Análise – Saber é Poder: Cultura geral para todos

por David Fialho

Nem todos os videojogos se baseiam em histórias, plataformas, corridas, tiros, entre outros géneros, que requerem a destreza de dedos com um comando nas mãos.

Fora do digital, temos jogos de cartas e de tabuleiro bem mais inclusivos para todas as faixas etárias e géneros. E, tal como esses produtos de entretenimento, Saber é Poder quer juntar toda a gente à volta de uma mesa, ou de um ecrã, para entreter, e, até, educar os jogadores.

É mais um título do catálogo PlayLink para a PlayStation 4, e, por isso, não precisamos dos nossos comandos para nada. É tudo controlado através dos nossos smartphones, o que permite “abraçar” todos os tipos de jogadores.

Saber é Poder é um misto de Trivial Pursuit com programas de televisão como Quem Quer Ser Milionário.

Para ser jogado com dois, três ou quatro jogadores, Saber é Poder dura cerca de 15 minutos e lança aos jogadores cerca de nove perguntas e uns quantos desafios até chegarem ao pódio.

O objetivo? Acertar nas respostas certas o maior número de vezes possível. No fim, voltam-se a selecionar os jogadores e repete-se o jogo. Simples, divertido e eficaz.

Saber é PoderSaber é Poder

Tal como um Trivial Pursuit, repetir este jogo depende muito da curiosidade de conhecer todas as perguntas e respostas disponíveis e, obviamente, da vontade dos intervenientes em jogar. É que tudo o que Saber é Poder tem para oferecer é conhecimento.

É um título extremamente fácil de jogar. Depois de selecionarmos a nossa personagem e de tirarmos uma selfie para o nosso perfil temporário, os jogadores vão escolhendo diferentes temas. A partir dessa primeira escolha, o jogo vai oferecendo temas relacionados.

Antes de cada questão, os jogadores podem usar trunfos para se apoderarem do tema que realmente querem e podem atirar armadilhas que dificultam a vida aos outros jogadores, tornando o tempo de resposta mais limitado. É ainda possível congelar questões para tocar várias vezes no ecrã para partir o gelo, limpar as respostas escondidas por gosma e até apagar letras das respostas.

Saber é Poder é um desafio e pode colocar questões bem difíceis de responder. É um jogo com charme e com uma apresentação retro em que o ambiente parece ter texturas reais e em que os nossos bonecos e as suas animações parecem saídas de uma animação stopmotion.

Saber é PoderSaber é Poder

Ao longo do jogo, somos acompanhados por uma música de concurso genérica e efeitos sonoros a condizer, e na voz (em Português) do nosso apresentador temos nada mais, nada menos, do que Herman José. Embora não faça muito mais do que mandar uns bitaites, torna o jogo bem mais familiar.

Todavia, Saber é Poder pode ser um pouco frustrante. Não pelas suas questões de cultura geral, mas pela ligação débil que estabelece com os smartphones.

O jogo tem um botão de pausa, mas, se um dos jogadores sair sem querer da aplicação ou adormecer o seu smartphone, o jogo não para, sendo difícil, por vezes, voltar a entrar. Solução? Começar o jogo de novo. Este pormenor pode ser muito irritante quando acontece bem perto do fim.

Em suma, Saber é Poder é um jogo muito simples para todas as pessoas e que pode ser perfeito para noites com família e amigos, em que sem logins ou preparações é possível ligar os smartphones à rede e começar a jogar.

Saber é Poder faz parte do catálogo PlayLink para a PS4 e está disponível por 19.99€.

O jogo foi cedido para análise pela PlayStation Portugal.


 

Também pode interessar

Deixar uma resposta

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: