Adiados, como serão os cartazes dos festivais em 2021?

Muitas das promotoras dos festivais pretendem replicar, ou, se tal não for possível, contar com boa parte dos cartazes apresentados este ano. Porém, alguns dos festivais são ambiciosos e prometem que os festivaleiros sairão a ganhar.

COVID-19
- Publicidade -

É a notícia que está a marcar o dia. Sabendo agora que nenhum festival poderá realizar-se até 30 de setembro, muitas das promotoras desses eventos começam a pensar já na edição do próximo ano.

Com 2020 suspenso, por assim dizer, os festivais não só querem manter os mesmos cartazes, como apresentar lineups ainda melhores aos festivaleiros.

Um desses casos é o do NOS Primavera Sound, que, ao que tudo indica, deverá acontecer no segundo fim-de-semana de junho, ou seja, de 10 a 12 de junho de 2021. Ao Observador, o organizador do festival, José Barreiro, garantiu que o cartaz do próximo ano deve ser anunciado muito em breve, prometendo um lineup semelhante, onde se incluem os cabeças de cartaz previamente confirmados. Além disso, é provável que o NOS Primavera Sound saia reforçado no que a concertos diz respeito.

Em relação ao NOS Alive, a ideia também é a de contar com um cartaz semelhante. Vamos “tentar replicar ao máximo, se não todo, o cartaz”, disse Álvaro Covões, diretor-geral da Everything is New, à Rádio Observador.

Já a organização do MEO Marés Vivas é peremptória, prometendo uma edição muito melhor para 2021. “Vamos guardar as pérolas deste ano e acrescentar mais algumas à próxima edição”, disse Jorge Lopes, organizador do MEO Marés Vivas, à mesma rádio, referindo-se, naturalmente, aos artistas e bandas que poderão ir ao Porto. O festival irá realizar-se a 16, 17 e 18 de julho de 2021.

No que toca ao EDP Cool Jazz, Karla Campos, diretora do festival que se realiza em Cascais, adiantou ao Observador que já tratava do adiamento, até porque já não vendiam bilhetes desde 10 de março. Porém, e apesar de ter referido que o festival deverá acontecer em julho de 2021, não se comprometeu com artistas ou bandas.

Relembre-se que o EDP Cool Jazz não é o típico festival, uma vez que, por norma, somente dois artistas ou bandas atuam por dia.

Relativamente ao Vodafone Paredes de Coura, João Carvalho, diretor do festival, referiu à Blitz que tem o “sonho de manter este cartaz e, se possível, melhorá-lo”. Além disso, garantiu que o evento irá realizar-se nas mesmas datas, ou seja, de 19 a 22 de agosto de 2021.

Tal como já tínhamos referido, o RFM Somnii, da promotora MOT, irá contar em 2021 com a totalidade do cartaz apresentado este ano. O festival acontece a 9, 10 e 11 de julho de 2021 e promete surpresas que serão reveladas em breve.

A Prime Artists, que organiza o VOA – Heavy Rock Festival, e a Música no Coração, que tem a seu cargo o MEO Sudoeste, Sumol Summer Fest, Super Bock Super Rock e o novíssimo Jardins do Marquês Oeiras Valley, que afinal não faz a sua estreia este ano, ainda não se pronunciaram.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Burger King aposta em jogos de praia em nova campanha

Um kit de Ping Pong, Raquetes de Praia ou Torre de Batatas. É só escolher e começar a jogar.

Música – Álbuns essenciais (junho 2021)

Uma dúzia de bons álbuns chegam para resumir o mês de junho.

Espanhóis Obsidian Kingdom tocam em Lisboa em novembro deste ano

A abertura da noite fica a cargo dos portugueses Gaerea.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

LENNA. Nova marca aposta em sapatos vegan, sustentáveis e feitos em Portugal

Na verdade, trata-se de uma fusão entre alpercatas e ténis. E é bem provável que tenhamos aqui a sensação do verão.