Supermercados voltam a poder vender livros e materiais escolares

Mas mantém-se a proibição de venda em relação a outros bens não essenciais.

entregas online
- Publicidade -

Hoje, numa comunicação ao país após mais uma reunião do Conselho de Ministros, o primeiro-ministro António Costa anunciou que, essencialmente, “a regra é manter tudo exatamente como está”. Portanto, mantém-se o confinamento e as demais medidas em vigor. Mas há uma diferença.

“A única exceção é a que resulta do decreto do senhor Presidente da República, que nos proibiu de proibir a venda de livros e material escolar nos estabelecimentos que se mantêm abertos, ou seja, nos supermercados e hipermercados”, afirmou o primeiro-ministro.

Assim, os estabelecimentos de comércio a retalho que se encontrem em funcionamento poderão retomar a venda de livros e materiais escolares. Mas somente esses, pois todos os restantes consideram-se bens não essenciais e, como tal, a sua aquisição deve ser feita através de lojas online.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Mercadona vai abrir nove supermercados em Portugal este ano

Todos concentrados no norte do país.

Supermercados deixam de vender roupa, livros e artigos de decoração temporariamente

Estes estabelecimentos irão focar-se na venda de bens considerados de primeira necessidade.

Supermercados fecham às 13h aos fins de semana, mas as compras online estão a funcionar na mesma

Ou seja, e como não podemos sair de casa, são os supermercados a ir ter com os clientes.

Câmaras municipais já estão a proibir que os supermercados abram portas às 6h30

Alguns autarcas nem sequer esperaram pelo Conselho de Ministros desta quinta-feira.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Grupo Accor abre novo hotel Mercure em Fátima

Situado a cinco minutos a pé do Santuário de Fátima.

Razer vai de mala cheia à E3 com o ultra-portátil mais avançado de sempre

E com um novo monitor e uma máscara de proteção avançada.