PAUS no B.leza – Um grande sim de concerto

O concerto de apresentação do YESS, o quarto álbum da banda portuguesa PAUS, aconteceu no passado dia 16, no B.leza, em Lisboa. Um YESS de álbum e um #YES de concerto: quem lá esteve gritou a plenos pulmões um grande e audível “sim” ao espetáculo que foi dado.

- Publicidade -

A banda esperou até que a sala estivesse cheia e “quente” para que o concerto começasse, mas não foi preciso muito para que toda a energia das duas baterias em palco (Joaquim Albergaria à esquerda e Hélio Morais à direita), do baixo (Fábio Jevelim) e do teclado (Makoto Yagyu) incendiasse o espaço. “A vida já é má o suficiente, mais vale dizer yes e espalhar o amor”, são as primeiras palavras que ouvimos após a introdução instrumental e “Sebo na Estrada”.

“YESS é sobre olhar a vida nos olhos e reconhecer que nem sempre é bom. Mesmo quando os microfones nos falham”, brinca Joaquim, com um sentido de humor sempre apurado e em sintonia com os restantes membros, que vão também respondendo e interagindo com o público, que vai gritando o nome do álbum, independentemente do que a banda esteja a dizer. “Pela Boca”, “Passos Largos”, “L123” e “Chega Aqui” fizeram parte da setlist, e é com a chegada de “Iran Costa” que o humor se faz sentir novamente dentro da sala.

Já todos nós conhecemos muito bem “o bicho”, mas quando se trata do bicho desta banda, o ritmo já é outro, e o corpo pede para abanar cada centímetro. Não há quem esteja parado e, na primeira fila, há quem quase se debruce no palco, com a emoção e agitação. As cabeças abanam fortemente, tal e qual como as baquetas de quem toca na bateria, que saltam ferozmente.

Créditos: Joana César

Publicado por Echo Boomer em Segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Tocam-se as músicas “Luzia Veneno”, “Madeira” (do álbum Madeira, de 2018) e “Era Matá-lo” (do álbum Mitra, de 2016). Passado um pouco, a banda fez-nos lembrar a infância, relembrando o jogo que faziam quando eram mais novos, pegando em objetos e gritando “Não Aviso Cabeças”, criando motivo para se tocar o tema do novo disco – em segurança e sem arremesso de objetos. “Yess”, a última música tocada antes do encore, composto pelos temas “Mudo e Surdo” e “Pelo Pulso”, é a faixa que solta o espírito mais anarquista e selvagem do público: Joaquim Albergaria sai da bateria, pega no microfone e pede a vários elementos do público que gritem a palavra “sim” em inglês, causando uma onda de entusiasmo gigante.

As músicas de YESS, conjugadas com algumas dos discos anteriores, não deixaram ninguém indiferente e não foram só os quatro membros dos PAUS que terminaram o concerto a suar. O ambiente, do início ao fim, foi hipnotizante, à média luz e com uma vibração de se fechar os olhos e deixar que o ritmo do rock nos leve e nos solte.

A apresentação do disco dos PAUS em concerto vai acontecer também dia 24 de janeiro, em Coimbra, no Salão Brazil, e no dia 25, no Hard Club, no Porto.

Fotos de: Joana César

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Aldi passa a apostar em lojas de proximidade. A primeira abre em Lisboa esta semana

A partir de agora, não será somente o Meu Super, da Sonae, a abrir lojas de proximidade em Portugal.

Lisboa. Praça de Espanha tem uma zona verde

É maior que o Jardim da Estrela e já pode ser visitada.

Lisboa não avança (para já) no processo de desconfinamento

Porém, a capital portuguesa também não recua, isto é, mantém-se na mesma fase.

Concerto dos Jinjer em Portugal foi adiado

E ainda não há uma nova data.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Programa Cultura no Dão promove cinema drive in, concertos e a descoberta dos trilhos pré-históricos do pastoreio

O programa Cultura no Dão tem como intuito contribuir para apoiar os agentes culturais e estimular a dinâmica económica, bem como valorizar o património artístico-cultural da região.

MyNestlé está a reembolsar o valor de compra de uma bebida vegetal Wunda

Já sabem: somente é possível um reembolso por pessoa.

Antevisão – Graven (Early Access)

Dos criadores de Wrath: Aeon of Ruin chega-nos mais um jogo de ação na primeira pessoa em Early Access e com imenso potencial.