Análise – Razer Viper

Revelado no ano passado, o Razer Viper teve direito também a uma versão Ultimate, da qual já falei aqui, mas só agora é que o pequeno rato chegou às minhas mãos.

- Publicidade -

Simétrico, leve e com fio, o Razer Viper, a par com a sua versão Ultimate, é dos ratos da marca com o melhor aspeto, ficando apenas atrás do meu favorito Lancehead. Este modelo, tal como o irmão sem fios, destaca-se pelo seu desempenho graças aos seus botões com switches óticos.

Mais uma vez contamos com um rato desenhado para os “gamers”, no caso da linha Viper, sendo que este resultou de uma colaboração direta com engenheiros e atletas de e-sports para o melhor desempenho possível a um custo acessível. Eu, não sendo atleta, não noto até que ponto é que este é um rato assim tão bom, mas posso, enquanto entusiasta e criativo, dizer que a sua precisão me satisfez bastante.

Mas antes, voltemos ao seu design, que, apesar de ser desenhado para gamers, não apresenta um design arrojado e absurdo, antes pelo contrário. É bastante simples e sóbrio e conta com dois largos botões tradicionais que se dividem do resto do corpo por uma divisão de formato mais angular, apresentando uma simetria que coloca em ambos os lados botões personalizáveis (dois em cada lado) e um material aborrachado para apoiar os dedos. Como não podia deixar de ser, temos ainda o sistema RGB Chroma, que aqui apenas é usado para dar luz ao logótipo da Razer, tornando-se invisível quando está desligado.

O Razer Viper é um rato extremamente leve. Pesa apenas 69 gramas, algo que se sente ao pegar nele. A sua construção e o tamanho relativamente reduzido face a outros ratos gaming tornam-no bastante sólido e fácil de usar, sem dar aquela sensação de periférico barato por ser tão leve.

Leve é também o seu cabo entrançado e maleável que dificilmente se prende ao que quer que seja e, por alguma razão especial, parece que não se sente, nem nunca dobra de forma a tornar-se um obstáculo quando avança bruscamente para a frente. Neste aspeto é, provavelmente, dos melhores ratos com cabo que já experimentei.

O grande destaque deste modelo são os seus botões com switches óticos, a recente tecnologia da Razer que coloca lasers infravermelhos a medirem o ponto de atuação de cada clique. A vantagem destes switches é que eliminam com facilidade duplos cliques acidentais e respondem muito melhor que num rato convencional.

Na prática, serão os jogadores mais dedicados que vão notar a maior diferença. Eu próprio, por exemplo, comprovo que os cliques são extremamente imediatos e precisos. E porque este tipo de rato responde logo ao clique, certas ações mais delicadas em software de produtividade tornaram-se mais fáceis ao não registar o levantamento do dedo em algumas operações.

razer viper analise echo boomer 4

Mas há um aspeto menos positivo a destacar. Apesar das suas vantagens, o Razer Viper faz algum barulho – não no clique mas na mola dos botões -, pelo que, por vezes, parece chiar um pouco demais ao ponto de se tornar irritante. Não é algo que se note muito, mas, com alguma atenção, é possível não conseguirmos ignorar totalmente.

Com um sensor ótico 5G da Razer, o Razer Viper é capaz de atingir 16 mil DPI. Mais uma vez, é um valor que só mesmo os atletas são capazes de usufruir ao máximo, quando eu referi acima que qualquer valor acima dos 4 mil é demasiado.

Da minha experiência, o que posso retirar é que o Razer Viper é um excelente rato, melhor ainda que a sua versão Ultimate, diria, que se apresenta um pouco mais completo e tem a vantagem de ser híbrido, no sentido em que permite a utilização com e sem fios. Mas a eliminação do peso da sua bateria e o cabo quase não inexistente deste modelo normal colocam-no, na prática, ao nível da sua versão melhorada, o que é excelente.

O Razer Viper já está à venda e pode ser comprado em lojas selecionadas ou através do site da Razer por 89.99€.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Razer Viper

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

Simples, preciso e com fios, o Razer Viper é um fantástico rato de gaming com a melhor tecnologia que a marca chinesa tem para oferecer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análise – Cris Tales (PlayStation 5)

Uma aventura pelo tempo que vale a pena o vosso…tempo.

Análise – Just Die Already (PC)

A resposta para a pergunta que ninguém fez: “como seria Goat Simulator se fôssemos um idoso em vez de uma cabra?”

Trust coloca o jogo nas nossas mãos com dois novos ratos

Conheçam o GXT 922 Ybar e o GXT 131 Ranoo.

Análise – Asus ROG Phone 5

Jogos móveis, evoluídos.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Waze recebe a voz de Master Chief para nos ajudar nas nossas viagens

Um estranho crossover que promete ser uma delicia para os fãs de Halo.

App NOS TV foi renovada e oferece 10GB de dados móveis por tempo limitado

Daquelas promoções de verão que devem mesmo aproveitar.

Oeiras Parque vai ter uma instalação artística feita a partir do plástico recolhido de uma praia da zona

Através desta instalação artística, o Oeiras Parque pretende associar-se à mensagem da chamada de atenção dos riscos e comportamento humano na preservação do meio ambiente e dos oceanos.