Análise – The Eternal Castle Remastered

Descubram o que se esconde neste castelo eterno.

The Eternal Castle Remastered
- Publicidade -

Existem géneros que estão à beira da extinção, vítimas de novas modas e plataformas que exigem experiências diferentes para um público mais vasto. Não é fácil agradar a todos os jogadores e, com o tempo, géneros como point and click e as aventuras de ação e plataforma, que se focavam em experiências curtas e assentes na dificuldade, perderam a sua popularidade e presença no mercado, mas perseveraram.

Contra toda as adversidades, sobreviveram a mais de 20 anos de progresso e transformaram-se. Em 2020, temos um verdadeiro regresso ao passado com The Eternal Castle Remastered, que demonstra como o género de aventura cinematográfica ainda tem força no mercado.

The Eternal Castle chegou finalmente à Nintendo Switch, agora na sua versão remasterizada e completa. O primeiro contacto aconteceu no PC, num lançamento de sucesso que captou a atenção dos fãs do género e dos mais curiosos. The Eternal Castle Remastered é familiar e único ao mesmo tempo, conseguindo adaptar a jogabilidade e estrutura de jogos como Prince of Persia e Out Of This World, e traduzi-las para uma campanha mais expansiva que nos leva a explorar um mundo pós-apocalíptico em busca de peças para a nossa nave e do titular castelo.

É impossível ficarmos indiferentes à apresentação visual de The Eternal Castle Remastered e à sua aposta em gráficos CGA em 2-bits, com cenários animados, mas mais limitados em termos de detalhe. As cores são nostálgicas, com o ciano e magenta claros, mas há uma excelente direção de arte que compõe este mundo à beira do fim. O uso do preto para criar silhuetas, por exemplo, contrasta com o céu quente e com as personagens simples, mas muito bem animadas, demonstrando traços únicos e caraterísticos capazes de lhes dar uma maior personalidade – mesmo com as limitações gráficas. Os movimentos são fluídos, alguns cenários são mais visualmente complexos e existe uma diferença palpável entre as várias zonas deste mundo. Nunca sentimos que estamos a explorar o mesmo cenário e passamos de prédios abandonados a castelos destruídos e a laboratórios escondidos ao longo da campanha. No fundo, parece que estamos a descobrir um jogo de 1987 pela primeira vez, apesar de utilizar técnicas mais atuais.

The Eternal Castle Remastered

Este classicismo mantém-se na jogabilidade e a TFL Studios seguiu o modelo de alguns dos melhores títulos do género para construir este regresso ao passado. The Eternal Castle Remastered é um jogo de ação e aventura em 2D com um foco nas plataformas e nos desafios ambientais, obrigando o jogador a avançar cautelosamente à medida que explora cenários repletos de puzzles e armadilhas escondidas. A experiência foca-se em saltos complexos, em combates frenéticos – com várias armas à disposição e uma barra de stamina – e numa estrutura de tentativa e risco que poderá desmoralizar os mais impacientes. É suposto morrermos em The Eternal Castle Remastered, seja por um salto mal calculado ou por um boss que nos mata com um só ataque. É necessário perder para aprendermos os padrões dos níveis e dos inimigos. Assim é o género. No entanto, fica o aviso de que existem momentos injustos, provavelmente deliberados, onde não conseguimos ver o que nos espera no final de um salto. Tenham sempre cuidado.

A estrutura aberta foi uma surpresa agradável e pude explorar livremente as três zonas principais do jogo antes de alcançar o castelo eterno. Não é inovador e não é, como podem imaginar, uma escolha revolucionária, mas é interessante ver um design mais moderno a apoderar-se deste jogo maioritariamente clássico. Apesar dos níveis serem lineares, mesmo com alguns colecionáveis para descobrirmos, temos esta ilusão de liberdade que dá à campanha uma grandeza inesperada, como se estivéssemos a descobrir um mundo mais extenso do que o previsto. No final, o jogo entrega-se totalmente à linearidade para fechar a sua estória, e não o quereria de outra forma, mas esta possibilidade de escolha é bem-vinda.

The Eternal Castle Remastered

A TFL Studios trouxe-nos um jogo repleto de crueldade, de sangue e violência, mas também de humanidade e emoção, algo que foi possível através da sua cinematografia. Os planos longos, abertos e de maior profundidade, que nos mostram o seu mundo em todo o seu esplendor, criam um ambiente eficaz e marcante. As animações são muito detalhadas e sentimos o lado mais humano e real da nossa personagem. A banda sonora acompanha esta dicotomia entre a opressão e a emoção, com composições em sintetizadores, e os efeitos sonoros solidificam a experiência como um todo.

Aprecio especialmente o mistério em torno do jogo e gosto muito que não saibamos tudo sobre os seus protagonistas. Esta escolha transporta-me totalmente para o passado, para os tempos em que instalava disquetes misteriosas no DOS sem saber o que me esperava. Um bom mistério é essencial.

The Eternal Castle Remastered é um jogo curto, mas perfeito para o que quer oferecer: uma campanha cinematográfica, focada, muito desafiante e direta. Não existem momentos mortos ou sequências descartáveis – tudo está no seu devido lugar. Para os fãs de Flashback e de Blackthorne, é obrigatório, seja no PC ou na Nintendo Switch, e para os mais curiosos não deixa de ser um título peculiar que oferece uma experiência única. Nesta nova versão, podem contar com um episódio adicional, um modo PVP e outro cooperativo. Não percam este clássico atual.

Nota: Muito Bom

Plataforma: PC e Nintendo Switch
Este jogo (versão Nintendo Switch) foi cedido para análise por Jesús Fabre.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,363FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Disc Room

Fujam das serras assassinas neste frenético jogo de ação e arcada distribuído pela Devolver.

Jovens adultos em Portugal são os que mais jogam Nintendo Switch

Apesar do público alvo, não são só as crianças que adoram a Nintendo.

Animal Crossing: New Horizons recebe os LEGO DOTS

Decorações LEGO para o jogo da Nintendo Switch.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Santini muda-se para um novo espaço no Chiado

Ou seja, mantém-se na Rua do Carmo, mas agora no nº88.

Centros comerciais Alegro têm smartphones, TVs, consolas e robôs de Cozinha Bimby para oferecer

O Alegro Xmas Challenge está de volta para gáudio de quem costuma frequentar aqueles centros comerciais.