Adeus Vodafone Mexefest, olá Super Bock em Stock

Muitos de vós podem não saber, mas, antes de se chamar Vodafone Mexefest, o festival intermitente que acontece na Avenida da Liberdade surgiu como Super Bock em Stock, nome que, agora, voltar a assumir com o naming da Super Bock, a marca de cervejas mais associada à música.

- Publicidade -

O Super Bock em Stock regressa este ano à Avenida da Liberdade, em Lisboa, nos dias 23 e 24 de novembro, afirmando-se como um evento de apresentação de artistas e bandas que apontam novos caminhos a nível nacional e internacional, e que fez do inverno uma estação tão boa como qualquer outra para ‘ver’ música. Caminhar pelas ruas e, de sala em sala, descobrir música nova.

Primeiras confirmações

Os primeiros nomes confirmados para o Super Bock em Stock dão já mostras de que este era um regresso obrigatório: Johnny Marr, Elvis Perkins, Charles Watson, The Harpoonist and the Axe Murderer e Conan Osiris, a representar a criatividade nacional.

Johnny Marr estreou-se a solo com o disco The Messenger, editado em 2013. O público e a crítica ficaram rendidos às novas canções criadas por Johnny Marr e à sua competência enquanto cantor, uma faceta do guitarrista menos conhecida até então. Um ano depois, chegou Playland, e, neste ano de 2018, Johnny Marr já nos presenteou com o seu terceiro disco a solo, Call The Comet. “Hi Hello” é um belíssimo exemplar da boa forma de Johnny Marr – um homem que quer sempre mais e que não fica à sombra do passado. Foi guitarrista dos míticos The Smiths, fez parte dos Electronic, passou pelos The The – que vêm ao Super Bock Super Rock Modest Mouse e The Cribs.

Elvis Perkins começou a gravar as primeiras composições na universidade que viriam a integrar o seu disco de estreia: Ash Wednesday. O disco foi gravado no ano de 2006 em Los Angeles. Três anos mais tarde, em 2009, edita Elvis Perkins in Dearland com uma banda formada por amigos e batizada precisamente como Elvis Perkins in DearlandI Aubade, editado em 2015, revela um artista mais maduro e mais próximo do registo íntimo do disco Ash Wednesday.

Charles Watson é cada vez mais um dos principais compositores e produtores londrinos da atualidade, como prova o seu disco de estreia, Now That I’m a River, editado em 2018. Além de ser uma estreia a solo enquanto intérprete, também é uma estreia promissora enquanto produtor. A esse nível, o disco destaca-se pelo uso de samples da sua própria voz, criando texturas vocais pouco ouvidas até então.

Shawn Hall e Matthew Rogers conheceram-se na gravação de um jingle para rádio em 2006 e depressa perceberam que tinham uma afinidade mútua por certos géneros musicais, como o blues e a folk. No início, o som estava mais ligado ao folk, mas com o passar do tempo foram acrescentando eletricidade às suas composições. E essa eletricidade também se nota nos concertos de The Harpoonist & The Axe Murderer, autênticas explosões de energia e carisma que reforçaram a popularidade deste duo de Vancouver. Editaram o primeiro disco em 2008. O segundo chegou quatro anos depois, em 2012. Checkered Past foi aclamado pelo público e pela crítica, fazendo crescer o sucesso da banda. O terceiro, editado em 2014, chama-se A Real Fine Mess e explora como uma vida aparentemente bem sucedida pode ser assombrada por dúvidas e angústias. E depois do lançamento de mais um disco, Apocalipstick, em 2017, The Harpoonist & The Axe Murderer vêm a Portugal para mostrar o seu blues saudosista dos anos 50, 60 e 70.

Conan Osiris é compositor, produtor e autor de um estilo musical que, segundo o próprio, se chama “música normal”. “Música normal é qualquer música que dê pra ser absorvida por um ser vivo. Música normal é uma música que dá para o que a pessoa quiser: rir, chorar, dançar, viajar, tomar banho…” Conan Osiris é o alter ego de Tiago Miranda, um artista que está empenhado em mostrar que há uma nota musical em cada passo de dança, no álbum de estreia Adoro Bolos. As suas influências são variadas e bebe de géneros tão diferentes como fado, hip hop ou até metal.

Salas que irão receber a edição de 2018 do Super Bock Em Stock

Serão estes os espaços que servirão de palco ao Super Bock em Stock: Cinema São Jorge (Sala Manoel de Oliveira e Sala Montepio), Capitólio (Cine-Teatro, Bastidores e Terraço), Teatro Tivoli BBVA, Palácio Foz, Rádio SBSR na Estação Ferroviária do Rossio | IP, Garagem EPAL, Coliseu dos Recreios e Casa do Alentejo.

O bilhete único válido para os dois dias do Festival encontra-se à venda nos locais habituais, pelo preço de 40€ até 31 de agosto, passando para 45€ a partir do dia 1 de setembro e 50€ nos dias do Festival.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Reportagem – Neev e a Odisseia em concerto no Maria Matos

Foi na passada terça-feira, dia 25 de maio, no Teatro Mario Matos, em Lisboa, que, para muitos, se fez o regresso à plateia e à música ao vivo. Para Neev, foi uma odisseia - de sonhos e de emoções.

The Black Lips regressam a Portugal ainda este ano

Para dois concertos: um em Lisboa e outro no Porto.

Música – Álbuns essenciais (abril 2021)

"Em abril álbuns mil" e, apesar de desilusões, como os discos de The Offspring, Royal Blood e Porter Robinson, há alguns que merecem ser falados.

Metz regressam a Portugal no próximo ano

O trio canadiano dará dois concertos: um no Porto e outro em Lisboa.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

La Roche-Posay lança primeiro protetor solar que integra cartão na produção da sua embalagem

Para reduzir em 45% o uso de plástico virgem (quando comparado com a média de embalagens do mercado).

Há novos donuts Kit Kat à venda no Continente por tempo limitado

Uma versão que não vão encontrar noutros super e hipermercados.

Vacinação para maiores de 18 anos arranca a 4 de julho

A vacina é uma ferramenta fundamental para combatermos a pandemia.