindo os caminhos e as estradas da região.

Na música, há Lula Pena que, com a sua voz e guitarra, vagueia pelo português, francês, espanhol, inglês e grego (Tomar); LST – Lisboa String Trio, de José Peixoto, na guitarra, Carlos Baretto, no contrabaixo, e Bernardo Couto, na guitarra portuguesa (Entroncamento); Cristina Branco, que tem um álbum lançado este ano, Branco (Ourém); Norberto Lobo, acompanhado por Marco Franco e Ricardo Jacinto (Torres Novas); Marta Pereira da Costa (Tomar), La Negra, projeto que nos traz a voz e o piano de Sara Ribeiro (Sardoal); as paisagens sonoras de Senza (Sardoal); Crassh Babies 2.0, de CRASSH, dirigido às famílias (Ferreira do Zêzere) e o projeto comunitário Voz à Solta que, sob a direção musical de Rui Souza, junta as gentes de Ourém e Vila Nova da Barquinha numa Marcha de Almas (Ourém e Vila Nova da Barquinha).

No teatro, há Catabrisa, pela Companhia Instável (Sardoal); Se eu vivesse, tu morrias, de Miguel Castro Caldas (Torres Novas); e Aurora, de Mandrágora (Ferreira do Zêzere). No âmbito do teatro de rua, Mulier, da companhia espanhola Maduixa (Tomar e Entroncamento), a estreia nacional de Flagrant Délire, da companhia francesa Yann Lheureux (Entroncamento) e há Bestiário à Solta, onde se descobrem Histórias do Bestiário Tradicional Português (Entroncamento, Ferreira do Zêzere e Tomar) que irão agradar a todos, desde os mais novos aos mais velhos.

As propostas de circo contemporâneo são Gigante, de La Pequeña Victoria Cen (Ferreira do Zêzere e Vila Nova da Barquinha), e SAVAR A.M., de Erva Daninha (Ourém e Torres Novas).

Há ainda percursos de quatro artistas em diversas localidades: Iria – percurso sonoro, de Tiago Correia (Tomar), Pedra a pedra, de Ana Bento (Sardoal), De mapa na mão, de BURILAR (Ourém) e Andão mortos por sima dos vivos, de Francisco Goulão (Torres Novas).

Toda a programação do Caminhos do Médio Tejo é gratuita e apresenta-se, uma vez mais, com um programa cultural completo e apelativo, para todos os gostos e idades.


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Regresso à cultura conta com a ajuda de uma startup portuguesa

Os eventos-teste realizados no final de abril tiveram a ajuda de uma startup sediada em Coimbra.

Coimbra é a cidade escolhida para o terceiro teste-piloto

Mais uma iniciativa para perceber se é possível avançar com eventos culturais em segurança.

Parque de estacionamento em construção em Lisboa vai promover o trabalho de dezenas de artistas

O Mercado P'la Ate nasce a 8 de maio no Prata Riverside Village.

Dezenas de espetáculos de dança, teatro e artes circenses vão acontecer em sete municípios do interior do país

Será entre castelos, anfiteatros ao ar livre, jardins, escadarias, teatros, praças e largos que tudo irá acontecer.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Nova tour dos Commedia a La Carte começa nos Açores e termina em Guimarães

O novo espetáculo Do Nada terá mais de 50 apresentações este ano.

Polestar. A marca de veículos elétricos da Volvo chegou a Portugal

O preço do Polestar 2 começa nos 49.000€. Os test drive poderão ser feito em Lisboa, Porto e Algarve a partir de junho.