Análise – Touhou Genso Wanderer Reloaded

O problema da maioria dos dungeon crawlers é que se baseiam numa fórmula muito restrita, ainda que sólida. Para criar um jogo deste género, só necessitam, à partida, de ter masmorras repetitivas e aleatórias, um enorme nível de dificuldade e uma aposta na progressão lenta, mas competente. Touhou Genso Wanderer Reloaded, da série Touhou – que se expande por vários géneros de jogos e plataformas – é um exemplo de que em equipa vencedora não se mexe, mas é impossível não ver o que acontece quando apenas jogamos pelo seguro.

Touhou Genso Wanderer Reloaded é um jogo tão simples que se torna aborrecido e pouco marcante. Tal como nos restantes títulos do género, somos colocados em masmorras repetitivas e desinteressantes, não fossem os cenários básicos e meramente funcionais (ainda que pouco interativos), onde temos de navegar através de vários níveis repletos de inimigos e armadilhas. É um jogo difícil, algo típico de um dungeon crawler, mas é a sua repetição e falta de ritmo que criam um maior transtorno junto dos fãs do género.

No que toca à jogabilidade, Touhou Genso Wanderer Reloaded tenta alimentar um sentimento de urgência ao implementar uma barra de energia e outra de fome, com a última a reduzir à medida que avançam pelas masmorras. Desta forma, será necessário controlar não só a energia durante os combates, como a fome e stamina da personagem enquanto exploram. A fome só poderá ser revitalizada através de itens específicos, criando assim a necessidade de encontrarem os alimentos essenciais. Mesmo com a possibilidade de comprarem recursos para a viagem, existe sempre a aleatoriedade dos itens durante as masmorras, o que significa que, se tiverem azar, poderão encontrar um número exagerado de inimigos e nenhuma poção ou pedaço de comida para curarem a personagem.

Como seria de esperar, o combate também não apresenta grandes novidades e cimenta-se sobre as bases mais tradicionais do género, apostando numa mistura entre ação e batalhas por turnos, onde os inimigos só se movimentam consoante os jogadores. É possível atacar na diagonal, utilizar ataques especiais e combinações mais destrutivas, melhorar equipamentos e armas, e aprender habilidades que ajudam na navegação dos níveis.

Touhou Genso Wanderer Reloaded também aposta na cooperação e dá aos jogadores a possibilidade de serem acompanhados por um companheiro que poderão evoluir e equipar ao longo do jogo. Apesar do seu número de habilidades e de uma aposta na personalização, não há nada de novo ou que se destaque verdadeiramente das restantes mecânicas. É um sistema de combate funcional, mas pouco interessante.

Ao fazer parte de um universo narrativo repartido por vários jogos e plataformas, Touhou Genso Wanderer Reloaded, que é, por si só, uma remasterização, poderá não ser a melhor porta de entrada para a série. Para piorar esta falta de contexto, é um jogo muito focado na história e nos diálogos entre personagens, assemelhando-se, nos seus piores momentos, a um mau Visual Novel. São horas e horas de texto que terão de passar à frente, caso não tenham interesse pela história da série, para chegar à exploração das masmorras.

Talvez seja um gosto adquirido, mas neste primeiro contacto com a série Touhou, saímos pouco impressionados. Como dungeon crawler, não adiciona nada ao género e nem ambiciona fazê-lo. É um jogo seguro que se torna mais aborrecido à medida que avançamos, não fosse a jogabilidade repetitiva. Não é um mau jogo, mas sim aborrecido, e, neste caso, consideramos isso como o pior dos dois.

Touhou Genso Wanderer Reloaded está disponível para Nintendo Switch e PlayStation 4.

Touhou Genso Wanderer Reloaded
Nota: 4/10

Este jogo foi cedido para análise pela NIS America.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,843FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Xiaomi Mi True Wireless Earphones

Apesar do design um pouco mais robusto e a curta autonomia apresentada, o preço dos Xiaomi Mi True Wireless Earphones faz com que sejam uma opção a ter em conta.

Análise – Angry Video Game Nerd 1&2 Deluxe

Está na hora de regressarmos ao passado para jogarmos dois jogos que pensávamos estarem perdidos no tempo!

Análise – FIFA 21

FIFA 21 vem com muitas novidades e algumas melhorias face ao capítulo anterior, mas falha onde não pode: dificuldade da AI da consola em jogo offline.

A Nintendo Switch pode deixar de receber novos jogos da Xbox

Segundo o chefe de divisão da Xbox, as conversões não são sustentáveis.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Franquia Power Rangers vai ganhar filmes e séries à semelhança do MCU

O objetivo é ter um universo que se conecta ao longo das diversas adaptações, seja para o grande ou pequeno ecrã.

Análise – Xiaomi Mi True Wireless Earphones

Apesar do design um pouco mais robusto e a curta autonomia apresentada, o preço dos Xiaomi Mi True Wireless Earphones faz com que sejam uma opção a ter em conta.