Redução do tempo das viagens de comboio será um dos grandes objetivos também no Algarve

- Publicidade -

Este ciclo de investimentos em eletrificação da ferrovia estará concluído até ao final de 2023 ou início de 2024, seguindo-se depois um novo ciclo, mais focado no passageiro.

“Hoje é um momento de festa. 100 anos depois, estamos a eletrificar a linha do Algarve”, disse o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, durante a cerimónia de assinatura do Auto de Consignação da Empreitada de Eletrificação da Linha do Algarve (Troço Tunes – Lagos), que decorreu em Lagos.

O Ministro referiu que esta iniciativa faz parte de “um conjunto muito importante de investimentos” que o país deve continuar a fazer, sobretudo numa região que tanto contribui para a economia nacional como é o caso do Algarve.

Entre os vários ganhos deste investimento – financiado por fundos europeus em 85% – Pedro Nuno Santos destacou a questão ambiental.

“O verdadeiro ganho ambiental é nós conseguirmos que as composições movidas a diesel deixem de circular no nosso País e que possamos ter comboios elétricos. E não tenhamos a menor dúvida que não há, do ponto de vista da eficiência energética e de ganho ambiental, qualquer comparação entre um meio de transporte movido a energia elétrica, por catenária, ou qualquer outro meio de transporte movido a bateria”, frisou.

Próximos investimentos em ferrovia

O Ministro disse também que este ciclo de investimentos em eletrificação da ferrovia estará concluído até ao final de 2023 ou início de 2024, seguindo-se depois um novo ciclo, mais focado no passageiro e que terá, “naturalmente, de passar pelo Algarve”. A redução do tempo das viagens será um dos grande objetivos.

Pedro Nuno Santos afirmou, contudo, que a ferrovia precisa ainda de “ganhar mais competitividade face ao automóvel” e que deverá ir além da eletrificação e do conforto.

A ligação das linhas ferroviárias portuguesas às espanholas e, no caso do Algarve, à Andaluzia, foi outro dos investimentos futuros referidos por Pedro Nuno Santos e que, conforme referiu, fazem parte “de uma grande ambição legitima e justa, que é ligar a linha do Algarve ao corredor mediterrâneo”.

Sobre a falta de material circulante, o Ministro destacou o trabalho feito pela CP, na recuperação de carruagens que estavam encostadas “um pouco por todo o país”, acrescentando que será ainda necessária a aquisição de mais 117 comboios.

Segundo Pedro Nuno Santos, esta será a “maior compra de material da história da CP e da ferrovia portuguesa” e cujo concurso já foi lançado.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Infraestruturas de Portugal tem duas hipóteses para reduzir tempo de viagens entre Lisboa e Faro

Ou se melhora a atual linha do sul ou, então, se procede à construção de uma nova linha de alta velocidade.

Algarve vai contratar trabalhadores em Marrocos e Cabo Verde para salvar hotelaria

Tudo porque é muito difícil arranjar trabalhadores qualificados para as áreas em questão.

Galp abre mais uma loja sem caixas de pagamento (nem funcionários), desta vez no Algarve

Basta instalar uma app, escolher os produtos... e sair da loja.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Visitar a Taqueria é como regressar a um local onde fomos felizes

Quem vai uma vez, vai duas e muito mais. E foi por isso que revisitámos a Taqueria das Avenidas, da qual somos grandes fãs.

Aromáticas Vivas aposta nos sabores de verão com um pack especial

Com o pack saladas de Verão, podem ter Microgreens Mix, Manjericão Roxo, Sorrel dos Bosques e Erva Azeda.

Substituição de uma das principais condutas no abastecimento de água a Lisboa vai criar constrangimentos no trânsito

Reabilitação da Conduta Telheiras – Calçada de Carriche condiciona trânsito no sentido Odivelas-Lisboa já este mês.