Análise – Good Job!

Good Job!” É com esta mensagem motivante que terminamos cada nível de Good Job!, um dos lançamentos surpresa da mais recente Nintendo Direct Mini.

Desenvolvido pela Paladin Studios, Good Job! promete ser um daqueles jogos perfeitos para ocupar um serão com os amigos, ao resolver puzzles e a ultrapassar obstáculos de maneiras hilariantes e pouco eficazes.

Em Good Job! começamos a nossa carreira, literalmente, por baixo, no primeiro de nove pisos de uma grande empresa que nunca percebemos muito bem o que faz. Entre escritórios, armazéns, laboratórios, linhas de produção, museus e zonas de descanso, somos convidados a pôr a empresa em ordem.

Com cada piso composto por três níveis mais um especial, exceto para os dois últimos pisos, Good Job! encaixa-se no género de jogos de quebra-cabeças muito comum nos dispositivos móveis, onde nos é dada uma situação para estudar, analisar e procurar a melhor resolução.

blank

Alguns exemplos de atividades passam por ligar equipamentos, juntar itens numa área, limpar divisões e muito mais, mas sempre com um pequeno twist e obstáculos que nos propõem que “os fins justificam os meios”.

Com uma apresentação muito simplista, colorida e adorável, o jogo tira partido de um sistema de física bem divertido que dá aso a situações inesperadas e hilariantes. Good Job! é um jogo extremamente dinâmico e vivo, seja pelas personagens que populam os níveis, como por todas as reações que têm às nossas ações. Alguns dos puzzles passam pela manipulação da inteligência artificial, em conjunto com os objetos e itens que interagimos.

Esta parte mais dinâmica e inesperada é um dos trunfos de Good Job!, tornando o jogo extremamente divertido e hilariante, especialmente quando jogado a dois, mas o mesmo não se pode dizer quando é resolvido a solo.

Jogar Good Job! sozinho pode ser um pouco frustrante a vários níveis, não só pela procura da solução, mas pela resolução de alguns níveis que requerem um controlo e cuidado onde são precisas duas cabeças e dois pares de mãos.

A coordenação ao abrir e fechar portas, levantar plataformas e a interagir com tudo o que existe no mundo pode ser a chave do sucesso, por isso diria mesmo que Good Job!, apesar de tudo, é um título para ser experienciado em companhia.

blank

Aparentemente simples, Good Job! conta com uma longevidade no ponto, com níveis que contam com uma duração certa para nos satisfazer, exceto por um ou dois um pouco mais complicados, e por uma seleção variada e muito bem-curada.

Além de completar o jogo, há também imensos incentivos para repetir. Não só alguns puzzles podem ter mais do que uma resolução, como a sua repetição pode ter um curso muito diferente, dependendo de como o abordamos ou do seu dinamismo. Há ainda mais de uma centena de itens para procurar e encontrar nos níveis que desbloqueiam fatos para as nossas personagens.  

Good Job! é um deleite e uma pequena surpresa perfeita para estes estranhos tempos que nos obrigam a ficar em casa. Se estão em família ou com amigos e têm uma Switch, este jogo pode ser a cura indispensável para os próximos serões.

Good Job! já está disponível na Nintendo Switch via Nintendo eShop.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Good Job!

Plataformas: Nintendo Switch
Este jogo foi cedido para análise pela Nintendo Portugal.

Charmoso, adorável e delirante, Good Job! é um jogo de puzzles dinâmicos cheio de surpresas e resoluções onde a força bruta e a cooperação são a chave do sucesso.

- Publicidade -

Sigam-nos

10,450FansCurti
4,039SeguidoresSeguir
528SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – TT Isle of Man II: Ride on the Edge (Nintendo Switch)

Se procuram um jogo de corridas excitante, realista e que leve ao limite as vossas habilidades na Switch, TT Isle of Man II: Ride on the Edge é a resposta.

Crítica – White Lines

Mistério, drama e romance. A nova produção de Álex Pina tem um pouco de tudo.

Crítica – The Untouchables (1987)

Apesar de três longas décadas, The Untouchables sobrevive ao teste do tempo com uma produção autêntica e realista.

Análise – Ion Fury

Um verdadeiro regresso ao passado que é imperdível para todos os fãs dos FPS à antiga.
- Publicidade -

Mais Recentes

Depois de O Resto da Tua Vida, João André tem nova websérie no YouTube

Desta vez, o ator já não conta com a participação de Carlos Coutinho Vilhena, mas sim da sua namorada.

Mercadona abre loja em Santo Tirso a 25 de junho

Será a 12ª loja da cadeia de supermercados em Portugal e a 7ª no distrito do Porto.

Crítica – The Lovebirds

The Lovebirds possui duas prestações maravilhosas, mas tal não chega para evitar um filme aborrecido.