Apple está a recolher alguns MacBook Pro devido a risco de incêndio

Neste caso os MacBook Pro de 15 polegadas vendidos entre setembro de 2015 e fevereiro de 2017. Estes são os portáteis Apple afetados por um problema nas baterias que faz com que, devido a sobreaquecimento, os aparelhos possam pegar fogo.

- Publicidade -

A ordem de recolha destes equipamentos foi emitida ontem pela marca, onde refere que “a segurança do consumidor é a maior prioridade da Apple”.

Como saber se o meu Apple Macbook Pro está afetado?

É simples. Basta clicarem no símbolo da marca no canto superior esquerdo do ecrã e, logo de seguida, selecionar “Sobre este Mac“. Se a informação referir “MacBook Pro (Retina, 15 polegadas, 2015)“, então devem colocar o número de série aqui, de modo a saber se o vosso portátil está elegível para esta recolha.



Em caso afirmativo, basta levarem a uma loja oficial ou a um ponto de reparação autorizado (Worten, FNAC e afins) e deixarem lá o vosso portátil. E sim, podem ficar descansados uma vez que é um serviço sem qualquer custo para vós.

Um leitor do Echo Boomer referiu que, como não sabia ao certo como proceder, ligou para a linha Apple Care ‭(800 207 983) onde foi atendido por um operador que,‬ após ter pedido alguns dados, enviou toda a documentação via email, assim como o número do processo e o local onde se devia dirigir.

Antes disso, convém efetuar backups de todos os dados. Porquê? É que o vosso Mac poderá ser formatado.

Já na loja em questão, neste caso Worten, o nosso leitor apresentou a folha que imprimiu do email, onde constava o número do processo. Aí, o funcionário que atendeu o nosso leitor deu seguimento à verificação de danos do Macbook Pro, referindo que, caso tivesse algum dano, este programa não se aplicava.

No caso do Macbook Pro do nosso leitor, este apresentava-se muito bem estimado, pelo que o funcionário explicou que o processo iria demorar um máximo de 30 dias, pois a peça (na base metálica do Macbook Pro, onde apenas não se encontram soldados a esta a motherboard, disco rígido e ventiladores) teria de ser encomendada à Apple.

O porquê de demorar tanto tempo? É que, ao que consta, os portáteis serão enviados para um Centro de Reparação Apple e depois, muito provavelmente, seguirão para a Irlanda, algo que costuma acontecer quando se “dão” iPhones para reparação.



Curiosamente, o funcionário perguntou ao nosso leitor se tinha alguma queixa em relação ao ecrã. É que, ao que consta, existem alguns modelos da mesma altura (2015) em que o verniz do ecrã começa a descascar-se, pelo que também existe um programa que pode reparar estes casos.

De realçar que estes programas são válidos até quatro anos após a partir da data de compra do Macbook Pro. Ou seja, caso o vosso portátil Apple seja um dos afetados por estes problemas, devem levar a uma loja autorizada o mais rapidamente possível.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
784SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

Siri revela novo evento da Apple para 20 de abril

Ao invés de ser a empresa propriamente dita a anunciar, foi a assistente virtual a adiantar-se.

Apple anuncia nova série antológica The Crowded Room. A primeira temporada terá Tom Holland como protagonista

Depois do sucesso de Cherry, filme que está disponível na Apple TV+, a empresa e o conhecido ator juntam-se para um novo projeto.

DECO Proteste avança com ação judicial contra a Apple

Algo que está relacionado com o facto de a Apple ter criado obsolescência programada para os iPhones 6 e 6S.

Lançamento do iOS 14 pode afetar os anúncios do Facebook. Saibam como

Estima-se que estas alterações sejam incluídas numa atualização do iOS 14 no início de 2021.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Capcom revela tabela de desempenho de Resident Evil Village nas consolas

Para que não tenham dúvidas de como vai correr.

A magia está de volta em novos sets LEGO Harry Potter

São oito novos conjuntos para construir e brincar.

Lidl aposta na produção nacional com primeiro vinho vegan certificado

Criado a partir da combinação das castas Alicante Bouschet, Aragonez e Syrah, o vinho Indelével Vegan Tinto Regional Alentejano caracteriza-se por apresentar uma cor rubi, aromas de frutos vermelhos maduros e por um sabor suave, quente e equilibrado.