Tim Hecker abre a nova temporada da Culturgest

A abertura da temporada da Culturgest – dando igualmente início às comemorações dos 25 anos desta fundação – realiza-se, no dia 4 de outubro, com o concerto de Tim Hecker, que vem apresentar, em estreia europeia, o novíssimo Konoyo.

Um concerto que traz também uma novidade nas atuações ao vivo do músico canadiano: em palco, um ensemble composto por Kara-Lis Coverdale (que abre esta noite e introduz Konoyo), e músicos do ensemble gagaku Tokyo Gakuso revelam onde é que Tim Hecker foi buscar a matéria-prima e inspiração para este novo trabalho, criando uma ponte emocional única entre duas culturas e dois tempos distantes.

Depois de Love Streams, em 2016, Tim Hecker criou, em Konoyo (o seu nono álbum, cuja data de lançamento é 28 de setembro, pela Kranky), um híbrido majestoso que tanto assume o lado delicado e complexo da instrumentação gagaku da corte japonesa, como cria a abstração total que habitualmente vive dentro do tumulto da sua eletrónica de alta pressão.

Os bilhetes custam entre 7€ e 14€ e estão à venda na bilheteira da Culturgest e online.


 

- Publicidade -

Sigam-nos

10,558FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
610SeguidoresSeguir

Relacionados

Radiohead disponibilizam icónico “concerto” de estúdio From The Basement no YouTube

Numa hora, a banda toca o disco The King of Limbs na íntegra, bem como algumas faixas que ficaram de fora.

Swans vêm mesmo tocar a Portugal no próximo ano

Esperemos que, até lá, já ninguém oiça falar da COVID-19.

Concerto de Iggy Pop no Royal Albert Hall em 2016 chegou ao YouTube

A já considerada lendária atuação do icónico artista aconteceu em 2016. Iggy Pop contou com convidados de nesse concerto.
- Publicidade -

Mais Recentes

ZenZoe. Chegou a Portugal o robô que desinfeta áreas e objetos propícios à transmissão de COVID-19

O ZenZoe foi desenvolvido pela ASTI Mobile Robotics, empresa de tecnologia e robótica sediada em Espanha,...

Crítica – The King Of Staten Island

The King Of Staten Island emprega uma fórmula muito conhecida (e demasiado utilizada) que se estende em demasia, mas Judd Apatow equilibra-a com um sentido de humor negro com a ajuda dos seus co-argumentistas.