Análise – Headset 7.1 Razer ManO’War Wireless

Para quem passa muito tempo de volta dos videojogos e gosta de alguma privacidade nas suas sessões e experiências envolventes, um bom par de auscultadores é quase obrigatório.

- Publicidade -

Uma das opções já disponíveis no mercado é o Razer ManO’War, que se apresenta em duas versões: com e sem fios. Nesta análise, vamos olhar para a sua versão wireless, que promete liberdade, boa qualidade de som e, o mais importante, zero-latência.

Estando eu habituado a outro tipo de headsets profissionais, as primeiras impressões com o Razer ManO’War Wireless fizeram-me torcer o nariz, mas, ao longo do tempo, e quanto mais o utilizei, mais enamorado fiquei com o equipamento.

O Razer ManO’War apresenta-se como um headset sofisticado. Conta com um logo Razer Chroma que pode ser personalizado com 16.8 milhões de cores diferentes, tem um design com linhas simples e arredondadas, e, graças a tudo isto, torna-se fácil de destacar no meio de outros headsets gaming, que, normalmente, apresentam designs mais arrojados e complicados. Este é um par de headphones bem bonito.

Vem equipado com dois drivers de alta performance de 50mm e é semi-aberto, deixando que o ruído adicional não cause potenciais distorções. Conta ainda com ligação wireless de 2.4GHz e inclui um microfone extensível e ajustável para as sessões de chat.

Antes de os usar, a minha primeira impressão não foi a mais positiva, especialmente a nível dos materiais de construção e do seu setup inicial no que toca à ligação com o PC.

Apesar de bonito e simples, o Razer ManO’War é demasiado plastificado, algo que o torna mais barato do que aquilo que merece. Por ser altamente ajustável, neste caso para uma melhor ergonomia, todas as partes móveis do headset conferem uma sensação de que algo está prestes a quebrar. Felizmente não foi o caso, e, na realidade, provou-se ser bastante sólido.

O segundo aspeto negativo foi a sua ligação ao PC, não sendo, de todo, imediata. Foi necessário atualizar os drivers várias vezes e atualizar o firmware do headset que, por alguma razão, não estava sincrozinada com a versão instalada do receptor USB. Após este impasse, tudo funcionou cinco estrelas.

O Razer ManO’War Wireless é, como o nome indica, sem fios, mas não se livra de cabos. O dispositivo tem uma pequena ficha USB para fazer a sincronização inicial com o PC e para carregar a sua bateria. Junto com o pacote, temos ainda uma extensão USB cheia de estilo, e que, entre outras coisas, serve para ligar o adaptador wireless.

Este headset, pela sua natureza e propósito, é também compatível com a Playstation 4. E é um mimo usá-lo na consola da Sony, sendo bem mais fácil até do que no PC. É só ligar o adaptador a uma das portas da consola e estamos preparados para jogar e fazer sessões e chat. Simples e eficaz.

Não é, no entanto, compatível com a consola Xbox One da Microsoft, já que estas não suportam headsets USB. Fica o aviso.

A qualidade de som deste equipamento surpreendeu-me pelo valor e pelo facto de estarmos perante um produto sem fios. O som é cristalino, encorpado e não necessita de muitos ajustes para ser possível identificar todo o tipo de sons. Este modelo inclui ainda um modo 7.1 Surround Virtual, que apesar de não ser um 7.1 real, é envolvente quer em jogos, quer em filmes.

A sua ergonomia é um aspeto relevante no isolamento de som. O Razer ManO’War não prima pelo isolamento, mas ganha pontos quanto ao conforto. Neste caso, não aperta muito na nossa cabeça e permite que se use horas a fio.

A Razer afirma que o ManO’War Wireless aguenta-se durante sete dias com um único carregamento se for usando duas horas por dia, ou seja, 14 horas. A maior parte das minhas sessões de jogo foram feitas na PS4 de forma bastante intensiva, pelo que consegui controlar facilmente o tempo de bateria. Na minha experiência não atingi 14 horas, mas, ainda assim, aproximou-se das 10 horas, divididas em dois dias. Isto é algo impressionante tendo em conta que, por exemplo, o comando da consola tem que se carregado quase diariamente.

Incrível é, também, o facto destes auscultadores permitirem sessões de jogo longas. Sim, o ManO’war é extremamente confortável.

Também impressionante e que cumpre a promessa é a experiência sem latência. Em momento algum senti quebras de som ou atrasos em relação à imagem, mesmo quando começava a ficar sem bateria. A distancia de utilização também cumpre o prometido, tendo sido possível usar o headset noutra divisão anexa.

Temos ainda um microfone extensível que se esconde no corpo do headse quando não o estamos a usar. Neste departamento, também se mostrou bastante capaz, sendo uma opção ideal para sessões de chat ou para quem faz vídeos comentados. O som é captado com claridade e sem ruído.

Quando ligado ao PC, o Razer ManO’War pode ser controlado diretamente no equipamento ou com recurso a software da Razer. A aplicação incluída vai ainda permitir controlar diferentes perfis, ligar ou desligar o 7.1 virtual e alterar a cor do logótipo da Razer.

Senti algum ceticismo quando comecei a usar este headset, mas rapidamente tornou-se no meu preferido para as sessões de jogo mais longas. Apesar de o material parecer frágil e barato, a qualidade de som e a ergonomia são excelentes e a sua capacidade sem fios é a cereja no topo do bolo.

Se procuram um headset sem fios, acessível e com uma boa qualidade de som, o ManO’War Wireless leva o nosso selo de recomendação.

O Razer ManO’War Wireless encontra-se à venda por preço recomendado de 199€, mas é possível encontrá-lo mais barato em diferentes superfícies comerciais.

nota 45

O equipamento foi cedido para análise pela Razer.

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análise – Jabra Evolve2 30

Forma e função num par de auscultadores destinado a quem passa muito tempo a trabalhar em frente ao PC.

Xbox celebra o 20º aniversário com novos equipamentos temáticos

Conheçam os periféricos de Edição Especial do 20º aniversário da Xbox.

Manowar são cabeças de cartaz do Laurus Nobilis 2022

E por esta altura já temos um cartaz que mete respeito.

As novas barras de som da Trust apostam no gaming e no RGB

As novidades da Trust são tão coloridas como sonoras. Neste caso, temos duas novas barras de som para juntar ao setup dos jogadores.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Há novas lojas Meu Super em Rio de Mouro e Alcochete

Em 10 anos, o Meu Super abriu cerca de 300 lojas em todo o país, com uma área total de venda 50 mil m2 e criou 1500 postos de trabalho.

Nova funcionalidade da Bolt impede uso de trotinetes e bicicletas sob efeito de álcool

A nova funcionalidade tem como objetivo promover viagens mais seguras para os utilizadores e para os restantes ocupantes da via pública.