Análise – NASCAR Heat 5

Parafraseando o célebre Lightning McQueen: “I AM SPEED!

NASCAR Heat 5

O jogo do desporto motorizado com maior popularidade dos Estados Unidos (no desporto como um todo, só perde em espectadores para a NFL), regressa ao PC e consolas sob o nome de NASCAR Heat 5. E pode-se dizer que satisfaz.

No que toca a popularidade interna, acredito que a modalidade da NASCAR seja um sucesso relativamente grande, mas, a nível externo, tenho as minhas reservas. No mercado europeu encontra muita oposição implacável, como são os casos da Fórmula 1, jogos de rally (Dirt/WRC), o emergente Forza Horizon, o famoso Gran Turismo, entre outros. Posto isto, percebo a relutância na hora de investir no Nascar.

O novo jogo da franquia oferece a experiência mais completa possível e completamente fiel à realidade da NASCAR por via de quatro séries distintas de jogo que ocorrem em 34 circuitos autênticos, contando com todos os equipas, carros e condutores oficiais. No caso de decidirem ter as coisas à vossa maneira, há liberdade de personalização do carro, apesar da variedade de personalização do piloto ainda ser muito limitada e linear.

Relativamente a novidades face ao predecessor, passam sobretudo por um modo de teste de condução em single-player (Test Session), onde é possível fazer ajustes mecânicos ao carro de forma a ficar mais ao gosto de cada um, e pelo modo Championship, onde já podem personalizar o calendário a 100%. Também houve ajustes nas pit-stops, ligeiras melhorias no modo de carreira e as DNF (Did Not Finish) foram introduzidas no jogo – por isso cuidado com o dano no carro.

Para além do novo modo de Test Session e do modo de Championship com mais liberdade de personalização, não existem muitos mais modos. Existe o Race Now, Split Screen, Challenges, Career Mode, Multiplayer e Online Challenges (um desafio por semana).

Enquanto o modo Multiplayer parece ser divertido, na medida em que é possível correr com 40 jogadores em simultâneo, se quiserem competir pela aprendizagem e competitividade não vão sair muito satisfeitos, pelo menos inicialmente. Isto porque, neste jogo, onde há pistas muito lineares, é fácil um pequeno toque arruinar-vos a prova, e pessoas com vontade de fazer isso não faltam. Por outro lado, NASCAR está disponível este ano em eSports, logo, se se dedicarem a sério, podem encontrar mais pessoas que estão “para o mesmo que vocês”.

NASCAR Heat 5

O que me remete para o Career Mode, que é claramente o modo estrela deste jogo. Não é o mais complexo que joguei de jogos motorizados, mas é divertido pela simplicidade com que está montado. Como grande trunfo, é-nos dada a escolha de nos juntarmos a uma equipa ou criar uma nova. Se o objetivo é só competir, então a primeira opção é a mais indicada, mas, se quiserem uma experiência mais completa e divertida, comecem a vossa equipa – que só peca por não deixar contratar outros pilotos.

A nível de gráficos, NASCAR Heat 5 encontra-se a um nível bastante bom, mas, nas pistas em terra, a renderização dos efeitos da lama/poeira podia estar bem mais trabalhada (à distância nem parece natural). Sendo que o motor de jogo vai mudar para o ano que vem (deixando de ser da responsabilidade da Unity), muitas novidade virão a caminho.

Falando da jogabilidade, há dois pontos importantes, onde o mais importante são os presets de assistência de condução. Por norma, vou reduzindo as assistências aos poucos e desativando-as à medida que me vou sentido confortável na condução. Porém, este jogo tem já presets feitos. O conselho que vos deixo é: evitem jogar no mais fácil, porque é enfadonho. Por sua vez, aconselho a irem logo para o mais difícil, porque os outros dois não vão ajudar nada à vossa aprendizagem, dada a simplicidade dos circuitos e da monotonia da condução.

Comecem é com a Inteligência Artificial dos adversários em fácil, pois assim têm tempo e margem para falhas, tornando a adaptação mais agradável e divertida. Mas atenção que a IA deste jogo é mais agressiva e muito mais inteligente no blocking, drafting e pitching. Isto faz com que conduzir offline seja a experiência mais competitiva na história desta franquia.

Nas tecnicidades, há mesmo muito a manipular e alterar, tudo para que possam aproveitar toda a experiência de condução e física do carro. Inicialmente podem sentir que o vosso carro é um bocado lento e pesado, mas tudo depende de um enorme leque de alterações e ajustes que podem fazer. Essas alterações e ajustes passam pela distribuição do peso, compressão dos pneumáticos, suspensão, pressão dos pneus, rácio de alteração de mudanças, entre outras que, para mim, foram novidade. Se quiserem investir nisto, têm aqui um ótimo guia para perceber os efeitos das alterações que vão fazendo.

NASCAR Heat 5

O ato de conduzir em si deixa um pouco a desejar. A resposta do jogo ao comando não é tão natural, realista e fluida como seria de esperar – pelo menos em pista alcatroada. Em pistas de terra, não se nota tanto e até acaba por ser mais divertido do que a experiência “real” de NASCAR. O que tenho lido é que, para conduzir em pista, o melhor mesmo é investir num set de pedais e volante (de preferência com force feedback), mas, para já, isso vai ter de esperar.

Outro problema foi o jogo ter sido lançado com muitos bugs e problemas que só foram corrigidos (em parte) com patches. O facto de terem decidido lançar o jogo dois meses mais cedo do que o costume teve grande influência (sem qualquer dúvida), mas, ainda assim, é um bocado amador lançar um jogo incompleto só para despachar, de forma a ganhar tempo para começar já a desenvolver o próximo. Com o mercado de patches e updates, sinto que se está a perder um bocado o brio na indústria dos videojogos, o que não é nada bom – principalmente para quem gosta de comprar a versão física dos jogos.

O facto de terem adiantado a data de lançamento e a época da Fórmula 1 ter atrasado fez com que este jogo e F1 2020 saíssem um dia a seguir ao outro. E sejamos honestos: dar 120€ por dois jogos de corrida de uma só vez é algo incomportável. Esta infeliz coincidência ainda prejudicou mais o “share” de mercado internacional que NASCAR almejava alcançar.

Fazendo um apanhado geral, apesar de alguns desleixos e falta de novidades, NASCAR Heat 5 continua a ser um bom jogo de desporto motorizado e mais divertido do que aparenta. No entanto, na hora de investir, fiquem a saber que os bónus da Gold Edition não valem o custo extra e, se tiverem o jogo anterior a este, não aconselho o investimento, pois não passa de um pequeno update apressado.

Caso queiram mesmo jogar NASCAR Heat 5, esperem por uma promoção!

Nota: Bom

Plataforma: PC, PlayStation 4 e Xbox One
Este jogo (versão PlayStation) foi cedido para análise pela Sandbox Strategies.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,843FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Franquia Power Rangers vai ganhar filmes e séries à semelhança do MCU

O objetivo é ter um universo que se conecta ao longo das diversas adaptações, seja para o grande ou pequeno ecrã.

Análise – Xiaomi Mi True Wireless Earphones

Apesar do design um pouco mais robusto e a curta autonomia apresentada, o preço dos Xiaomi Mi True Wireless Earphones faz com que sejam uma opção a ter em conta.