Sonic está de regresso pela segunda vez este ano. Depois de um espetacular regresso às origens em 16-bit com o criticamente aclamado Sonic Mania, surge agora Sonic Forces, um jogo mais contemporâneo que aposta no formato 3D que a série começou a usar desde Sonic Adventure na antiga Sega Dreamcast.

Sonic, tirando um ou outro capítulo como o já mencionado Sonic Mania, não tem tido a vida fácil, e Sonic Forces é mais uma prova de que, apesar das boas intenções da SEGA, ainda não é desta.

Com fortes inspirações em Sonic Generations, Sonic Forces tenta ser, novamente, o ponto de encontro entre duas gerações de jogadores: aqueles que cresceram com o Sonic clássico e aqueles que cresceram com o Sonic  moderno. Em Sonic Forces, temos acesso a estas duas entidades e aos seus respetivos estilos de jogo. E, de modo a tornar esta aventura mais única, tenta também agradar os novos fãs com personagens personalizadas.

Sonic Forces é um jogo sobre a união e o poder da amizade. Para representar isso, nada melhor que juntar todas todos os amigos do Sonic e o próprio jogador.

Depois de um nível introdutório, em que Sonic é raptado pelo Dr Eggman, cabe ao jogador ter que o ir salvar. Para tal, Sonic Forces deixa-nos criar a nossa personagem, onde escolhemos o animal que queremos ser, as suas habilidades e características. A partir daqui, partimos para os níveis, que são tão rápidos como confusos, e que nos permitem desbloquear novos fatos e habilidades.

A trama de Sonic Forces é fraca e faz o mínimo e essencial para justificar as constantes trocas de locais por onde vamos passar. Ao contrário dos jogos anteriores da série, tirando os fatos que desbloqueamos para a nossa personagem, não há grande sentimento de progressão nem de continuidade. Apesar da sua diversidade, os níveis não são memoráveis e são extremamente pequenos, o que faz com que não consigamos apreciar o momento.

Velocidade é a palavra de ordem de Sonic Forces, mas, por vezes, velocidade a mais é frustrante. Os controlos são simples e havia uma oportunidade tremenda para termos níveis de plataforma 3D, como vemos em outros jogos do género. Infelizmente, todos os níveis são corridas em linha reta, com caminhos alternativos, e que depressa se tornam automatizados.

Estes momentos tornam o jogo difícil e frustrante pelos obstáculos surpresa que apresentam. Já noutros casos é demasiado fácil porque passamos o nível só a carregar num botão.

Em Sonic Forces existem ainda níveis mais tradicionais em 2D. Uns que podem ser jogados com o Sonic clássico e outros com o moderno ou com a nossa personagem. Também aqui podíamos ter algum aspeto redentor, como uma jogabilidade mais pausada, controlada e com base no momentum e nas leis da física. Infelizmente, a velocidade e fluidez de jogo é a mesma do que nos níveis 3D, o que deixa as nossas personagens descontroladas, além de ser muito fácil deslizar para um abismo ou ir contra um inimigo.

Curiosamente, Sonic Forces não é um jogo difícil. É até dos Sonic mais fáceis da série. Apesar de podermos jogar numa de duas dificuldades (Normal e Difícil), o jogo é bastante acessível ao ponto de que são os aspetos técnicos da jogabilidade o maior inimigo em Sonic Forces.

Todavia, há aspetos bastante positivos. Sonic Forces é um jogo bastante bonito. Sonic, quer na sua versão clássica ou moderna, nunca se apresentou tão bem desenhado e detalhado. E este é um jogo que também se apresenta bastante sólido e fluido, sem qualquer tipo de quebras.

A música, um aspeto recorrentemente gabado pela comunidade nos melhores jogos da série, também aqui merece um destaque pelo bom e pelo mau. Os temas instrumentais são bastante reminiscentes e simbólicos da própria SEGA, com guitarras e sintetizadores. Já os temas mais contemporâneos e líricos apresentam instrumentais e batidas que encaixam bastante bem no ritmo e nas ações do jogo. Por fim, temos faixas um pouco mais estranhas, neste caso, o tema principal de Sonic Forces, que aparece recorrentemente, e que é, por alguma razão, da autoria da banda Hoobastank.

No fim do dia, Sonic Forces até mostrou ser um jogo bastante viciante apesar dos seus problemas. Sem a pressão de termos vidas para apanhar e com níveis curtos, é fácil ficar sentado e fazer só mais um nível, um atrás de outro.

Sonic Forces não é um jogo que possamos recomendar, a menos que sejam grandes fã da série. Embora seja um jogo com o coração no lugar, é claramente um título inacabado, com uma execução estranha e tecnicamente frustrante.

Felizmente, a grande parte dos problemas deste estranho jogo depende apenas da vontade da SEGA e da Sonic Team em lançarem atualizações. Até lá, podem sempre fazer uma viagem ao passado e atirarem-se aos 16-bit de Sonic Mania.

Sonic Forces já se encontra disponível para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

O jogo foi gentilmente cedido para análise pela Ecoplay.

 

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.