Tudo o que precisam de saber sobre a Linha Rubi do Metro do Porto

- Publicidade -

A empreitada deverá demorar 1.035 dias de calendário, ou seja, 34 meses, sendo que a construção arranca em 2023.

A Linha Rubi a construir localiza-se no concelho do Porto na União de Freguesias do Centro Histórico do Porto (Cedofeita) e União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, e no concelho de Vila Nova de Gaia, na União de Freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada e União de Freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso.

O projeto desta linha, independente do resto da rede, consiste na instalação de via dupla numa extensão aproximada de 6,44 km com ligação, do lado do Porto, à linha Rosa na estação da Casa da Música e com ligação, do lado de Vila Nova de Gaia, à Linha Amarela, através de um ramal de acesso ao término de Santo Ovídio, por onde será encaminhado o material circulante que irá operar nesta linha e será parqueado e mantido no futuro PMO de Vila d´Este.

Também faz parte desta linha a construção de uma obra de arte especial: uma ponte sobre o Douro. Esta ponte fará a ligação entre o Campo Alegre e Arrábida e servirá apenas o Metro e a circulação pedonal, correspondendo à componente de Mobilidade Sustentável do PRR.

O projeto foi dimensionado de modo a garantir que a Linha Rubi possa vir a operar com 16 veículos duplos por hora e por sentido.

Os trabalhos a desenvolver no âmbito da empreitada de construção da Linha Rubi (Casa da Música – Santo Ovídio), em via dupla, com um desenvolvimento, entre eixos de estações, de 6,3 km, apresentam-se, de uma forma muito sucinta, nos pontos seguintes:

  • Três Estações de superfície: Arrábida, Candal e Rotunda (com parque de estacionamento para 500 veículos);
  • Estações subterrâneas a executar pelo método cut&cover: Casa da Música (parcial), Campo Alegre, Devesas (interface de comboios), Soares dos Reis e Santo Ovídio (ligação com a estação existente);
  • Cinco poços: Três Poços de Ventilação e Emergência (PEV) sendo dois deles servirão para ataque à execução dos túneis mineiros; E dois Poços de Emergência (PE) sendo um deles equipado com poço de bombagem;
  • Dois ramais de ligação na Estação Casa da Música e na Estação de Santo Ovídio para a injeção e retirada de veículos;
  • Ponte em pórtico executada em betão de alta resistência, com a utilização de betão leve em algumas partes da estrutura – Comprimento total de 835 m distribuído por 8 vãos, com 7 pilares intermédios, sendo o vão principal de 428,60 m. O tabuleiro tem 15,40 m de largura, sendo os 6,40 m centrais dedicados ao metro e as duas faixas laterais de 4 m cada para o transito pedonal e ciclistas;
  • Túneis mineiros, pelo método NATM, para via dupla: numa extensão total de aproximadamente 2,5 km subdivididos em três trechos.

No âmbito da implantação da infraestrutura do Metro do Porto, nas zonas em que a nova linha de metro se encontra à superfície ou com ela interfere, proceder-se-á à reformulação da rede viária e do espaço público, inserção urbana e paisagismo.

Com a Linha Rubi, a rede de Metro ganhará mais de 12 milhões de clientes anuais – 10 mil dos quais estudantes que, agora, terão acesso mais facilitado ao Pólo Universitário do Campo Alegre e às faculdades de Arquitectura, de Ciências e de Letras. Em termos directos, cada euro de investido resulta em três euros e meio de vantagens económicas para os cidadãos.

Estima-se uma série de benefícios sociais, económicos e ambientais quantificados em 900 milhões de euros.

A empreitada deverá demorar 1.035 dias de calendário, ou seja, 34 meses, sendo que a construção arranca em 2023. O investimento é de 300 milhões de euros, provenientes de financiamento a fundo perdido do Plano de Recuperação e Resiliência.

- Publicidade -

1 Comentário

  1. Seria interessante que a linha rubi fosse até Espinho no canal da CP linha do Norte e que esta tivesse um novo canal direto duplo ponte S.João -Espinho.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes