Amplificação do Hospital de Setúbal estará concluída até 2023

- Publicidade -

Não se sabe, porém, quando as obras começam.

Numa altura em que Portugal aguarda luz verde da Agência Europeia do Medicamento para avançar com a administração de uma terceira dose da vacina contra a COVID-19, neste caso para as pessoas com mais de 65 anos, ideia que foi reforçada por António Lacerda Sales, Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, num congresso de medicina interna que decorreu no Algarve, há também que garantir que os hospitais têm condições para tratar os doentes, não só a nível de espaço, como a nível de profissionais de saúde.

O caso do Hospital de Setúbal tem dado que falar há imenso tempo devido à falta de condições, onde vários pacientes estão deitados em macas espalhadas ao longo dos corredores. Esta semana, o diretor clínico do Centro Hospitalar de Setúbal, Nuno Fachada, apresentou a demissão do cargo, justificando a decisão com a “situação de rotura e agravamento nas urgências médicas, obstrética e EEMI (Equipa de Emergência Médica Intra-Hospitalar)”, bem como “dificuldades noutras escalas como a pediátrica, cirúrgica, via verde AVC e urgências internas”. E esta saída por vontade própria do diretor deu origem a outro problema: os diretores de todos os serviços vão demitir-se.

Enquanto a situação não se resolve, António Lacerda Sales, no tal congresso de medicina interna que decorreu no Algarve, acabou por falar da expansão do Hospital de Setúbal.

“No caso do Hospital de Setúbal, umas das reivindicações era de facto a questão da amplificação do hospital. Posso dizer que na primeira quinzena de outubro vai abrir o procedimento concursal e até final de 2023 estarão concluídas as obras”, disse António Lacerda Sales aos jornalistas.

Portanto, desde o prazo para submissão de propostas terminar, analisar todas as candidaturas, definir a empresa responsável pelas obras de expansão do hospital, até as obras efetivamente começarem, é algo que ainda deverá demorar algum tempo. O Secretário de Estado Adjunto e da Saúde não referiu, porém, quando é que essas obras iriam começar, somente que iriam terminar no final de 2023. Daqui a dois anos, portanto.

Até lá, a não ser que o Governo crie melhores condições para a contratação de profissionais de saúde, é bem provável que os problemas do Hospital de Setúbal se estendam até que o edifício ganhe outras dimensões.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes