Análise – Microsoft Flight Simulator (Xbox Series X|S)

Microsoft Flight Simulator voa mais alto e torna-se ainda mais acessível com a chegada da versão de consolas.

- Publicidade -

Não parece, mas já fez um ano desde que a longa e aclamada saga de simuladores da Microsoft levantou voo com um novo e ambicioso jogo, que nos leva literalmente aos sete cantos do mundo.

O lançamento original foi feito no PC, com a promessa de um dia chegar às consolas, particularmente as da nova geração, algo que acontece agora, com Microsoft Flight Simulator a aterrar nas Xbox Series X|S, com passe de embarque gratuito para os subscritores do Xbox Game Pass para consola.

Um ano depois, a minha opinião não muda muito daquela que cimentei ao longo de várias horas no PC: Microsoft Flight Simulator continua a ser uma conquista técnica, ainda para mais agora numa otimização especializada para as nossas máquinas de sala. A longa lista de aviões conta com modelos extremamente detalhados interior e exteriormente, o sistema de iluminação dinâmico é capaz de reproduzir as mais belas e foto-realistas paisagens que já se viram em videojogos e a escala de podermos explorar um mundo inteiro é quase incompreensível.

Mais uma vez, Microsoft Flight Simulator voltou a acordar em mim a paixão da aviação, mas agora com uma acessibilidade extra. Apesar dos meses que passaram da última vez que pilotei no jogo, esteve sempre presente um sentimento de familiaridade de navegação de menus (muito ao estilo do PC com os seu cursos de navegação para clicar em pontos de interesse). O que salta logo à vista são os muito melhorados modos de treino, adaptados a um novo tipo de audiência, que vão também transformar a experiência dos antigos jogadores de PC, que irão encontrar um jogo completo com essas adições.

microsoft flight simulator xbox series x review echo boomer 2

Microsoft Flight Simulator para a Xbox Series X|S é compatível com uma série de periféricos para podermos simular mesmo a experiência de pilotar uma aeronave, mas a generalidade dos jogadores irá fazê-lo através do comando. Preparado para um jogo mecanicamente denso e cheio de ações intrínsecas para controlar todos os aspetos das aeronaves (ao mesmo tempo que é necessária toda uma atenção de manutenção pré e durante o voo, ou a obstáculos atmosféricos), sabia que regressar a Microsoft Flight Simulator não seria como voltar a andar de bicicleta, e por isso é com uma enorme satisfação que vejo a produtora francesa Asobo a apostar na acessibilidade.

Leia-se que a dita acessibilidade não se resume a facilitar “dificuldades” ou retirar qualquer elemento que torna Microsoft Flight Simulator menos simulador do que já era, mas sim na oportunidade que dá a novos jogadores de aprenderem tudo o que precisam para voarem livremente e em segurança pelo mundo virtual do jogo. Os treinos não são, de todo, obrigatórios, mas são essenciais para perceber como usar o comando ao máximo e saber dividir as atenções entre a pilotagem mais arcade e as mecânicas mais realistas. Dispostos em diferentes pequenas lições, com objetivos simples e pontuações que convidam ao desafio do aperfeiçoamento, Microsoft Flight Simulator faz um excelente trabalho nesta conversão.

O mesmo registo se aplica a uma série de conteúdos e desafios desbloqueados. Por causa da forma como tudo está agora apresentado, Microsoft Flight Simulator na Xbox Series X|S parece um jogo mais composto e com mais conteúdo, com dezenas de desafios de viagens em condições atmosféricas perigosas, aterragens mais complicadas e propostas de voos completos, como endurances de jogos de corridas.

Claro que a estrela de Microsoft Flight Simulator continua a ser a liberdade de descoberta do mundo. Pela forma como podemos partir de onde para onde quisermos, com as condições que quisermos, destacam-se as funções de realtime, que simulam as condições atmosféricas e a hora real de qualquer local do mundo.

Numa primeira impressão, como comentei no início, Microsoft Flight Simulator continua um jogo belíssimo. Nesta versão, graças às atualizações com novos conteúdos, temos acesso a novos pontos de interesse espalhados pelo mundo e cidades mais detalhadas e bonitas, mas, em voos mais rasantes, a ilusão de realismo e detalhe continua a mostrar as suas limitações. Contudo, este é o jogo para admirar o terreno a quilómetros de distância, não a centímetros.

Apesar deste pequeno detalhe(reflexo de limitações absolutamente normais do que é possível fazer num jogo desta estaca), Microsoft Flight Simulator é, novamente, uma conquista técnica pela forma como se apresenta nas novas consolas, particularmente na Xbox Series X.

O jogo original no PC é muito exigente e, apesar de poder ser jogado numa vasta lista de configurações, a experiência ideal ficava limitada apenas a quem tinha um PC bem investido. Nas consolas, a otimização de um ano tornou Microsoft Flight Simulator numa nova demonstração técnica da consola da Microsoft, produzido incríveis visuais de alto detalhe, em altas resoluções e com uma experiência fluida e consistente a 30FPS.

Em cima disso temos tempos de loading reduzidos face às versões de PC, ainda que pudessem ser um pouco mais rápidos quando comparados a outros jogos da nova geração. É, sem dúvida, impressionante para tudo o que tem que carregar antes de qualquer voo.

No entanto, a minha experiência com Microsoft Flight Simulator não foi propriamente suave. Aliás, foi antes de embarcar que senti mais ansiedades, como quem prepara as malas para viajar na vida real. Microsoft Flight Simulator continua um título enorme, ocupando mais de 90GB, sem contar com os conteúdos extra que são descarregados dentro do próprio jogo. A gestão de conteúdos é um pouco mais complicada do que o ideal, tal como a navegação em todas as configurações do jogo, pela quantidade de opções que temos para definir a nossa experiência ideal. Apesar dos esforços da Asobo, continua um jogo com características muito ao nível do que temos num PC, algo que poderá ser melhorado futuramente.

Tal como referi na análise original, Microsoft Flight Simulator não é um jogo para qualquer jogador, mas felizmente, o Xbox Game Pass pode ser o formato ideal para experimentar sem medos o que é pilotar um Cessna ou um Boeing por locais que nunca visitaríamos na vida real. É uma experiência transcendental para os curiosos e pacientes. O título perfeito para jogar enquanto ouvimos podcasts e descontrair ao final do dia, mas claro, depois de todas as lições tomadas.

Microsoft Flight Simulator fica disponível nas Xbox Series X|S e Xbox Game Pass esta terça-feira, 27 de julho.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Disponível para: PC e Xbox Series X|S
Jogado na Xbox Series X
Cópia para análise cedida pela Xbox Portugal

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

O melhor chega à dúzia no Xbox Game Pass em setembro

A segunda onda de jogos para o Xbox Game Pass de setembro é um autêntico tsunami.

Far Cry 6 terá atualização de nova geração

Para que os jogadores que não tenham as novas consolas possam já começar a explorar a nova região da saga.

Halo Infinite aterra no PC e consolas a 8 de dezembro e celebra os 20 anos da saga

O aguardado jogo da Xbox recebe data de lançamento e edições limitadas de consolas e comandos.

Análise – Psychonauts 2 (Xbox Series X|S)

Mais do que um divertido jogo de plataformas e ação, Psychonauts 2 atira-nos para uma aventura épica e abstrata que explora de forma alegre e descontraída uma série de condições psicológicas reais.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Os diplomas e certificado escolares vão passar a registar as atividades, iniciativas e projetos dos alunos

Desta forma, cada estudante verá reconhecido o seu percurso escolar em todas as dimensões.

Onde investir, a que indústrias prestar mais atenção e quais evitar ainda em 2021

Qualquer investidor principiante cometerá os seus erros no mercado de ações. Mas isso é perfeitamente normal.