Análise – Super Mario Maker 2

por David Fialho

Lançado já numa fase final da vida da estranha Nintendo Wii U, Super Mario Maker surgiu para deleito dos fãs de Mario com um conceito extremamente promissor, dando aos jogadores a oportunidade de criarem os seus próprios níveis para o famoso canalizador.

Agora em 2019, o spin-off criativo aterra na Nintendo Switch, munindo-se de novas ferramentas, mas assente numa única filosofia: dar aos jogadores toda a liberdade criativa.

Super Mario Maker 2 chega agora com um potencial ainda maior, ajustado às capacidades visuais da Nintendo Switch, como a resolução do jogo no ecrã da consola e na televisão melhoradas, menus e capacidades de touch para editar e manipular elementos melhorados e muito mais, além de, obviamente, mais conteúdos.

São raros os jogos que nos fazem perder a noção do tempo de forma tão satisfatória como Super Mario Maker 2. Com vários modos de jogo, é fácil concentrar-nos no seu modo de história, no zapping quase infinito de níveis feitos por outros utilizadores e, claro, no fantástico editor de níveis.

Super Mario Maker 2 sabe que, por vezes, pode ser “demais”, especialmente para novos jogadores curiosos. Para ajudar, temos um extenso e compreensivo tutorial que nos ensina os básicos da criação dos níveis, assim como alguns truques. Todo este processo é acompanhado por personagens e algum teatro com as suas interações, numa forma de tornar todo este processo, por vezes moroso e enfadonho de aprendizagem, em algo animado e divertidos.

Mas se a vontade for logo de saltar para a tela de criação, não há problema. A liberdade é imensa e começar a construir é tão fácil como escolher um dos vários modos disponíveis no menu do jogo.

Mais uma vez temos de volta a possibilidade de fazer níveis inspirados no original Super Mario Bros., em Super Mario Bros. 3, Super Mario World e New Super Mario Bros. U, com a possibilidade de podermos mudar o tipo de jogo durante a edição. A este conjunto acrescenta-se ainda Super Mario 3D World, que devido ao design mais tridimensional e algumas ferramentas únicas, os seus níveis terão que ser desenhados de raiz nesse modo.

Nos nossos momentos criativos, vamos contar ainda com novos tipos de níveis para cada um dos tipos de jogo, novos elementos de cada geração e pequenas ferramentas que permitem a criação de níveis mais interessantes e interativos. No fundo, só existe uma regra: os níveis têm que ser finalizados pelos jogadores, algo que é o único requerimento para fazer o upload para os servidores, de modo a que sejam testados por outros jogadores.

O editor é extremamente intuitivo de se usar, especialmente no modo portátil, onde tudo está à distância de um toque. Graças ao formato, por defeito, simplista da série, em forma de grelha, a colocação de blocos e inimigos é simples e revela as formas geniais de como alguns níveis e situações são criadas. Já com a consola ligada à TV, a utilização do editor não é a ideal e a falta de motion controls nos joy-cons é desapontante.

Visualmente, cada um dos modos também se apresenta com algumas melhorias, com cada tipo de jogo adaptado às resoluções mais altas e pequenas alterações que tornam os jogos mais apelativos, como texturas melhoradas nos registos mais recentes ou um pequeno efeito de sombra na versão 8-bit de Super Mario Bros.

A galeria de níveis é, provavelmente, o segundo lugar onde dá para gastar mais tempo, quer seja pelo gozo de jogar as criações dos outros, quer pela busca de inspiração. Com um sistema de procura simples de usar, podemos procurar diretamente os níveis que queremos pelo uso de códigos nas comunidades ou partilhados por amigos, ou pelo modo Endless Challenge, onde o desafio é fazer o máximo de níveis possíveis até perdermos as vidas todas.

A forma como a Nintendo optou por tornar acessíveis os níveis criados por outros jogadores é funcional, mas deixa um pouco a desejar, sendo este o aspeto menos positivo de Super Mario Maker 2. É possível seguir alguns dos nossos criadores favoritos e amigos, mas o acesso à lista é pouco intuitivo. E se quisermos procurar por amigos, o jogo não inclui suporte da lista de amigos do sistema.

Por outro lado, redes sociais, fóruns e outros locais de conversa em grupo tornaram-se autênticos pontos de encontro, com uma comunidade surpreendentemente forte, onde todos querem mostrar os seus níveis, ou experimentar os dos outros. E é aqui que a troca de códigos funciona na perfeição.

Super Mario Maker 2 também suporta jogos com multijogador e até a criação de níveis, mas mais uma vez está limitado apenas a partidas locais, ou com jogadores aleatórios. Seria interessante poder jogar os nossos níveis com amigos no outro lado do mundo e, dessa forma, tirar partido do Nintendo Switch Online, que aqui é obrigatório se quisermos utilizar Super Mario Maker 2 e as suas capacidades de partilha ao máximo.

Mas se todo o lado criativo não for do interesse dos fãs de Mario, Super Mario Maker 2 conta com um modo de história que não deve ser, de todo, ignorado.

Um pequeno acidente em Mushroom Kingdom derrubou o castelo da Princesa Peach, pelo que Mario e companhia têm que o reconstruir. Para isso, Mario vai ter que viajar por mais de 100 níveis pré-preparados para colecionar o máximo de moedas para pagar os estragos.

A premissa é simples, já as suas aventuras são complexas. Os níveis propostos aparecem nos vários formatos presentes no editor, desde o 8-bit ao 3D, e contam com puzzles, combinações e níveis mais intensos, cheios de armadilhas e confrontos clássicos, capazes de satisfazer qualquer fã da série.

Este modo acaba também por ser uma galeria curada pela própria equipa de desenvolvimento, onde os jogadores podem testemunhar o potencial das suas criações ao tirar novas para os seus níveis.

Super Mario Maker 2 é um jogo para todos, extremamente denso e cheio de potencial. À medida que se vai experimentando com as suas ferramentas, começam a ser descobertas algumas limitações e, por vezes, dá a sensação que não dá para fazer bem tudo o que queremos como queremos. No entanto, as combinações são tantas e os resultados já disponíveis criados por outros jogadores são tantos e por vezes tão geniais que Super Mario Maker 2 parece ser mesmo um jogo infinito em diferentes dimensões.

Super Mario Maker 2 já está disponível para a Nintendo Switch.

Este jogo foi cedido para análise pela Nintendo Portugal.

Também pode interessar

Deixar uma resposta

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: