Há quem se esteja a aproveitar do COVID-19 para propagar malware

Enquanto o mundo se encontra a lutar para conter o coronavírus, os efeitos desta ameaça não afetam só a saúde, o trabalho ou a economia, como também se está a propagar pelo mundo digital. Há grupos cibercriminosos que estão a vender malware malicioso e ferramentas de exploração através de códigos de desconto “COVID-19” na dark web.

- Publicidade -

Tal como os descontos para o Black Friday ou Ciber Monday, os cibercriminosos estão a aproveitar-se da atual situação para difundir rapidamente malware através de descontos, ofertas e criação de domínios relacionados com o coronavírus.

malware

Utilização do COVID-19 para difundir ciberameaças, em números

Desde que se publicaram as primeiras notícias sobre o COVID-19, os cibercriminosos começaram a aproveitar-se do interesse dos meios de comunicação de todo o mundo como desculpa para difundir ciberameaças. Dito isto, desde o início de janeiro de 2020, já se registaram mais de 16.000 novos domínios relacionados com o coronavírus, e só nas últimas três semanas (desde final de fevereiro de 2020), o crescimento foi exponencial: quase 10 vezes mais que a média das semanas anteriores.

As notícias produzidas nos últimos dias ajudaram ao aumento de domínios criados só numa semana (6.000), o que significa um crescimento de 85% comparativamente com as semanas anteriores. Há ainda que adicionar que mais de 20% dos domínios (mais de 2 200) foram classificados como potencialmente perigosos.

Os descontos com alusão ao COVID-19, o novo gancho de interesse para os cibercriminosos

As redes sociais converteram-se num dos principais focos de infeção para os internautas, sobretudo com aquelas comunicações que anunciam descontos especiais com base no COVID-19. Especialistas descobriram recentemente que os cibercriminosos lançam campanhas com mensagens como “Desconto Coronavírus! Desconto de 10% em TODOS os produtos!” ou ofertas incríveis que colocam à disposição dos utilizadores um dos últimos modelos da Apple, o MacBook Air, com preços irresistíveis. Atenção, ofertas desta magnitude não são credíveis.

De modo a evitar serem vítimas deste tipo de ataques, devem:

  • Ter cuidado com os e-mails e os documentos anexos que venham de remetentes desconhecidos, especialmente quando oferecem descontos especiais;
  • Não abrir ficheiros anexos desconhecidos nem clicar em links que venham nos e-mails;
  • Assegurem-se que realizam compras em páginas webs fiáveis e autênticas. Para isso, em lugar de clicar nos links promocionais dos e-mails, pesquisem no Google o retalhista desejado e cliquem no link da página de resultados.
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Testes rápidos à COVID-19 voltam a ser gratuitos a partir de 19 de novembro

Isto numa altura em que os casos têm estado a aumentar.

Portugueses desenvolveram tecnologia para exploração autónoma das profundezas do oceano

Algo que vai ajudar a reduzir os custos e a ter acesso a novos dados muito mais rapidamente.

Huawei quer voltar a ser líder no segmento dos smartphones em Portugal

Mas sem os Google Mobile Services vai ser complicado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Há novas lojas Meu Super em Rio de Mouro e Alcochete

Em 10 anos, o Meu Super abriu cerca de 300 lojas em todo o país, com uma área total de venda 50 mil m2 e criou 1500 postos de trabalho.

Nova funcionalidade da Bolt impede uso de trotinetes e bicicletas sob efeito de álcool

A nova funcionalidade tem como objetivo promover viagens mais seguras para os utilizadores e para os restantes ocupantes da via pública.