Vítimas de violência doméstica vão poder fazer denúncias através de uma aplicação

- Publicidade -

A app ficará disponível já este ano.

A Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, com a tutela da Igualdade, anunciou, na Lousã, que vai ser criada e testada ao longo deste ano uma aplicação móvel, dissimulada, que permitirá às vítimas de violência doméstica contactar e fazer denúncias junto das entidades públicas competentes.

A violência doméstica “continua a ser um crime silencioso” e, em certa medida, “é bem um espelho” da sociedade, já que “atinge todos os estratos sociais”, pobres e ricos, independentemente da profissão e da formação académica, referiu Ana Catarina Mendes ao longo da visita à sede da Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça (Dueceira), na Lousã, distrito de Coimbra, onde funciona o Gabinete de Apoio à Vítima (GAV), numa sessão em que foi apresentada pelos técnicos envolvidos a Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima de Violência Doméstica (RIAVVD), que inclui as componentes de GAV e de Respostas de Apoio Psicológico (RAP).

A Ministra disse que as ações de combate e prevenção da violência doméstica serão incrementadas ao longo de 2023, no âmbito de um reforço das verbas respetivas consignadas no Orçamento de Estado.

Além disto, este ano irá ser lançado “um mecanismo mais expedito” de apoio e denúncia, mecanismo esse que tomará a forma de uma aplicação digital dissimulada que, de maneira anónima e direta, colocará as vítimas em contato direto com as entidades especializadas em assistência e apoio.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes