Google abre as portas da E3 2019 com novos detalhes do Google Stadia

por Echo Boomer

Este ano, a época em volta da E3 teve um novo jogador que se antecipou com uma transmissão exclusiva ao seu novo e inovador serviço de subscrição de videojogos que promete ser o verdadeiro Netflix do gaming.

Na transmissão liderada pelo veterano da indústria, Phill Harrison, ficámos a conhecer como, quando e onde é que este novo serviço vai arrancar.

Google Stadia não chega a Portugal em 2019

Sem uma data concreta para já, o Google Stadia chega aos utilizadores no final deste ano a 14 regiões, e, infelizmente, Portugal fica de fora. Os países escolhidos para acolher este serviço serão, para já, a Bélgica, Finlândia, Canadá, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Espanha, Suíça, Reino Unido e, claro, Estados Unidos.

Este lançamento será segmentado e a Google promete chegar a novas regiões em 2020, não havendo garantias que Portugal poderá ser uma dessas regiões.

Em 2020 chega também a compatibilidade a novos equipamentos, mas, neste departamento, o lançamento parece ser bastante sólido. Uma das promessas que a Google quer tornar realidade é levar os videojogos até todos os dispositivos e, quando o Google Stadia chegar ao mercado, vai ser possível jogar qualquer título do catálogo nos PCs e portáteis (via Google Chrome), tablets, televisões (via Chromecast Ultra) e smartphones Pixel Phone. O suporte para novos dispositivos irá chegar mais tarde a outros smartphones e até a televisões com aplicações nativas.

É só clicar e jogar, se a ligação for boa

O que não será requerido, segundo a Google, é uma consola. Basta qualquer equipamento moderno com um ecrã e um comando.

A Google voltou a apresentar o seu Stadia Controller, um comando sem fios semelhante aos comandos das consolas atuais, o qual promete dar aos jogadores a melhor experiência Stadia. Contudo, outros comandos e até teclados e ratos serão compatíveis com o serviço.

Durante a transmissão, também se ficou a conhecer os requisitos para uma experiência sem compromissos. Segundo a Google, uma ligação de 35Mbps é o suficiente para conseguir jogar a 4K com HDR a 60FPS e áudio Surround 5.1. Para quem não tem ligações tão rápidas, 20Mbps oferecem a mesma experiência a 1080p, e 10 Mbps baixa para os 720p a 60FPS.

Como não podia deixar de ser, falou-se em jogos. A experiência Stadia promete ser o equivalente aos serviços de streaming vídeo on demand. Um clique e estamos a jogar. Sem patches, downloads, nada.

Durante a conferência, foi revelada uma lista de jogos bastante bem composta, mas não o suficiente para aliciar todos os jogadores.

Entre os jogos mostrados, houve tempo para revelações como o anúncio de Baldurs Gate 3 (que sairá também para PC) e da nova expansão de Destiny 2, Shadowkeep, que irá fazer parte de uma das ofertas de subscrição.

Por fim, ficámos também a conhecer o modelo de negócio do Google Stadia que, infelizmente, deixa um pouco a desejar.

A subscrição do Google Stadia dá acesso a alguns jogos e descontos na compra de títulos novos

Quando chegar, o Google Stadia vai ter direito a uma edição de fundador, um pack físico, que inclui uma edição limitada do comando Stadia, em tons de azul, um Chromecast Ultra para usar numa TV 4K, 3 meses da subscrição e a coleção completa de Destiny 2, tudo por 129 dólares.

O Google Stadia tem, para já, apenas uma subscrição paga mensal, que tem o nome de Stadia Pro. Custa 9,99 doláres e, para além de dar acesso a um catálogo selecionado de jogos, dá desconto a novos lançamentos.

Sim, leram bem, novos lançamentos. O Google Stadia não é um serviço all you can eat, como muitos esperavam. Assemelha-se, sim, a subscrições como as das consolas (PlayStation Now ou Xbox Game Pass), onde há adições regulares e com os novos lançamentos a não se juntarem logo ao catálogo. Daí Destiny 2 fazer parte da edição de fundador.

O Google Stadia funcionará também como uma plataforma como o Google Play, onde os jogadores poderão criar a sua biblioteca de jogos, comprando os títulos disponíveis, separadamente (que podem ser vistos no vídeo em baixo). Esta subscrição base não tem custos adicionais, mas estará limitada a uma experiência 1080p a 60FPS.

Uma coisa é certa: por cá teremos que esperar e, com sorte, chegará com um serviço mais sólido.

O Google Stadia tem o seu lançamento oficial no final de 2019.

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: