Análise – Alba: A Wildlife Adventure (Xbox Series X|S)

Uma aventura de verão para todas as idades.

- Publicidade -

Como uma aventura de verão, o novo título da ustwo games constrói-se entre a nostalgia e a inocência da infância, assumindo-se como uma excelente aposta para todos aqueles que procuram uma experiência mais educativa e para partilhar com os seus entes próximos. Alba: A Wildlife Adventure é reconfortante, muito curto, mas sempre bem-humorado que revela o quanto o foco e as boas intenções são capazes de elevar uma campanha muito rudimentar a um novo patamar sem precisar de artificialidades ou efeitos visuais.

É difícil ficarmos indiferentes à estória de Alba e não regressarmos aos verões que passámos com avós e familiares longe de pais e do nosso quotidiano. A ustwo games conseguiu captar esta ideia de aventura e deslumbramento sem perder o coração e inocência de Alba: A Wildlife Adventure, transportando-nos para uma ilha mediterrânea num verão que levará a jovem a parar a destruição do parque natural em prol de um resort gigantesco. Com um amor por fotografia, incutido pelo seu avô, e com a ajuda da sua amiga Inês, Alba terá de fotografar as várias espécies de animais presentes na ilha e mostrar aos habitantes que o parque deve ser não só protegido, como restaurado. Para tal, precisa de 50 assinaturas para a sua petição e esse é o grande objetivo da campanha.

Fui imediatamente transportado para o passado, para os verões no Alentejo na companhia dos meus avós e das aventuras que tinha com amigos, que considerava de alma e coração, ao longo de uma semana longe da cidade e da confusão do quotidiano. Alba mantém este lado ternurento, quase mágico, onde somos transportados para um mundo especial e único onde tudo é possível. Ao longo de uma semana, Alba e Inês conseguem não só recuperar o parque natural como convencer o presidente da junta a parar a construção do hotel, numa estória que ficará, assim sentimos, para sempre na vida das duas jovens.

Alba: A Wildlife Adventure

Esta aventura de verão foca-se maioritariamente na descoberta de animais e na captura de fotografias para completarmos o glossário de Alba. Com uma ilha inteira à nossa exposição, que podemos explorar quase livremente, é necessário visitar todas suas zonas, ajudar os habitantes e vizinhos em missões secundárias e conhecer a fauna à nossa volta. Apesar de não existir um foco muito acentuado na qualidade das fotografias, com o jogo a centrar-se mais na sua descoberta e no desbloqueio de informações sobre cada uma das espécies, é difícil não ficarmos entranhados na euforia da exploração e na antecipação da descoberta assim que começamos a encontrar novas espécies.

A campanha é muito curta, com uma duração que pode variar entre as três e as cinco horas – dependendo do vosso empenho –, mas foi refrescante encontrar um videojogo mais preocupado em manter o seu ambiente descontraído do que a encher o jogador de atividades secundárias. Alba não precisa de artificialidades. A ilha é pequena, mas muito fácil de navegar, com pontos de interesse bem definidos e localizados, e sentimos que tudo está à distância de um pequeno passeio. Isto ajuda a exploração e a descoberta de novos animais, existe uma motivação adicional para conhecermos todos os vizinhos de Alba e ajudarmos nas pequenas tarefas, como a recolha de lixo, a reconstrução de casas de pássaros e o salvamento de animais em perigo.

O que admiro mais em Alba: A Wildlife Adventure é a sua aposta na educação e na luta pela preservação da natureza. É um jogo de edutainment, arrisco-me a dizer, sob a alçada de aventura e exploração, mas rapidamente percebemos o cuidado e amor com que a equipa desenvolveu a estória de Alba e dos animais à sua volta. Através do glossário, por exemplo, podemos conhecer melhor as espécies presentes na ilha, como o seu habitat e como se comportam, com o jogo a reforçar o quanto é importante preservar os parques naturais por todo o mundo.

Alba: A Wildlife Adventure

A mensagem nunca é demasiado maçadora ou complexa, mantendo um diálogo acessível a jogadores de qualquer idade, e torna-se rapidamente num veículo importante para ensinarmos os mais novos sobre a importância da preservação, da reciclagem e da entreajuda. Tudo isto envolto numa estrutura de colecionáveis e sob o estilo de uma descontraída férias de verão. Nunca deixa de ser satisfatório ver a ilha a ficar mais limpa e organizada através das nossas ações.

Alba: A Wildlife Adventure não é um jogo perfeito e nem o tenta ser. A versão para consolas apresenta alguns bugs e falta de polimento nos cenários, mas a sua alma é irrepreensivelmente forte e reconfortante. Terminei a minha jornada com um enorme e sincero sorriso que ainda agora não consigo afastar. Viajei até ao passado, até à infância e o título da ustwo games é uma ressalva para um ano que se mantém atribulado. Às vezes é bom conseguirmos desligar e simplesmente deixarmo-nos levar pelos videojogos.

Alba não é apenas a protagonista deste videojogo, mas sim uma representação coletiva de todos nós e não poderia existir melhor forma de começar o verão do que esta.

Nota: Muito Bom

Disponível para: PC, Xbox One, Xbox Series X|S, PlayStation 4, PlayStation 5 e Nintendo Switch
Jogado na Xbox Series S
Cópia para análise cedida pela Bastion PR.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

The Lightbringer – Uma aventura poética

Um jogo de plataformas interessante com algumas escolhas de design que o tornam num produto bizarro.

Gleylancer – Da Mega Drive, com Amor

O título da Masaya Games chega finalmente ao ocidente, 29 anos depois da sua estreia.

Blade of Darkness – À lei da espada

Um regresso ao passado competente que merecia algumas melhorias na jogabilidade.

Shadows of Kurgansk – Fujam desta Zona de Exclusão

Mais um jogo de sobrevivência que faz o mínimo para se destacar.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Comprar casas em Portugal com criptomoedas? Há quem o faça

E por valores ao alcance de poucos.

Já podem ter uma linha de cosmética masculina do Benfica

Podem já guardar como prenda de Natal.

Cyberpunk 2077 e The Witcher 3 na nova geração em 2022

A promessa das atualizações para as novas consolas estava prometida para este ano.