Análise – Football Manager 2019

- Publicidade -

A cada nova edição de Football Manager temos sempre grandes novidades. Por vezes muito bem conseguidas, outras vezes, nem por isso. FM 2019 não é exceção e esta nova edição, no geral, surpreende.

Regra geral, há uma tendência em tornar estes títulos cada vez mais acessíveis, quer para não cairmos na repetição nem para alienar aqueles que caem de paraquedas neste tipo de jogo.  Não quer isto dizer que FM 2019 está mais simplificado ou tem menos conteúdo, mas, numa primeira impressão, face a edições anteriores, apresenta-se logo mais convidativo, dando até realce às novas mecânicas introduzidas em 2018 e, obviamente, a algumas das verdadeiras novidades – os modos de treino e as novas táticas de jogo.

Ao começarmos, devemos definir o tamanho da nossa base de dados, isto é, escolher quais os continentes, campeonatos e divisões queremos incluir (atenção, agora há a Bundesliga totalmente licenciada), para, logo depois, avançarmos para o processo da nossa equipa. E aqui tudo depende de vós: podem criar uma equipa, escolher um “tubarão” do futebol ou uma equipa amadora (esta última opção pode ser frustrante, mas é a que dá mais gozo).

Depois, a opção de criação do treinador, que podia ser algo bem conseguido, mas que surge algo desinspirado, principalmente porque os resultados obtidos com um modelo 3D da nossa face são francamente maus. É algo que necessita de uma boa revisão. Em todo o caso, o melhor a fazer é escolher um avatar pré-definido pelo jogo, personalizá-lo e seguir em frente.

Assim que seguimos para o menu onde a magia acontece, notamos logo uma diferença abrupta: a mudança da cor. Do verde tão característico da série passámos para um lilás. Esta pode não ser uma diferença que vá agradar a toda a gente, mas parece que dá um “ar mais jovem” aos menus, além de ser uma cor mais a puxar para o neutro.

Porém, mais do que uma questão de cores, convém perceber o que mudou nesta nova edição. Um desses casos é o sistema de tutoriais para principiantes. Agora, cada vez que entrarem pela primeira vez em algum dos menus do lado esquerdo, terão à disposição um tutorial específico para cada uma dessas opções. Podem saltar ou ver o tutorial, mas recomendo que vejam. É rápido e mostra ao pormenor todas as vertentes que podemos escolher.

Além dos tutoriais, o que salta à vista são as novidades nas táticas de jogo, com um sistema bem mais intuitivo. E já não era sem tempo. Agora podem escolher um estilo de jogo num total de 11, para que definam o mais indicado consoante a vossa equipa e jogadores que têm no onze inicial. Por exemplo, não convém escolherem o tipo de jogo do Barcelona – tiki-taka – se não têm jogadores que são bons a trocar a bola rapidamente.

Untitled

Em todo o caso, carregando em qualquer opção das opções, o FM2019 dará algumas dicas de quais as formações que melhor funcionam com cada tática de jogo. Claro, podem sempre criar o vosso estilo de jogo, mas atenção: se o vão fazer manualmente, convém conhecer minimamente a equipa e os jogadores que nela atuam.

Interessantemente, mesmo que escolham uma destas táticas pré-definidas, podem depois personalizá-las ao vosso gosto, pelo que está tudo nas vossas mãos.

Outra grande alteração está relacionada com os treinos, numa mudança que foi pedida pelos fãs. Se antes não existia grande foco nos treinos, nesta nova versão as coisas mudaram totalmente, numa clara aproximação à realidade.

Temos agora um sistema bem mais complexo ao invés dos simples treinos de ataque e defesa do passado. Consoante o nosso estilo de jogo, FM2019 vai-nos sugerir um plano de treinos para cada semana. Podemos claro, personalizar ao nosso gosto, havendo, no máximo, três sessões por dia, o que será excelente para treinar diferentes jogadores para sessões específicas. Por exemplo, podem criar uma sessão só para defesas, outra só para atacantes e outra para guarda-redes, embora se aconselhe a escolherem sessões globais em que todos os jogadores participam.

As opções são mesmo muitas. Se selecionarem um treino Físico, poderão escolher ser uma sessão de Cárdio, Resistência ou Rapidez, entre outras opções. O mesmo acontece com as sessões dedicadas aos guarda-redes, em que, por exemplo, se escolherem uma sessão de defesa de Remates, e os mesmos conseguirem um bom desempenho, certamente que ficarão satisfeitos e ansiosos pelo próximo jogo.

Por aqui já perceberam que, treinando algo em específico, podem eliminar ou reduzir ao mínimo essa lacuna da equipa. Imaginem que a vossa equipa sofre muitos golos de um determinado jeito. EM FM2019 podem tentar combater essa maleita, o mesmo aplicando-se aos golos. Se marcarem muitos, porque não treinar ainda mais a pontaria dos avançados?

Untitled

Mas atenção: se FM2019 vos dá a sugestão do plano de treinos para a semana consoante o vossa tática de jogo, então aconselho a que não mexam muito ou adicionem uma carga extra de treinos. Se, por um lado, alguns jogadores poderão sair motivados destas sessões, há também o risco de aumento de fadiga ou do aparecimento de uma lesão, o que pode levar a que este ou aquele jogador fulcral fique indisponível durante algumas semanas. É de evitar, portanto.

FM2019 está tão cheio de detalhes que, por vezes, pode ser complicado chegarmos a todo o lado. Conseguimo-lo fazer, o problema é que se pode perder tanto tempo com decisões e decisões que, quando damos por nós, já perdemos imensas horas e ainda fizemos poucos jogos.

A pensar nisto, podem também deixar muitas das decisões ao cargo da equipa técnica, para que apenas tenham de responsabilizar-se com vertentes que mais desejam trabalhar, como venda e compra de jogadores.

E por falar em compra e venda de jogadores, o sistema de scouting também sofreu melhorias, na medida em que a informação que nos é dada é agora mais simples de entender, contrariando a quantidade enorme de informação nos títulos anteriores.

À medida que as semanas vão passando, e já depois de tentarmos contratar ou vender jogadores, surgem também as conferências de imprensa. Mais uma vez, pouca atenção dada a este departamento. Embora sobre diferentes assuntos, acabam por parecer quase sempre a mesma, uma vez que as questões são repetidas à exaustão. São muitíssimo aborrecidas e nem sequer dão gozo, mesmo que sejamos mais agressivos com os jornalistas. Podia ser um momento engraçado do jogo, mas é só sofrível. Por isso, nada como deixar as conferências para o treinador-adjunto.

Untitled

Já quando está a decorrer o jogo, a visualização 3D é praticamente idêntica à versão do ano passado. Há ligeiras melhorias nas animações dos jogadores e pareceu-me que os jogadores obedecem melhor às minhas instruções. Ainda assim, vários foram os momentos em que uma instrução foi dada, mas foi como se tivesse falado para uma parede.

Apesar destas melhorias, FM2019 ainda conta com alguns momentos praticamente impossíveis de acontecer, como sermos capazes de contratar uma ex-estrela de futebol europeu para um clube de terceira divisão ou jogarmos contra uma equipa de reservas ou com pouco nível e, ainda assim, podermos sofrer mais do que uma mão cheia de golos.

Foi também introduzido o VAR (vídeo-árbitro) que nem sempre irá tomar as melhores decisões. Mas há mais, muito mais para explorar.

Um último ponto no que toca às licenças, uma vez que a SEGA parece sofrer do mesmo síndrome que Pro Evolution Soccer. Faz-me alguma confusão como é que um jogo com tantos anos no mercado ainda não tem os emblemas oficiais do clube. Mas vá, pelo menos os nomes dos jogadores são os corretos.

Em suma, Football Manager 2019 não é obrigatório para os veteranos da série, mas é, sem dúvida, o título pelo qual os novatos devem começar. Está mais fácil do que nunca despertarmos o Jorge Jesus que temos dentro de nós.

Este jogo foi cedido para análise pela Ecoplay.


- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome