Ararate é o primeiro restaurante arménio em Portugal

Se no século dos Descobrimentos eram parceiros nas rotas comerciais (aliás, é graças a esta ligação que o nome próprio Arménio surgiu em terras lusas), agora as relações entre Portugal e a Arménia estreitam-se: O Ararate, o primeiro restaurante arménio no país, acaba de inaugurar em Lisboa a escassos metros da Fundação Calouste Gulbenkian, no número 70 da Avenida Conde Valbom. E podemos esperar uma gastronomia diametralmente diferente da nossa.

- Publicidade -

Comecemos pela decoração. Nas paredes, destacam-se as tapeçarias (um dos tapetes é uma recriação daquele que é considerado o mais antigo do mundo, o Pazyryk) e peças artesanais que fazem parte da identidade cultural da Arménia. No restante espaço, o protagonismo é dos trabalhos em madeira e cobre com a assinatura de pequenos artesãos portugueses.

A ideia nasceu de Karine, arménia de alma e coração que há muito que conhece Portugal. Depois de ter passado férias durante vários anos no nosso país, Karine acabou por apaixonar-se e mudou-se para a capital portuguesa há quatro anos. Karine trouxe consigo uma equipa e jovem que traz toda uma bagagem cultural que quer partilhar neste restaurante.

O desafio passa não tanto por replicar os pratos mais tradicionais, mas por encontrar os produtos certos, e que fazem toda a diferença, consegui-los frescos e com regularidade. Alguns vêm da Arménia, mas sempre que Karine viaja pelo país para conhecer produtores, fornecedores e artesãos.

Mas é o chef do restaurante, Andranik Mesropyan, o responsável por recriar pratos tradicionais da Arménia. A cozinha arménia, para quem não sabe, adoptou o melhor das suas várias fronteiras e peculiaridades da Ásia – temperos exóticos, grão, kebab ou a técnica de grelhar carne em carvão são alguns desses exemplos. Já da Europa ganhou legumes e verduras.

Essencialmente, é do uso da beringela, pimento, tomate e cebola que nascem a maioria dos pratos tradicionais, juntando-se depois o manjericão roxo (que chega seco da Arménia), o tarkhum (da família do estragão), o chaber (da família da segurelha) e ainda o dandur, que se assemelha às beldroegas, para acrescentar sabor. Já nas especiarias, o pimentão doce – feito de pimentos vermelhos e enviado diretamente da Arménia – é o protagonista.

Como seria de esperar, na cozinha arménia o borrego é das carnes mais utilizadas, aproveitado para estufados ou caldos, por exemplo. Mas no Ararate usa-se também vitela e vitelão (dos Açores). No peixe, reinam o esturjão e a truta, sempre frescos, usados em ensopados, espetadas ou preparados no forno.

Tudo isto resulta em pratos dignos de destaque. Um dos pratos de eleição é a espetada, seja de carne, peixe ou legumes, preparada num grelhador que um fornecedor espanhol desenhou especificamente para o restaurante.

Depois destacam-se pratos como a Tábua de enchidos tradicionais (15€) com lascas de peito de pato, língua de vitela, basturma (lombo de vaca conservado em mistura de especiarias) e sudjuk (carne picada com toucinho em especiarias); Dolmá (14€), um prato de vitelão enrolado em folhas de videira; Chanákh (18€), isto é, ensopado de borrego; e ainda Khabab, ou lylya-kebabs, espetadas de carne picada assadas no carvão (de frango, 12€ e de borrego e vitelão, 15€).

O Ararate tem 68 lugares no interior e 32 na esplanada e funciona de segunda a sábado, das 12h às 24h (a cozinha fecha às 22h30).

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,948FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Impressão digital nos cartões de crédito – FinTech em 2021

A tecnologia financeira, ou FinTech, está a acelerar os efeitos positivos no sector financeiro. A Samsung anunciou a 4 de março que vai lançar um cartão de crédito com um leitor de impressão digital integrado. Quais serão as próximas inovações em 2021?

Glovo também já entrega as pipocas dos Cinemas NOS em casa

Demorou, mas finalmente a plataforma de delivery segue os passos da Uber Eats.

Novo projeto da Samsung ajuda na luta contra a caça ilegal na savana africana

E com isso, podemos ser um guarda florestal virtual e cuidar de animais em vias de extinção.