Viajar na Free Now vai ficar mais caro

- Publicidade -

Já a partir de 11 de outubro.

Uma das lutas diárias dos trabalhadores do setor TVDE tem sido a melhoria das condições, neste caso fazer com que os clientes paguem mais para que eles, condutores, possam receber mais no final do mês. Pois bem, é mesmo isso que vai acontecer.

Num email enviado aos motoristas, a Free Now começa por dizer que “subiu os preços da principal categoria, Ride, há cerca de três meses”, tendo sido a primeira plataforma a fazê-lo em mais de dois anos.

Na altura, a plataforma também prometeu que, quando tivesse mais procura e motoristas, que o preço iria voltar a subir.

“Pois bem, a fase pandémica acabou e como já devem ter reparado encontramo-nos numa fase de grande crescimento. Por isso, e graças ao vosso empenho e profissionalismo, chegou a altura de subir o preço mínimo das viagens de 2,5 para 3 Euros, na categoria Ride e Electric, já a partir da próxima segunda-feira, dia 11 de Outubro”, diz a empresa no email enviado, deixando ainda a garantia que irá voltar a subir os preços algures no tempo.

“A FREE NOW não se esconde atrás de algoritmos nem de frases abstratas: temos consciência de que, de forma a garantir a sustentabilidade do nosso setor, os preços terão de subir. Não nos esquecemos que o preço dos combustíveis aumentou dramaticamente nos últimos meses… É por isso que, desde há dois meses, somos a única plataforma que paga a Compensação de Pedido Distante e temos bónus TODOS os dias para todos os motoristas que tenham uma boa qualidade de serviço”, pode ler-se ainda no tal email.

O que é que isto significa na prática? Bom, que os clientes passam a pagar mais, no final de contas. Ou seja, se até aqui o mínimo de pagamento era de 2,50€ por viagem, agora o mínimo passa a ser de 3€.

Quem paga não vai gostar muito, mas é algo essencial para manter alguma estabilidade no setor.

- Publicidade -

1 Comentário

  1. Finalmente uma aplicação que respeita e percebe as necessidades e tendências do motorista.
    Outras têm muito a aprender com esta política, já que nem ficando com menos de 60% dos motoristas ativos assim o percebem quando aumentam taxas sem qualquer melhoria.
    Resta é esperar qualidade de distribuição, gestão, subida de preços em tempo real conforme procura e gps com a mínima margem de erro no serviço. Qualquer uma que siga este caminho, tem os motoristas ligados.
    Eu e mais alguns vamos finalmente instalar derivado ao respeito pelo nosso tempo e gastos.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes