Cerca de 80% dos profissionais do cinema português ficaram sem qualquer tipo de retribuição

Os resultados são de um inquérito realizado pela APC aos seus associados.

cinema português
- Publicidade -

A Academia Portuguesa de Cinema (APC) entregou esta semana à Presidência da República, à Secretaria de Estado da Cultura e ao ICA – Instituto do Cinema e Audiovisual um documento que sintetiza os resultados de um inquérito enviado aos seus associados sobre o impacto da pandemia da Covid-19 no cinema português. Escusado será dizer que os resultados são catastróficos.

De acordo com o mesmo, a generalidade dos inquiridos confirmou que tinha suspendido as rodagens e cerca de 30% não sabe se voltará a rodar. Por outro lado, 80% dos profissionais confirmaram ter a sua retribuição baseada em recibos verdes (65%) ou similares (15%), não podendo por isso recorrer a nenhum dos apoios definidos pelo Governo até à data.

Quanto ao regresso à atividade, depois de passada a pandemia, apenas 57% confirma que planeia regressar. Os restantes não sabem se regressam e há mesmo 3% a informar que deixarão de exercer atividade neste setor.

Na audiência concedida pelo Presidente da República ao Presidente da APC, na passada segunda feira, o produtor Paulo Trancoso manifestou “profunda preocupação quanto ao futuro do setor, caso não sejam acauteladas de imediato medidas de contingência que assegurem a sobrevivência económica individual e financeira das empresas e dos seus colaboradores”.

Assim, as medidas propostas pela APC assentam essencialmente em três pilares:

  • Definição imediata de um Plano de Emergência que assegure a sobrevivência dos profissionais do cinema e audiovisual, para o qual a Academia Portuguesa de Cinema se disponibiliza a colaborar;
  • Concurso relâmpago com verbas para iniciativas online e de burocracia mínima;
  • Regresso às rodagens com equipas reduzidas e cuidados sanitários máximos.

O setor do cinema e do audiovisual emprega direta e indiretamente mais de 20.000 profissionais, entre atores, realizadores, guionistas, argumentistas, técnicos de luz e som e muitos outros.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Testes rápidos à COVID-19 voltam a ser gratuitos a partir de 19 de novembro

Isto numa altura em que os casos têm estado a aumentar.

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Makro Portugal tem 15 cabazes de Natal disponíveis a pensar nesta época

Há para todos os gostos... e para todos as carteiras.

ART & Delivery é a primeira exposição de arte em Portugal inspirada em food delivery

Podem visitar até domingo, dia 29 de novembro, no Palacete Gomes Freire, em Lisboa.

Parque Nascente tem um pista de gelo com mais de 250 m2 para toda a família

Para entrar no espírito natalício, o Parque Nascente convida toda a gente a calçar os patins de gelo e treinar as piruetas, acrobacias ou simples voltinhas em família, na incrível Pista de Gelo.