Rowenta Air Force Flex 560 – Flexibilidade, leveza e liberdade de movimento na hora de aspirar!

por Cláudia Silva

Dia de aspirar a casa! Tirar o aspirador do seu local de arrumação. Montar o tubo. Montar a(s) peça(s) de aspiração. Puxar ou desenrolar o fio. Ligar à tomada. Carregar o aspirador, ou arrastá-lo, vá, se este tiver rodinhas. Começar a aspirar. Fazer uma ginástica enorme para conseguir ter ângulos possíveis e exequíveis para aspirar debaixo das mobílias porque, ainda que o tubo em si seja flexível, a peça maior que faz a ligação entre o tubo e a peça de aspiração não o é. Carregar no aspirador novamente com uma mão, enquanto se aspira com a outra, movendo-se pela divisão para aspirar tudo. Tropeçar no fio de vez em quando. Ter de desviar o fio para ir libertando o caminho, não aspirando por cima do mesmo. Retirar a ficha da tomada e colocar na ficha da tomada da divisão seguinte. Repetir.

Ficar com dores de costas e ombros porque o reservatório do aspirador ainda é pesado. Depois de ter mudado de tomada umas quantas vezes, pegado no aspirador para o mudar de divisão mais umas quantas, é finalmente tempo de despejar o reservatório, limpar o filtro, desmontar uma peça, e a outra peça, e o tubo, enrolar o fio. E meter aquela “catrefada” toda onde couber! Ah, e dependendo do tipo de potência elétrica que se tem em casa, não poder ter outros eletrodomésticos (como máquinas de lavar, por exemplo) a trabalhar ao mesmo tempo que o aspirador.

Soa familiar? Soa cansativo? Soa antiquado? Ora, isso é porque o é! Uff! Só de pensar em ter de o fazer, uma pessoa já fica exausta e sem vontade de sequer começar.

Aspirar é uma tarefa doméstica incontornável (pelo menos cá por casa) mas, felizmente, (já) não tem de ser esta trabalheira toda – pois, se há campo onde se tem registado uma evolução tecnológica notável, é mesmo nos eletrodomésticos e gadgets destinados a ajudar-nos na limpeza e manutenção de uma casa limpa. Desde os aspiradores robô, aos aspiradores sem fios, passando pelos aspiradores verticais, os dias em que a tarefa da aspiração era como a que descrevi acima têm os dias contados.

Um bom exemplo de uma evolução positiva que se registou neste campo são os aspiradores verticais, que representam uma série de vantagens face à forma convencional de aspiração. Neste contexto, tive oportunidade de testar o mais recente modelo Air Force Flex 560 Animal, da Rowenta. Este modelo é especialmente concebido para quem tem animais domésticos em casa e, embora não seja o meu caso, percebo o porquê de o ser: é que é uma forma leve e prática de manter a casa livre de pó e pêlos, sem que a pessoa tenha de fazer aqueles grandes esforços que tem de fazer com o aspirador convencional.

Este modelo multifuncional rapidamente nos conquista, tornando-se um dispositivo essencial na vida quotidiana. Vamos então à análise das dimensões e pontos que tornam este dispositivo tão especial, ainda que tenha alguns pontos a melhorar, os quais opto também por incluir, pois há sempre espaço para aperfeiçoamento.

Autonomia

O facto de ser autónomo ininterruptamente durante 35 minutos – em modo de aspiração normal – elimina a necessidade de ter o aparelho sempre ligado à corrente elétrica, do emaranhado de fios e da necessidade de ter de se estar sempre a ligar e desligar entre divisões – e, convenhamos, claro que depende do tamanho da casa, mas para um apartamento médio entre 70 m2 e 100 m2, este tempo dá perfeitamente para dar aquela limpeza geral e bastante satisfatória. O único ponto a melhorar na questão da autonomia é que estes 35 minutos são apenas em modo de aspiração normal.

O aparelho tem um outro modo de aspiração, o Boost, para uma aspiração ainda mais potente, e essa sim, realmente faz a diferença em termos de sucção em relação aos aspiradores convencionais, ou pelo menos à média deles a que estamos habituados. O modo Boost tem uma duração de apenas seis minutos, o que é inegavelmente pouco, tendo em conta que se quisermos realmente realizar uma aspiração mais potente e uma limpeza mais profunda, o tempo de autonomia é muito curto para esse objetivo. Para carregar o aparelho, são três horas, tempo de carregamento que parece algo excessivo e que também pode ser alvo de melhoria numa próxima versão.

Peso/Leveza

O peso do aparelho é outro ponto positivo. O Rowenta Air Force Flex 560 Animal tem uma excelente manobrabilidade e leveza, com apenas 3kg, o que permite não só aspirar o chão, como também os tectos, os móveis, cortinados, tapetes e praticamente todo o tipo de superfícies – havendo, evidentemente, uma peça adequada para cada tipo de superfície e respetiva textura). O facto de ser leve torna muito fácil o seu transporte entre divisões. Aliás, esta é, na minha opinião, a característica que mais abona a favor deste tipo de aspiradores. A praticabilidade incrível que é o seu transporte pela casa, a facilidade de dar início ao trabalho de aspiração em qualquer local, sem depender de uma tomada por perto, a facilidade de o colocar a carregar (com recurso a um suporte de parede ou, se preferível, de forma autónoma – sendo que um curto transformador é mesmo o único fio deste aparelho, fácil de arrumar em qualquer canto).

Bónus ainda maior para quem tem casas com escadas (o meu caso) e necessita de transportar o aspirador entre pisos. Nesta dimensão, acho o peso do aparelho perfeito; podia sempre ser mais leve, claro, e talvez para lá caminhará, mas tendo como base de comparação toda a “tralha” e peso que um aspirador convencional obriga a carregar, o Air Force Flex 560 Animal sem dúvida que ganha muitos pontos de avanço.

Visibilidade

A dificuldade de aspirar locais mais recônditos e escuros – como por exemplo debaixo de camas, em divisões com menos luz natural ou em que a luz artificial é insuficiente, debaixo de mobílias diversas – pela pouca visibilidade que se tem dos mesmos, é também superada pelo Rowenta Force Flex 560 Animal. Graças à iluminação LED instalada na extremidade da peça rectangular de aspiração, com este aparelho podemos até aspirar às escuras, pois qualquer partícula de sujidade, pó ou pêlo fica imediatamente visível através deste sistema de iluminação, ficando mais fácil direcionar o foco da aspiração.

Poder de sucção

Neste aspecto, não considero que o Rowenta Air Force Flex 560 Animal seja muito melhor que os aspiradores convencionais, até talvez pelo contrário, pelo menos no que diz respeito ao seu potencial máximo de 100 Air Watts de sucção. Ou seja, no modo normal, a potência é sempre inferior a esse valor.

Se é ideal para fazer uma aspiração básica, daquele pó que se vai acumulando no dia a dia, já para uma limpeza mais profunda será mesmo necessário o modo Boost – o qual, como já vimos anteriormente, deixa muito a desejar em termos de autonomia, durante apenas seis minutos.

Ruído

Sem dúvida a tecnologia ganhou neste campo. Comparativamente à maioria dos aspiradores convencionais, o Rowenta Air Force Flex 560 Animal é bastante menos ruidoso. Com apenas 81 decibéis, o aparelho é duas vezes mais silencioso que a maioria dos seus concorrentes.

Depósito/Reservatório

Em termos de higiene do reservatório do lixo, um ponto positivo é que não há necessidade de limpar ou despejar um saco sujo. Este aspirador não tem saco, consistindo basicamente num reservatório de plástico, a vácuo, no qual o lixo é depositado, que se pode simplesmente despejar para o lixo, passar por água e fica como novo. No entanto, este aspecto não é assim tão inovador quanto isso, tendo em conta que a grande maioria dos aspiradores de pó hoje em dia já não têm reservatório de saco, mas sim este tipo de reservatórios, mais higiénicos e fáceis de limpar. Um ponto menos positivo é o facto do reservatório do Rowenta Air Force Flex 560 ser pequeno, enchendo-se mais rapidamente – uma característica que deriva do facto do próprio aparelho ser pequeno para ser leve e prático.

Facilidade de angular e aspirar em locais baixos

O tubo de aspiração tem, incorporado no seu interior, um tubo flexível (semelhante àquele a que estamos habituados, mas separado do tubo fixo principal que depois faz a ligação com a peça rectangular), o qual, com recurso a um mecanismo específico, permite, literalmente, “dobrar” o tubo para que se consiga chegar a pontos mais baixos, como por exemplo mobílias que estejam demasiado próximas do chão, o que evita que tenhamos de nos curvar para chegar a esses pontos mais críticos; ou seja, e tal como a designação do aparelho indica, permite-nos manter uma posição completamente vertical, mesmo aspirando locais baixos. A nossa coluna agradece!

Por outro lado, o poder de angulação da peça rectangular de aspiração não é muito diferente da que já encontramos nos modelos mais modernos de aspiração – é relativamente fácil “moldar” e rodar a peça para que ela se adeque aos cantos, mas esse factor não é assim tão inovador.

Em suma, definitivamente o Rowenta Air Force Flex 560 é um modelo de aspirador de pó vertical da Rowenta que ganha muitos pontos face aos modos mais convencionais de aspiração. Ideal para quem, tendo ou não animais de estimação (mas ainda mais adequado para quem os tem), gosta de manter uma rotina diária de limpeza de forma prática, flexível, rápida, ainda que básica (pelo seu baixo poder de sucção em modo de aspiração normal); ideal para apartamentos pequenos, onde a arrumação pode ser um problema, pois o aparelho cabe em qualquer canto, sendo discreto; e bónus para quem tem casas com escadas, pela facilidade de transporte entre pisos.

Este aspirador revolucionário realmente muda a vida de qualquer utilizador, permitindo-lhe poupar tempo – e dores de costas – nas rotinas doméstica. Ainda que, para uma limpeza mais profunda, seja necessário um aspirador mais potente, não sendo este o modelo ideal para tal finalidade, a manutenção quotidiana de uma casa sem pó acaba por ser a expressão de ordem neste caso – algo para o qual considero que este modelo foi concebido, e cujo propósito o Air Force Flex 560 cumpre na perfeição.

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: