fbpx

Yupido, a empresa que ninguém conhece tem o maior capital social de Portugal

Há muitas empresas conhecidas em Portugal, empresas essas que acabam por gerar uma riqueza considerável para os seus proprietários. Temos a Galp, EDP, Sonae, BCP… e a Yupido. Não conheces? Pois, nem tu nem ninguém, aparentemente.

A empresa está a causar polémica devido ao seu capital social: uns impressionantes 28 mil milhões de euros, sendo considerada a empresa com o maior capital social em Portugal. Se pensarmos bem, este valor corresponde a mais de 15% da riqueza gerada no nosso país em 2016. Portugal tem um PIB de 184 mil milhões de euros.

A Yupido, S.A. é uma companhia fundada em 2015 por Cláudia Aves com sede nas Torres de Lisboa e está registada como uma empresa de consultoria. Consultoria? Bem, os textos no site oficial são de tal forma ambíguos que não se percebe em concreto o que faz esta empresa. Apenas referem não ser “uma empresa tradicional”.

A empresa era desconhecida até aos dias de hoje, contudo, vários utilizadores do Twitter começaram a divulgar o caso naquela rede social, num assunto que já está nos mais importantes do dia de hoje.

Se fores ao site da Yupido, poderás ver os estatutos da empresa e os responsáveis pelo projeto. Neste caso é possível “conhecer” três pessoas: Hugo Martins (presidente executivo), Cláudia Alves (diretor de operações) e Torcato Jorge (diretor de marketing), tudo jovens na casa dos 20 e muitos anos.

Mas e se alguém quiser contactar a empresa? Exato, não é possível, dado que não existe qualquer endereço de email ou número de telefone. Podes tentar obter uma resposta com o formulário de contacto patente no site, mas nada é garantido. Além disso, o jornal ECO refere que, tendo feito um telefonema para a morada da Yupido, um responsável da Regus Business, empresa que faz a gestão do escritório da Yupido, referiu não existir na Torre G, na Rua Tomás da Fonseca, em Lisboa, qualquer empresa.

Por esta altura ainda deves estar com os 28 mil milhões de euros no pensamento. O problema aqui é que, tendo em conta a prestação de contas da Yupido, não existe qualquer volume de vendas, ou seja, é nulo. Sabe-se, porém, que houve prejuízo de 11.800 euros em 2015 e 21.570 euros perdidos no ano passado. O mais curioso de tudo isto é que a Yupido não tem colaboradores. Falta referir que são 28 mil milhões de euros de ativos intangíveis, ou seja, algo não palpável.

O Jornal ECO refere novamente que a empresa começou com um capital próprio de 243 milhões de euros em 2015, ano da criação da Yupido, tendo sido realizado um aumento de capital em espécie (significa que não é em numerário) no ano passado. Foi aí que surgiram os 28 mil milhões de euros. Apesar de 243 milhões de euros ser um valor absurdo para a escala nacional, a verdade é que tudo isto foi registado, assinado e verificado por um TOC (técnico oficial de contas) no registo comercial.

Tudo isto é muito confuso. Houve um aumento de capital em espécie na medida em que a empresa registou os tais 28 mil milhões de euros em ativos intangíveis. Mas depois diz que o valor foi “foi integralmente subscrito e realizado em dinheiro”?

O auditor de contas da Yupido, a J. Rito & Associada, já solicitou informações ao conselho de administração. Afinal, que tipo de ativos gere esta empresa? Será isto uma piada de mau gosto?

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,786FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
630SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

- Publicidade -

Mais Recentes

Burger King abre restaurante próprio em Porto Alto

É o sétimo restaurante próprio Burger King do grupo em Portugal.

Doom, Forza e mais a caminho do Xbox Game Pass em outubro

Há novos jogos para PC, Xbox e Android!