O novo Volvo EX90 vai omitir informação supérflua para não distrair o condutor

- Publicidade -

A marcar quer garantir uma experiência de condução mais segura e focada.

Os automóveis estão, hoje em dia, cada vez mais equipados com novas capacidades, funcionalidades e tecnologias. A Volvo Cars deseja que estas novas caraterísticas sejam de facto capazes de tornar a vida a bordo mais fácil e mais segura ao invés de criar mais distração e confusão para o condutor. É por isso essencial que o automóvel forneça informação clara e contextualizada.

Com isto em mente, a Volvo faz da transição entre o modo de condução manual para o modo de condução assistida (e, no futuro, autónoma) uma prioridade máxima, capaz de ser executada sem esforço e de forma intuitiva. O mesmo se aplica ao acesso às funcionalidades através dos ecrãs do automóvel: o objetivo principal é apresentar somente o que é necessário de uma forma simplificada.

O Volvo EX90, o próximo modelo 100% elétrico da marca, virá equipado com um grande ecrã central que dará acesso rápido à navegação, aos meios de comunicação e ao telefone, bem como aos controlos e outras ações mais comuns. Existirá também uma barra contextual especial, capaz de sugerir as ações que façam mais sentido em determinada situação específica que irá variar em função de se estar estacionado, a conduzir, ou numa chamada telefónica.

Para informações mais focadas na condução, tais como direção, velocidade e detalhes sobre a autonomia, existe um segundo ecrã, mais pequeno, localizado mesmo atrás do volante. Será também neste ecrã que o automóvel será capaz de contextualizar a mudança de um modo de condução para outro, certificando-se de que o condutor saiba o que esperar do automóvel – e vice versa.

Ao combinar a capacidade de deteção exterior e interior, com o software desenvolvido internamente pela marca e o processamento central do automóvel, a marca espera que o utomóvel seja capaz de ler cada situação e de fornecer as informações de uma forma contextualizada baseada nesses inputs.

Isto significa que, ao conduzir, o automóvel irá apoiar o condutor. Esse apoio é concedido através de um conjunto de sensores de última geração capaz de fornecer uma visão 360º do ambiente circundante permitindo reagir, de uma forma proactiva, às coisas que se passam à sua volta, mesmo quando o modo de condução assistida esteja inativo.

Em modo de condução assistida, o apoio é diferente. O automóvel irá informar, de uma forma contínua, sobre o que está a ver efetivamente, e sobre que informações está a atuar. Para além de fornecer apoio à direção e ajudar a manter uma velocidade constante, irá ajudar também em mudanças de faixa de rodagem.

O novo Volvo EX90 estará preparado, do ponto de vista de hardware, para a condução autónoma não supervisionada, o que significa que, no futuro, o automóvel poderá conduzir tendo sido concebida uma transição entre os diferentes modos de condução tão previsível e suave quanto possível.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes