Análise – Teclado G.Skill RIPJAWS KM570 RGB

Oiçam o clicar das teclas deste teclado da G.Skill.

Teclado G.Skill RIPJAWS KM570 RGB
- Publicidade -

2021 tem sido um ano de autodescoberta. Se consegui, aos poucos, expandir o foco das minhas análises para géneros e sistemas diferentes, encontrei-me pela primeira vez – em muitos anos – a dividir a minha atenção entre as consolas e o meu PC. Nunca fui fiel ao teclado e rato, aos requisitos, às placas gráficas e melhorias visuais, mas a porta foi aberta e tão cedo não irá fechar. Mas faltava algo. Apesar da minha falta de experiência, faltava encontrar um maior conforto nas horas de jogo, nas teclas mecânicas e numa acessibilidade e personalização que prometem, lentamente, mudar a forma como passo o meu tempo no PC.

O meu caminho trouxe-me até ao catálogo da G.Skill e o salto para o mundo dos teclados mecânicos aconteceu com o RIPJAWS KM570 RGB, um teclado que, apesar de ter começado a surgir em 2016, ainda se encontra muito atual, tanto que ainda surge no site oficial da marca.

A análise parte do ponto de vista de um consumidor que nunca experienciou o conforto e ergonomia de um teclado mecânico. Posso começar por dizer, antes de irmos às especificidades desta oferta da G.Skill, que há claramente um antes e um depois no meu amor pelos periféricos. O conforto, o posicionamento das teclas, até as luzes num padrão em onda – que podem ser desligadas e personalizadas –, tal como o peso e robustez do teclado criam uma experiência perfeita para as minhas mãos. É também impossível não mencionar o clicar das teclas, o som satisfatório dos interruptores Cherry MX, cujo tempo de resposta está otimizado.

Mas vamos às especificações. O RIPJAWS KM570 RGB apresenta iluminação RGB, memória integrada, frequência de atualização de 1000Hz (1ms), função anti-bloqueio n-key, 100% anti-ghosting, funcionalidades NKRO (onde podem premir até seis teclas em simultâneo), vários atalhos, um posicionamento de teclas ergonómico e um cabo revestido com 2m. Pode não ser a experiência premium que muitos procuram, mas se, como eu, ainda estão indecisos entre um teclado tradicional e um com teclas mecânicas, o novo G.Skill poderá ser uma porta de entrada competente. Isto porque é acessível, pouco exigente, mas apresenta as funcionalidades necessárias para quem quiser personalizar progressivamente as suas sessões de jogo.

Como referi, este mundo de teclados mecânicos é novo para mim. Diria até que é estranho e peculiar, especialmente quando nos deparamos com a possibilidade de, via software, continuar a personalizar o nosso teclado em vários níveis – mas é isso que a G.Skill nos oferece. Se decidirem adquirir o RIPJAWS KM570 RGB, sugiro que descarreguem o mais rapidamente possível o programa Sistema Unificado de Controladores, onde poderão não só atualizar o firmware do teclado, como definir as funções de cada tecla, tais como os seus atalhos; criar perfis para cada situação – pensem que poderão ter escolhas para cada um dos vossos jogos favoritos –; a sua frequência (de 125Hz a 1000Hz); tempos de atraso; e os efeitos de iluminação, com vários padrões à escolha.

Teclado G.Skill RIPJAWS KM570 RGB

Com as suas funcionalidades e disposição de teclas, o RIPJAWS KM570 RGB conquistou-me lentamente, ainda que sinta que poderia ser mais ergonómico e contar com um tamanho mais reduzido. No entanto, o foco está no conforto, na suavidade das teclas e no som quase hipnotizante que nasce enquanto jogamos ou escrevemos – tal como estou a escrever agora esta análise. Alguns poderão não apreciar o som mais presente dos interruptores, mas fiquei totalmente convencido. Os teclados mecânicos podem ser uma moda, um estilo que é associado à cultura dos videojogos, mas vejo mais como uma aposta no descanso dos jogadores e na personalização: são uma porta que permite um menor movimento de mãos e de ações desnecessárias. Para mim, no que toca principalmente à escrita, é quase perfeito.

A G.Skill traz assim um produto de entrada, de média escala, onde os mais exigentes poderão sentir que falta algo, mais refinamento ou conforto, mas é uma experiência robusta que não é, de facto, mais um mero brinquedo ou um produto barato. O RIPJAWS KM570 RGB poderá não assumir-se como o melhor teclado que alguma vez terão, mas poderá ser o início de uma nova paixão – tal como foi para mim.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

G.Skill revela uma caixa pentagonal para PC

A Z5i Mini-ITX Case foi desenhada para tornar os componentes mais acessíveis.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

NBA 2K22 – O simulador de basquetebol que joga na sua própria liga

Mais um ano que passa e mais uma época em que a 2K é líder de um nicho onde compete sozinha. Com o monopólio do mercado, as queixas que se prendem com a lenta, e por vezes impercetível, evolução da franquia de ano para ano são uma constante. Mas será que com NBA 2K22 se justificam?

Arcane recebe um incrível trailer e estreia a 6 de novembro

A adaptação animada de League of Legends parece espetacular.